Educadores

Ínicio : Química : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (11)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Notas (Do pior para o melhor avaliado)

Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!A Radioatividade como tema em uma perspectiva Ciência-Tecnologia-Sociedade com foco em História e Fi Popular Versão: 2009
Atualização:  10/5/2012
Descrição:
SILVA, Luciana da Cruz Machado da

Este trabalho, desenvolvido no contexto da escola pública, buscou investigar e propor estratégias para melhorar a compreensão dos alunos de Ensino Médio sobre conceitos científicos de Radioatividade. Uma dessas estratégias consistiu em pôr em prática propostas de ensino que integrassem os conhecimentos científicos, suas aplicações tecnológicas e suas implicações sociais em um contexto interdisciplinar; bem como, valorizassem o papel do aluno como sujeito ativo no processo de aprendizagem. Questionários e produções dos alunos, além de entrevistas com professores participantes, foram utilizados para avaliar os resultados. Com base nesses materiais foi observada uma maior relevância atribuída, pelos alunos, aos conceitos científicos trabalhados e uma melhor compreensão dos mesmos.

Palavras-chave: Ensino Médio. Interdisciplinaridade. CTS. HFC. Radioatividade.

Downloads 3163  3163  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2009.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Contextualização no ensino de química: ideias e proposições de um grupo de professores Popular Versão: 2007
Atualização:  7/8/2013
Descrição:
SILVA, Erivanildo Lopes da. Contextualização no ensino de química: ideias e proposições de um grupo de professores. Dissertação (Mestrado) - Universidade de São Paulo. Instituto de Química. Depto. Química Fundamental. São Paulo, 2007.

Esta pesquisa teve o objetivo investigar as ideias e proposições de um grupo de professores a respeito da contextualização no ensino de química. Especificamente, procuramos conhecer que significados atribuem ao se referirem a práticas de ensino nas quais os conteúdos são socialmente contextualizados, como refletem sobre essa temática frente a novos conhecimentos e como tais reflexões se manifestam nos materiais instrucionais por eles elaborados.Tais ideias foram investigadas a partir de um curso de formação continuada, que procurou promover discussões e reflexões sobre a temática da pesquisa e a construção de materiais instrucionais pelos próprios professores (unidades didáticas). Foram discutidas e analisadas quatro perspectivas de contextualização no ensino, baseadas nos trabalhos de M. Lutfi, D. Auler e G. Aikenhead. Os materiais instrucionais foram analisados de modo a verificar quais concepções sobre a contextualização se refletiram nas unidades didáticas elaboradas pelos professores. A investigação foi realizada por meio de questionários abertos, atividades, relatos de professores gravados em áudio e vídeo, análise de documentos e entrevistas semiestruturadas. Os resultados desta pesquisa mostraram uma ampliação das concepções dos professores, que caracterizavam, inicialmente, o ensino de Química contextualizado como simples exemplificação e descrição de fatos ou situações do cotidiano com o intuito de ensinar química e passaram a compreender ideias de contextualização como a abordagem de questões sociais, com vistas a desenvolver atitudes e valores e à transformação da realidade social. Os dados também mostraram que as unidades didáticas foram elaboradas com diferentes perspectivas, que nem sempre refletiam as ideias dos professores. Três grupos foram observados: as unidades didáticas que refletiam as idéias manifestadas pelos professores que ampliaram seus entendimentos, as que representavam ideias de contextualização menos elaboradas do que as manifestadas pelo professor e aquelas unidades que refletiam ideias tão simplistas quanto as manifestadas inicialmente. O nível pouco elaborado de contextualização foi justificado pelo o número elevado de aulas que os professores ministram, o que os impossibilita de preparar materiais com esse perfil e a dificuldade de realizarem aulas dialogadas. Levantamos também, a questão da falta de entendimento, por parte de alguns professores, de como desenvolver materiais instrucionais com enfoque na contextualização social dos conteúdos. Percebemos dois fatores subjacentes às suas justificativas um de cunho epistemológico, que diz respeito à formação tradicional do professor fundada no conhecimento específico da Química, e outro de natureza prático-profissional, que diz respeito ao seu preparo pessoal e de suas aulas, o que exigiria maior demanda de trabalho, de maneira a resguardar o papel de professor como soberano absoluto da sala de aula.

