Educadores

Ínicio : Filosofia : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (10)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Notas (Do pior para o melhor avaliado)

Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!Morte da arte?: O tema do fim da arte nos Cursos de estética de Hegel Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2012
Descrição:
ARAUJO, Katia Silva

O presente trabalho tem por escopo esboçar um exame acerca da problemática do Fim da Arte nos Cursos de Estética de Hegel. Para tanto, partimos de duas hipóteses. A primeira aponta para um fim sistemático da arte na tríade do Espírito Absoluto, ou seja, a arte cede lugar a outras manifestações do espírito tais como a religião e a filosofia, sob a forma do conceito. A segunda hipótese diz respeito à própria intenção sistemática dos Cursos de Estética. Primeiro, considerando as modalidades sucessivas de expressão artística apontadas pelo filósofo sob a Forma das artes simbólica, clássica e romântica e, segundo considerando as formas específicas de artes, todas elas submetidas a uma ordenação histórica, tais como a arquitetura, a escultura, a pintura, a música e a poesia.

Palavras-chave: Hegel. Georg Wilhelm Friedrich. Morte da arte.

Downloads 1229  1229  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!A argumentação filosófica: Chaim Perelman e o auditório universal Popular Versão: 
Atualização:  29/4/2012
Descrição:
ALVES, Marco Antonio Sousa

Esta dissertação pretende analisar a proposta de Perelman de uma Nova Retórica e, partindo dela, compreender melhor o discurso filosófico. As principais metas desse trabalho são: definir os conceitos e distinções fundamentais de uma teoria da argumentação; investigar a especificidade da argumentação filosófica, clareando o conceito de auditório universal; e estudar a relação entre persuasão e convencimento e entre contextualismo e universalismo, situando Perelman no debate contemporâneo relativo à argumentação.

Palavras-chave: Perelman. Chaim. Argumentação filosófica.

Downloads 147563  147563  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!O prudente e o experiente na ética de Aristóteles Popular Versão: 
Atualização:  2/9/2013
Descrição:
CARDOSO, Edgard Cabral

O tema deste trabalho é a investigação das relações do prudente com a experiência. O primeiro capítulo é dedicado à análise da distinção feita por Aristóteles entre virtudes morais e virtudes intelectuais, procurando ressaltar o fundamento psicológico dessa distinção. No capítulo 2 pretendemos apresentar o lugar da experiência no conhecimento humano, segundo o pensamento de Aristóteles. Abordamos no terceiro capítulo a figura do prudente, tentando compreender suas principais características. Ao final faremos uma comparação entre a experiência, a prudência e a ciência.

Palavras-chave: Aristóteles. Ética. Nicomaco.

Downloads 663  663  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!A alegoria na tessitura de Fílon de Alexandria Popular Versão: 
Atualização:  27/8/2013
Descrição:
RIOS, Cesar Motta

Esta dissertação estuda a alegorese, isto é, a leitura alegórica feita por Fílon de Alexandria. Após uma revisão da prática da alegorese anterior a Fílon, são apresentados, traduzidos e comentados todos os trechos em que ele usa as palavras allegoría, allegoréo e allegorikós. O objetivo é saber o que ele diz sobre alegoria. Em seguida, é observado o papel da alegoria filônica no tratado sobre os SonhosI, visando demonstrar o que ele faz com a alegoria. Por fim, apresenta-se uma tradução do referido tratado.

Palavras-chave: Filon. Alexandria. Crítica e interpretação. Alegoria.

Downloads 3588  3588  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!Do Argumento do Desígnio - David Hume  Popular Versão: PDF
Atualização:  30/4/2012
Descrição:
LAUX, Evelise Rosane Treptowe

Neste estudo nos propusemos a uma investigação das críticas de David Hume ao ‘Argumento do Desígnio’, existente em seu livro Diálogos sobre a Religião Natural. Críticas essas que têm por finalidade apontar as fragilidades do referido argumento, como fundamento da teoria que defende a criação do mundo a partir de Deus. Objetivamos também, explicitar o caminho dialético e rgumentativo humeano, que a partir de uma perspectiva empirista, propõe que todo o conhecimento pode, somente, provir da experiência sensível. Se Hume consegue ou não refutar e destruir esse argumento e, se propõe ou não alguma alternativa para substituição, é o que examinaremos no presente. De um total de quatro capítulos, começaremos por apresentar o ‘Argumento do Desígnio’, na forma em que ficou conhecido. A seguir entraremos, efetivamente em contato com o livro Diálogos sobre a Religião Natural, passando então à abordagem da construção das críticas elaboradas por Hume (Filo) para, finalmente demonstrarmos que, apesar de parecer ter Filo, sido vencido no diálogo - num feito que só corrobora a maestria linguística humeana - ratifica, sob um véu de discrição, a posição assumida durante todo o diálogo.

