Educadores

Ínicio : Geografia : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (30)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Título (A a Z)

Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!A Territorialidade da “Posse” na Luta pela Reforma Agrária_Os Acampamentos do MST em Iaras – SP Popular Versão: 
Atualização:  9/5/2013
Descrição:
IHA, Monica Hashimoto

O presente estudo tem como objetivo apresentar a territorialidade dos acampamentos organizados pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra no Município de Iaras-SP, a partir da análise crítica do movimento social, buscando a gênese da concentração fundiária e dos sem-terra na formação territorial do País. A partir de 1995 o MST fez a sua primeira ocupação na região, realizando o assentamento Zumbi dos Palmares. Os demais acampamentos que se instalaram passaram por um longo período de espera, o que causou a saída de muitas pessoas, sendo necessário a criação de estratégias para a sobrevivência. O acampamento afirma a posse da terra em barracas de lona preta e, em alguns casos, realizando pequenos roçados e criação de animais. A organização dos acampamentos pelo MST é mantida por um conjunto de regras e disciplina o que contrasta com os valores e a vida anterior do acampado, o que provoca inúmeras contendas. A situação de acampado revela grande instabilidade, estando sujeito à violência dos grandes proprietários de terra, ao despejo e à estigmatização por ser sem-terra. Este estudo teve como metodologia de trabalho a pesquisa qualitativa, através de técnicas como: pequenas histórias de vida, relatos orais, entrevistas, questionários, observação participante e pesquisa nos arquivos de órgãos do Estado responsáveis pelo processo de reforma agrária (Incra e Itesp).

Downloads 1495  1495  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.unicamp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!A unidade de paisagem serra do mar no estado do Paraná perspectiva de abordagem a partir do geossist Popular Versão: 
Atualização:  5/9/2013
Descrição:
A unidade de paisagem serra do mar no estado do Paraná perspectiva de abordagem a partir do geossistema

SARAIVA, Fabiano

A Serra do Mar, no Paraná, marca a transição entre o Primeiro Planalto Paranaense e a Planície Litorânea, com um fisiografia escarpada e/ou montanhosa relacionada à ocorrência da serra marginal de borda do planalto. Ocupada por remanescentes da Floresta Atlântica, constitui-se em importante área para a conservação da biodiversidade desta formação florestal, além de manter inúmeras nascentes dos
mananciais de abastecimento público da Região Metropolitana de Curitiba e das cidades do litoral paranaense. Para a definição dos limites ocupados pela Serra do Mar, utilizou-se de metodologia originada na geografia física, denominada geossistema, que a partir da análise integrada dos elementos constituintes do meio físico permite a delimitação de unidades de paisagem em diferentes escalas.

Palavras-chave: Geossistema. Serra do mar. Floresta Atlântica. Meio ambiente.

Downloads 2699  2699  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://http:www.ufpr.br
Avaliação: 9.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!A verticalização de Londrina : 1970/2000: a ação dos promotores imobiliários Popular Versão: 
Atualização:  3/9/2013
Descrição:
PASSOS, Viviane Rodrigues de Lima