Downloads 1744  1744  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!A História da Ciência nas Obras de Química do Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Méd Popular Versão: 
Atualização:  10/5/2012
Descrição:
TAVARES, Leandro Henrique Wesolowski

O Programa Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio (PNLEM) enquadra-se dentro de uma política pública de avaliação, compra e distribuição de obras didáticas aos professores e alunos de escolas públicas, sendo uma medida recente que atendeu, progressivamente, as disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática, Biologia, História, Química, Física e Geografia no Ensino Médio. Referente à Química, os livros didáticos enviados pelas editoras foram submetidos, em 2007, a várias etapas de análise por uma equipe de especialistas da área de Química de universidades públicas e privadas. Como resultado foi elaborado o Catálogo do Programa Nacional do Livro para o Ensino Médio (PNLEM/2008: Química), um documento que apresenta e discute, via resenha, as características das obras aprovadas, seguidas pela ficha avaliativa, no anexo. Entre os eixos orientadores dessa ficha de avaliação há critérios, eliminatórios e classificatórios, referentes à natureza da Ciência. Mas, apesar de considerarem a História da Ciência na análise, verificamos que esse aspecto - natureza da Ciência - é relatado de forma vaga nas breves resenhas de alguns livros pelo Catálogo. Dessa forma, investigamos como essas obras de Química apresentam a História da Ciência, sendo escolhido o conceito de substância química para tal verificação, uma vez que a construção dessa temática releva uma riqueza histórico-epistemológica ao longo dos anos. A análise desses materiais didáticos foi fundamentada na análise de conteúdo, um viés que possibilitou a construção de categorias para a leitura crítica do material, com subsequente identificação das características das obras. Os dados obtidos revelam que alguns autores levam em consideração, em maior ou menor grau, aspectos histórico-epistemológicos no tratamento de alguns conceitos, mas há necessidade de reverem algumas questões limitadas ou ausentes, como a discussão sobre a metodologia científica e o papel das influências econômico-político-sociais no processo de construção dos conceitos químicos. Nesse caminhar, acreditamos que o investimento na melhoria das formações inicial e continuada dos professores também é uma ação a ser repensada, criando condições mais adequadas para os docentes adaptarem e usarem metodologias e recursos didáticos variados no processo de ensino-aprendizagem.

Palavras-chave: Livros Didáticos. História da Ciência. Conceito de Substância.

Downloads 5824  5824  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNESP - FACULDADE DE CIÊNCIAS (FC) - BAURU - SP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Uma Análise Sobre a Historiografia da Química no Brasil em Periódicos - 1974 a 2004 Popular Versão: 2006
Atualização:  9/8/2013
Descrição:
SALATEO, Rosiney Rapolli

Este estudo aborda a produção brasileira de historiografia da química em artigos de periódicos, no período de 1974 a 2004. O pressuposto investigado é a interligação entre a atividade química industrial desenvolvida no país e a quantidade de artigos produzida. A discussão do debate internalista/externalista foi escolhida para iluminar alguns aspectos dessa produção, ao longo do período. Para isso, realizamos um levantamento dos artigos publicados nos principais periódicos brasileiros que abrigam a historiografia da química, bem como, uma pesquisa sobre a produção industrial do setor químico nacional no período estudado. A análise desse conjunto de dados nos revelou que existe uma inter-relação entre a produção industrial e a historiografia da química.

Palavras-chave: História da ciência. Historiografia de química. Internalismo. Externalismo. Indústria química brasileira.

Downloads 1080  1080  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Pesquisa Colaborativa e Comunidades de Aprendizagem: possíveis caminhos para a formação continuada Popular Versão: 2007
Atualização:  9/8/2013
Descrição:
MENDES, Mírian Rejane Magalhães

Neste trabalho, discorremos sobre a construção e desenvolvimento de uma proposta de formação continuada com um grupo de professores de Química do Ensino Médio. Os questionamentos que originaram este trabalho estão relacionados as nossas angústias pessoais, decorrentes de uma prática docente isolada e dificuldade de acesso a programas de formação continuada. Posteriormente, no âmbito do mestrado profissional em Ensino de Ciências, tais questionamentos passaram a ter uma maior abrangência e envolver a lógica da racionalidade técnica que direciona os programas de formação docente inicial e continuada tradicionalmente desenvolvidos. Buscando formas de superar tais problemas, propusemos aos professores de Química do Ensino Médio de Januária, Minas Gerais, uma parceria, na forma de pesquisa colaborativa, para desenvolver uma proposta de formação continuada em perspectiva crítico-reflexiva. O grupo constituído, o qual denominamos Comunidade Formação Permanente em Ensino de Química, construiu a proposta enquanto a vivenciava. Na perspectiva por nós adotada, investigação e formação se entrelaçam em um único processo. A investigação sobre a prática docente, exercida de forma colaborativa, envolveu a identificação de aspectos problemáticos relativos a essa prática e de teorias que subjazem as ações docentes. A partir desse conhecimento, foram levantados questionamentos, pesquisados novos aportes teóricos e a prática docente foi analisada à luz desses aportes. O objetivo era (re)construir conhecimentos que pudessem desencadear e alicerçar transformações que contribuíssem para a melhoria do ensino de Química e para o desenvolvimento pessoal e profissional de todos os envolvidos. Como não pretendíamos uma ação que fosse concebida e construída unilateralmente e a priori, buscamos caminhos alternativos, pelos quais pudéssemos envolver os professores não como objetos, mas como sujeitos dos processos desenvolvidos. Os posicionamentos teórico-metodológicos assumidos nos possibilitaram articular conceitos como formação continuada em uma perspectiva crítico-reflexiva, pesquisa colaborativa e comunidades de aprendizagem na implementação do nosso processo investigativo/formativo. Dos dados gerados no decorrer do processo emergiram dois focos de análise, o desenvolvimento da comunidade e o desenvolvimento do processo formativo. Embora a tarefa de análise dos dados seja tradicionalmente individual, tal perspectiva não seria coerente com o processo colaborativo por nós vivenciado até então. Assim consideramos a necessidade de incorporar as vozes dos professores-parceiros também nessa etapa. Fundamentados na concepção de que na pesquisa colaborativa pesquisadores e professores desempenham papéis diversos, porém complementares, entendemos que a contribuição dos professores-parceiros para essa etapa da nossa pesquisa não seria realizar conosco a análise sistemática, nos moldes dos trabalhos científicos, mas poderia se dar por meio de uma reflexão sobre os focos de análise identificados no processo de tratamento dos dados. A essência do nosso processo formativo, coletivo e colaborativo, é a elaboração, apropriação e aplicação de um conhecimento sistematizado, embasado na articulação teoria-prática. Dessa forma, nos constituímos sujeitos-autores dos nossos processos de formação e das nossas práticas e ampliamos nossa autonomia, enquanto construímos e percorremos os caminhos do nosso desenvolvimento pessoal e profissional.