Palavras-chave: Hume. Crítica. Argumento do Desígnio. Religião Natural.

Downloads 1633  1633  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PUCRS  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!O ser como começo da ciência na ciência da lógica de Hegel Popular Versão: 
Atualização:  29/4/2013
Descrição:
NICOLAU, Marcos Fabio Alexandre

Eis a tarefa, aparentemente irrecusável à filosofia, de buscar a união entre ser e pensar em um sistema que seja capaz de se autofundar e justificar, doando bases sólidas não somente a si, mas a toda e qualquer ciência, o que o faz ser considerado como uma verdadeira doutrina da ciência, capaz de estabelecer os pressupostos básicos a todo e qualquer saber que se queira dizer válido. Sendo em Hegel tal feito realizável, tão somente em bases de um método dialético, fruto da própria natureza de começo que traz imanente a si o elemento da contradição, da negação determinada, capaz de promover o autodesenvolvimento de um saber dito absoluto.

Palavras-Chave: Hegel. Ciência da lógica. Começo da ciência.

Downloads 1798  1798  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Federal do Ceará - UFC  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!O bem e o mal na Terra Média: a filosofia de Santo Agostinho em O Senhor dos Anéis de J.R.R. Tolkien Popular Versão: PDF
Atualização:  30/4/2012
Descrição:
KLAUTAU, Diego Genu

O Bem e o Mal sempre foram questões que preocuparam a humanidade. Seja através da religião, da filosofia, e da arte, tais temas foram sempre abordados pelos homens. A justificativa desta pesquisa se coloca na reflexão de uma existência de significado e sabedoria em tempos anteriores à modernidade. Para esta, sua existência seria o desenrolar para o progresso e libertação do homem, desclassificando tudo o que existia antes como perda de tempo e inútil. O Cristianismo de Santo Agostinho responde de forma diferente a tais questões. Na literatura de Tolkien, estas expressões muitas vezes se tocam e se afastam. A falência das propostas modernas promove na literatura de Tolkien uma possibilidade de encontrar esta discussão. Através de diversas fontes mitológicas e de tradições cristãs medievais, Tolkien cria, ou ‘sub-cria’, um mundo em que o Bem e o Mal são explícitos, ao mesmo tempo sutis e quase tênues. O tempo não é tudo. Nem tudo se explica pela história. Algo, que passa pela história, mas não está presa a ela, se apresenta na obra literária de Tolkien. Para tentar entender esta tensão, entre a presença da história e o movimento de libertação dela, é necessário entender o que é o Bem e o que é o Mal, pois categorias impulsionadoras da crítica presente na obra literária O Senhor dos Anéis. O método básico é a revisão bibliográfica, através da interpretação da literatura como constituída de filosofia de Agostinho, e assim apresentando uma crítica ao contexto histórico em que foi produzida. Como procedimento geral de raciocínio elaboramos o roteiro de pesquisa, baseado na comprovação da hipótese, avaliando os personagens de O Senhor dos Anéis como chaves para a compreensão dos conceitos de Bem e de Mal numa leitura agostiniana. Reconhecer numa literatura fantástica, um encontro do homem com suas reflexões profundas, de natureza ética e moral, as ditas virtudes cardeais de Santo Agostinho, baseada num trabalho de pesquisa literária e histórica, é um caminho para o próprio sentido da vida.

Palavras-chave: Literatura. Santo Agostinho. Tolkien. Senhor dos Anéis.

Downloads 2032  2032  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Domínio Público  Site http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=88954 Avaliação:
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!Filosofia e Cinema: O uso do filme no processo de ensino-aprendizagem da Filosofia Popular Versão: PDF
Atualização:  12/12/2017
Descrição:
REINA, Alessandro

Resumo: Partindo da argumentação de Gilles Deleuze e alguns apontamentos de Júlio Cabrera, a presente pesquisa tem como objetivo demonstrar a imbricação existente entre a filosofia e o cinema, bem como a possibilidade de utilização do filme como um recurso metodológico para o ensino e aprendizagem da Filosofia e de seus conceitos no Ensino Médio. Investiga primeiramente as origens do cinema para demonstrar o nascimento de uma nova forma de linguagem capaz de problematizar e criar conceitos por intermédio das imagens desenvolvidas nos filmes. Problematiza a questão paradoxal do cinema como produto comercial e alienador das massas frente à possibilidade do seu uso como um instrumento didático para o ensino da Filosofia. Apresenta uma crítica a visão e utilização do filme como ilustração de conceitos e a possível formação de uma filosofia da representação a partir dos filmes em seu contexto filosófico. Devido ao potencial de uma linguagem icônica presente nos filmes, que trazem dentro de si conceitos filosóficos, demonstra a possibilidade de aplicar o cinema como fator de educação no processo do exercício do filosofar e da aprendizagem de conceitos filosóficos. Situa a pesquisa no campo educacional por meio da possibilidade do uso do cinema no interior da sala de aula com uma metodologia por meio
do uso de filmes e fora da sala de aula com a criação de cineclubes, utilizando o cinema como fator de educação filosófica, para uma formação humana, social e cultural dos alunos no Ensino Médio.