A presente pesquisa trata da evolução do processo de verticalização de Londrina entre os anos de 1970/2000, cujo acréscimo foi extremamente considerável quando a cidade apresentava até 1970 apenas 36 edifícios de quatro pavimentos ou mais, passando a contar com 131, 939 e 600 novas construções nas décadas de 1970, 1980 e 1990, respectivamente. Investigou-se a relação do desenvolvimento e da dinâmica econômica com o processo de verticalização, observando claramente que este foi um período em que mudanças socioestruturais na economia nacional proporcionaram à Londrina uma nova configuração urbana, evidenciada pela construção acelerada de edifícios com quatro ou mais pavimentos. Tem por objetivo contribuir para o conhecimento da ação dos promotores imobiliários que realizaram a produção e a reprodução do espaço urbano, bem como os mecanismos utilizados para tanto, em direção à compreensão de um dos diversos processos responsáveis pela estruturação do espaço urbano de Londrina - a verticalização. Foram identificados 514 diferentes agentes na construção dos edifícios, embora apenas 11 fossem classificados como principais, pelo fato de terem sido, em conjunto, responsáveis por 46,1% de toda área construída em edifícios de quatro pavimentos ou mais no período delimitado. Foram elas as construtoras Brasília, Planos, Mavillar, Plaenge, Khouri, Dinardi, Cebel, Santa Cruz, Quadra, Artenge e Brastec, grandes empresas locais, tendo inclusive algumas delas renome nacional e até mesmo internacional, como é o caso da Plaenge. Foram analisados os 11 principais promotores imobiliários de 1970-2000, e através de entrevistas junto aos mesmos obtivemos informações que nos deram subsídios para entender suas ações.

Palavras-chave: Geografia urbana - Londrina (PR). Urbanização - Londrina (PR). Planejamento urbano - Londrina (PR). Desenvolvimento imobiliário - Londrina (PR).

Downloads 6872  6872  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Londrina  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Adolescência e maternidade: sentidos produzidos neste encontro e implicações para o desenvolvimento  Popular Versão: 
Atualização:  3/9/2013
Descrição:
Adolescência e maternidade: sentidos produzidos neste encontro e implicações para o desenvolvimento regional

MARTINES, Gisele Trommer

Este estudo tem como objetivo investigar os sentidos que são produzidos no encontro entre adolescência e maternidade na tentativa de ressaltar inter-relações entre este fenômeno e o desenvolvimento regional, uma vez que a cada ano, no Brasil, um milhão de adolescentes dão à luz (correspondendo a 20% do total de nascidos vivos). Constatamos índices semelhantes no município de Cachoeira do Sul/RS, local onde realizamos esta pesquisa. Participaram deste estudo oito mães adolescentes primíparas, com idades entre 15 e 18 anos. Consideramos adolescente aquele sujeito que tem entre doze e dezoito anos de idade, conforme disposto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). Realizamos de uma a duas entrevistas com cada participante com o objetivo de analisar a experiência de ser mãe na adolescência. O método utilizado nesta proposta de investigação científica é de uma abordagem qualitativa da realidade, utilizando como instrumento de coleta de dados a entrevista semiestruturada. Realizamos a análise dos dados através do método de práticas discursivas e produção de sentidos, utilizando o mapa de associação de ideias como técnica de interpretação. Neste estudo verificamos que os sentidos produzidos no encontro entre adolescência e maternidade apontam para uma experiência de vida plena de significados positivos, bem como constituem uma experiência negativa com sentimentos de perda, de renúncia forçada e de muitas dificuldades. Ao longo desta pesquisa refletimos sobre a necessidade de problematização do discurso vigente atual que considera a gravidez e a maternidade na adolescência como um problema, produzindo, desta forma, preconceito e discriminação.

Palavras-chave: Maternidade. Adolescência. Sentidos produzidos. Desenvolvimento regional.

Downloads 856  856  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.unisc.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Agricultura orgânica como processo territorial no município de Chapecó-SC Popular Versão: 
Atualização:  5/9/2013
Descrição:
SILVA, Franciane Cristine da

A chamada modernização da agricultura representou um período de intensificação do processo de degradação ambiental e modificação profunda nas relações de trabalho. Um dos movimentos de resistência a esse novo padrão de produção verticalizada é a agricultura orgânica. No Estado de Santa Catarina, essas experiências têm se desenvolvido amplamente, assumindo características próprias e gerando uma diversidade de relações sociais que tem deflagrado novos movimentos territoriais. No caso chapecoense, a agricultura orgânica desenvolve-se amparada por agricultores, ONG’s e Cooperativas, criando uma rede territorial que assume ritmos e tempos diferentes, mas que tem construído um novo território nesse município. Novo justamente porque pensa e organiza os elementos do espaço geográfico seguindo um padrão próprio, construído coletivamente e produto da diversidade cultural, política, econômica e ambiental local. Novas redes e fluxos foram ativados inserindo esses atores sociais de uma forma singular no contexto local. Buscando compreender essas relações lançou-se mão de revisão bibliográfica, revisão de sítios especializados, entrevistas, trabalhos de campo, aplicações de questionários, entre outros, que possibilitaram a coleta de dados para posterior compilação e apresentação em forma de mapas temáticos, tabelas, gráficos e conclusões teóricas a respeito da agricultura orgânica enquanto movimento territorial no município de Chapecó, Oeste catarinense.