Palavras-chave: Cinema. Filosofia. Ensino. Filmes. Conceitos.

Downloads 10700  10700  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://www.ppge.ufpr.br/dissertacoes/m2014_Alessandro%20Reina.pdf
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!A aula de Filosofia enquanto experiência filosófica: Possibilitar ao estudante de Filosofia "criar c Popular Versão: PDF
Atualização:  12/12/2017
Descrição:
GABRIEL, Fábio Antonio

Recentemente a Filosofia retornou ao currículo dos cursos do Ensino Médio brasileiro. No entanto, acreditamos que o seu ensino não deva ocorrer meramente de forma enciclopédico. Diante dessa questão, a presente pesquisa tem como objetivo verificar em que medida é possível oferecer aulas de Filosofia que não se limitem a um ensino meramente enciclopédico, mas, que possibilitem experiências em que o estudante, em contato com textos de filósofos, consiga dominar meios que o capacitem a “avaliar o valor dos valores” e a “criar conceitos”. Os objetivos específicos contemplam: a) evidenciar se as orientações contidas nas Diretrizes Curriculares de Ensino de Filosofia do Estado do Paraná são conhecidas e praticadas pelos professores de Filosofia da rede estadual; b) verificar ainda em que medida as mesmas diretrizes colaboram para um ensino que propicie uma experiência filosófica; c) apontar as possíveis contribuições da Filosofia de Deleuze e de Nietzsche para o ensino de Filosofia. O problema desta pesquisa explicita-se no questionamento: a maneira como o professor de Filosofia leciona a disciplina propicia condições tanto para a experiência filosófica quanto para a “criação de conceitos” e ou “avaliação do ‘valor’ dos valores”?. Utilizamos, como referencial teórico, os filósofos Nietzsche e Deleuze, além de diversos outros autores que tratam do ensino da Filosofia. Trata-se de uma pesquisa qualitativa e, para coleta de dados, realizamos uma pesquisa de campo, por meio de questionário e de entrevistas semiestruturadas, além da análise documental das Diretrizes Curriculares de Filosofia do Estado do Paraná. Os sujeitos da pesquisa são professores da rede estadual paranaense, que lecionam a disciplina de Filosofia e, em específico, professores circunscritos ao Núcleo Regional de Jacarezinho, além de estudantes do Ensino Médio, alunos dos professores em referência. Para a análise dos resultados, utilizamos análise de conteúdo, segundo Bardin (2011). Os resultados nos permitem inferir que os professores da Rede Estadual Paranaense conhecem as contribuições das Diretrizes Curriculares de Ensino de Filosofia, como também as utilizam no sentido de propiciar aos estudantes uma aprendizagem de Filosofia que não seja meramente enciclopédica, mas que garanta aos alunos condições de formularem, de criarem e de reverem seus próprios conceitos e seus próprios valores.

Palavras-chave: Ensino de filosofia. Criação de conceitos. Valor dos valores. Ensino e aprendizagem.

Downloads 7132  7132  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma TEDE UEPG  Site http://tede2.uepg.br/jspui/handle/prefix/1174
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Dissertações
Fazer Download agora!Razão e expressão: o problema da moral em Theodor W. Adorno Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2012
Descrição:
ALVES Júnior, Douglas Garcia

Esta Tese é uma investigação do pensamento moral de Theodor W. Adorno. Ela reconstitui as suas linhas de força a partir do confronto com três autores centrais da modernidade filosófica: Kant, Schopenhauer e Nietzsche. O exame da filosofia moral de Kant é conduzido de forma a explicitar o tratamento de Adorno ao problema da autonomia. Com a discussão da filosofia moral de Schopenhauer, o problema da alteridade é investigado em Adorno. A filosofia moral de Nietzsche é examinada a fim de trazer à luz o problema do sentido moral em Adorno. O capítulo final articula esses problemas em termos de uma dialética negativa estética, apresentando a filosofia moral de Adorno por meio dos conceitos de mímese e de expressão. Uma concepção expressiva de razão permite apreender a orientação estética da filosofia moral de Adorno.

Palavra-chave: Adorno. Theodor W. Razão e expressão. Moral.

Downloads 746  746  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site http://
Avaliação: 5.00 (2 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 (15) 16 17 »