Palavras-chave: Agricultura orgânica. Chapecó. Movimento territorial. Organização territorial. Redes.

Downloads 1373  1373  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unesp  Site http://www.dominiopublico.gov.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Além das fronteiras da agroindústria: poder e territorialização na contramão da esperança Popular Versão: pdf
Atualização:  5/9/2013
Descrição:
ARMSTRONG, Machado

O presente trabalho tem por objetivo mostrar a rotina dos trabalhadores rurais da agroindústria canavieira, na região de Barra Bonita-SP, bem como a forma de exploração decorrente da submissão ao modo de produção capitalista a que estão expostos. O centro-oeste do estado de São Paulo abriga a maior usina de produção de açúcar e etanol do mundo, o Grupo Cosan - Unidade Barra, que possui a propriedade de estabelecer sua dinâmica própria, influenciando na construção/ reconstrução do tecido social da Microrregião Geográfica onde está inserido. Por meio desta relação, fixos e fluxos se fundem e se confundem e os movimentos migratórios, seguindo o calendário da agroindústria, fazem movimentar a lógica do grande capital na região. A preocupação maior está em caracterizar o trabalhador assalariado rural como personagem central. Em virtude da agroindústria supra mencionada, a região tornou-se um verdadeiro “mar de cana”, cenário sui generis para o desenvolvimento desta proposta de estudo. A grande concentração de terras em poder deste grupo capitalista, o uso da terra feito pelos mesmos, as atividades e relações sociais que se desenvolvem entre a Cosan – Unidade Barra e estes aproximadamente 6.000 trabalhadores e os motivos que os levam a migrarem das respectivas terras de origem, conduzem o delinear deste trabalho. Neste contexto, propõe-se refletir a respeito das relações sociais e trabalhistas existentes entre o Grupo Cosan e os trabalhadores assalariados rurais, bem como os reflexos sociais e socioambientais desta relação para a qualidade de vida e para o espaço territorial que ocupam. Considerando este recorte teórico-metodológico, busca-se: analisar a dinâmica que rege o modo capitalista de produzir na atividade canavieira; entender a atual lógica que movimenta o interesse dos usineiros do setor sucroalcooleiro para dinamizar sua produção, frente às políticas de estímulo à produção do biocombustível; verificar as relações de trabalho que envolvem o “trabalhador assalariado rural” e a usina sucroalcooleira; caracterizar o fluxo de migração, decorrente das relações sociais estabelecidas na região, entre o usineiro e o trabalhador rural; investigar o trabalhador assalariado rural nos aspectos de sua subjetividade, para melhor compreender sua práxis e suas potencialidades; entender qual a perspectiva de vida do trabalhador rural frente às alterações no campo, fruto das atuais tendências no setor da agroindústria canavieira. Esta dissertação foi resultado de pesquisa teórica e empírica. A pesquisa empírica desenvolvida nos “mares de cana”, em alguns municípios da Microrregião Geográfica de Jaú (Barra Bonita, Igaraçu do Tietê, Mineiros do Tietê) foi fundamental, pois possibilitou a coleta de dados, elementos e informações e sua posterior interpretação, engendrando maior entendimento e percepção das características do local de estudo. Os depoimentos dos trabalhadores assalariados rurais tiveram destaque na pesquisa. Em virtude dos relatos obtidos, surgiram relevantes contribuições, que tornaram o quadro sociopolítico e cultural em que vivem os trabalhadores assalariados rurais, lúcido e passível de compreensão.

Palavras-chave: Geografia agrícola. Trabalhadores rurais - São Paulo (Estado). História. Agroindústria canavieira - São Paulo (Estado).

Downloads 2055  2055  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEL - Universidade Estadual de Londrina  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Análise ambiental do Arroi Schimidt - Goiorê-Pr Popular Versão: 
Atualização:  5/9/2013
Descrição:
NASCIMENTO, patrícia Branco

É necessário conhecer e analisar os recursos naturais e antrópicos de uma determinada área, por meio de um diagnóstico ambiental, para que se possam elaborar prognósticos e estabelecer diretrizes do uso destes recursos do modo mais racional possível. Neste sentido, este trabalho teve como objetivo principal a realização de um diagnóstico ambiental do ArroioSchimidt, Goioerê – Paraná. Esta avaliação foi realizada por meio de levantamentos e análises dos atributos ambientais: substrato rochoso, relevo, solo, clima, água superficial, cobertura vegetal e parâmetros socioambientais, além de propor metas para a recuperação e preservação desta área. Os principais problemas que causam a degradação ambiental observados no entorno e ao longo do Arroio Schimidt foram: obras de canalizações inacabadas com taludes sem proteção, afloramento do lençol freático, ocupação das margens pela população ribeirinha, ausência de mata ciliar, assoreamento e desestabilização das vertentes, feições erosivas, árvores com raízes expostas, presença de tubulações de esgoto com despejo de resíduos líquidos, esgotos clandestinos domésticos e instalações sanitárias sob o arroio e presença de resíduos sólidos urbanos. Uma das propostas que envolve esforço de recuperação e que garante compromisso para o futuro é a educação ambiental, destinada a reformular comportamentos humanos e recriar valores perdidos ou jamais alcançados, tanto no âmbito individual como coletivo.

Palavras-chave: Diagnóstico ambiental. Degradação. Atributos ambientais.

Downloads 3557  3557  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.uem.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Análise ambiental: reflexões sobre os processos de degradação ambiental no município de Bela Vista d Popular Versão: pdf
Atualização:  9/5/2013
Descrição:
PIMENTA, Paulo Sérgio Pereira

O município de Bela Vista do Paraíso, assim como os demais que compõem a região norte do Estado do Paraná, surgiu para dar ênfase à cultura cafeeira, e esta se espalhou rapidamente pela região norte do Estado do Paraná, tornando-se a grande sensação daquele momento. A qualidade de suas terras férteis, trouxe para esta localidade famílias e, empresas loteadoras que não demoraram a iniciar tal processo colonizatório. Inicialmente, o café auferiu grandes lucros aos proprietários de terras, mas, as crises financeiras no mercado internacional, a concorrência com outros países, e, finalmente, os processos de geadas, que acabaram por destruir os cafezais, trazendo grandes problemas para esta municipalidade que, na década de 60, contava com mais de 75% de sua população morando e trabalhando na zona rural. Com a implantação das culturas temporárias de soja, trigo, milho , em substituição ao café nos anos 70, a ocupação e a exploração do solo trouxe consigo as práticas inadequadas de uso do solo, resultando em perda da fertilidade, diminuição da produtividade, erosão, êxodo, entre outros, pois os proprietários estavam ávidos por novas formas de se obter maiores lucros com a terra. Assim, mecanizaram seu sistema de produção, substituindo o trabalho humano pela máquina, gerando desemprego e mais problemas sociais. Estas práticas nefastas nos põem a buscar um modelo ambiental? onde a natureza seja explorada de uma maneira racional, pois o crescimento sempre vai estar ligado à degradação do meio ambiente, sendo necessário pensar em uma forma de desenvolvimento que seja sustentável, que respeite e se sirva da natureza da forma mais adequada possível. O município de Bela Vista do Paraíso sofre com questões relativas ao meio ambiente, temos que nos colocar em busca de um modelo ambiental onde a técnica saiba respeitar o meio ambiente, procurando uma forma harmoniosa de convivência entre homem-natureza-tecnologia e desenvolvimento, este é um questionamento que nos propomos a discutir neste projeto de mestrado.

Palavras-chave: Impacto Ambiental. Brasil. Meio Ambiente - Paraná - Norte. Degradação ambiental.

Downloads 4599  4599  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEL - Universidade Estadual de Londrina  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Análise da arborização de vias públicas das principais zonas do plano piloto de Maringá-Pr Popular Versão: 
Atualização:  5/9/2013
Descrição:
SAMPAIO, André Cesar Furlaneto

A cidade de Maringá tem na sua arborização de vias públicas um bem muito valioso, que contribui significativamente para boa qualidade de vida da cidade e outros fatores, porém a qualidade desta arborização vem decrescendo a cada ano. Atualmente o gerenciamento destas árvores apresenta vários problemas e dentre os principais podemos contar a infraestrutura pequena e insuficiente, e dados para um manejo e planejamento desatualizados. Esta pesquisa pretende colaborar através da análise da arborização da área mais antiga de Maringá (plano piloto), onde foi feito um censo e uma análise dos dados que identificaram 85 espécies de porte arbóreo, em 28153 árvores cadastradas, sendo que 44,27% estão em condições gerais sofríveis (danos físicos, doenças e pragas), uma frequência alta de 44% da espécie Caesalpinea peltophoroides (Sibipiruna) foi observada e é considerada grave por facilitar disseminação de doenças e pragas; foi encontrada uma área verde das árvores de vias públicas que corresponde a 46,19/m2/hab. Os dados mostram uma boa qualidade do meio ambiente urbano devido ao porte das árvores, mas fica claro que novas diretrizes e um novo planejamento devem ser pensados com urgência para que essa exuberante arborização não continue seu declínio.

Palavras-chave : Arborização urbana. Censo. Manejo.


Downloads 1306  1306  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.uel.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Análise da degradação ambiental na Vila de Encantadas - Ilha do Mel Popular Versão: 
Atualização:  9/5/2013
Descrição:
MARTINEZ, Janaina

A produção de resíduos sólidos na região da Vila de Encantadas, Ilha do Mel /Paraná, apresenta momentos distintos devido ao fluxo de turistas que visitam a região durante a temporada de verão (final de dezembro a início de março). Como o turismo é a principal atividade econômica na Ilha do Mel, os comerciantes da Vila de Encantadas aproveitam a época de veraneio para intensificar essas atividades, visando aumentar sua rentabilidade. Com o aumento da população ocorre também um aumento significativo no consumo de produtos, refletindo na produção do lixo na região da Vila de Encantadas. Nessa época do ano é possível observar alguns pontos em que os resíduos são lançados por turistas e alguns moradores da região, causando danos ao ambiente. Levando em consideração a degradação ambiental originada pela produção de resíduos sólidos, buscou-se efetuar um levantamento sobre a distribuição espacial do lixo na região da Vila de Encantadas, em épocas diferenciadas, para fins de comparação dos períodos de baixa e alta temporada e a influência do turismo na produção de resíduos sólidos. Outro fator que contribui com a degradação do ambiente na Vila de Encantadas, se faz presente nos lançamentos de esgotos sem tratamento prévio nos córregos da Ilha. Como base de análise para essa questão, foi escolhido o Rio da Ponte, principal rio da Vila de Encantadas, onde foi realizada uma adaptação do mapeamento dos pontos de lançamento de esgotos.

Palavras-chaves: Resíduos sólidos. Lixo. Turismo. Ambiente. Degradação.

Downloads 2821  2821  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.ufpr.br
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 (3) 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 »