Downloads 377  377  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2007.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Representações de estruturas submicroscópicas no ensino de ciências da natureza e suas tecnologias:  Popular Versão: 2010
Atualização:  9/8/2013
Descrição:
SANGIOGO, Fábio André

Considerando-se que é incipiente o número de estudos sobre o uso de representações de estruturas submicroscópicas em livros didáticos e em aulas da área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, esta pesquisa analisa tais representações, focalizando reflexões sobre o uso das mesmas numa perspectiva direcionada à promoção de conhecimentos científicos escolares mais significativos e socialmente relevantes. Foram analisados livros didáticos de Biologia e Química do ensino médio, bem como interações de sujeitos em formação para o ensino, na área. Para isso, foram desenvolvidos e acompanhados módulos de interação em aulas de componentes curriculares dos cursos de Licenciatura em Ciências Biológicas e em Química da Unijuí, com aplicação de questionários e registro de depoimentos sobre representações de estruturas submicroscópicas, em reuniões com sujeitos participantes do módulo. Com base na vertente teórica bachelardiana, a atenção se volta para alguns obstáculos epistemológicos que acompanham o ensino das Ciências. Por outro lado, a partir do referencial histórico-cultural, o olhar se volta para processos de construção de conhecimentos escolares mediante interações típicas a aulas de Ciências da Natureza, considerando-se a multiplicidade de contextos socioculturais em que professores e estudantes aprendem e se desenvolvem. Resultados indicam a importância de discussões sobre limites e potencialidades no uso de representações de estruturas submicroscópicas que acompanham abordagens de conteúdos/conceitos escolares. Conclui-se o trabalho ressaltando a necessidade da mobilização de saberes docentes importantes de serem considerados no processo de mediação didática de conteúdos/conceitos que envolvem o uso de representações de estruturas submicroscópicas. Abordagens, discussões e reflexões sobre as mesmas no ensino e na formação de professores podem contribuir no enfrentamento de obstáculos que limitam o acesso a conhecimentos científicos escolares que sejam coerentes com as Ciências e, também, relevantes para a formação de uma cidadania socialmente responsável.

Palavras-Chave: Formação de professores; Ensino de Ciências; Interações; Obstáculos epistemológicos; Representações de estruturas submicroscópicas.

Downloads 2472  2472  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIJUÍ  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Proposta de guia para apoiar a prática pedagógica de professores de Química em sala de aula inclusiv Popular Versão: 2010
Atualização:  27/4/2012
Descrição:
PIRES, Rejane Ferreira Machado

O ensino a alunos com deficiência visual é hoje uma realidade em nosso sistema educacional. Por isso, há qualquer momento, o professor pode deparar-se com um ou mais alunos com deficiência visual em suas classes regulares. Porém, muitos professores podem se sentir “despreparados” para trabalhar com esses alunos, principalmente no que se refere ao desenvolvimento de materiais adaptados apoiadores, que possam servir de base para organizar suas estratégias de ensino. Outra questão é a falta de materiais orientadores que possam apoiar a prática pedagógica do professor de alunos com deficiência visual. Daí surgiu nosso problema de pesquisa: como desenvolver um guia básico contendo orientações para adaptação e dicas de convivência para apoiar os professores que recebem alunos com deficiência visual? Este trabalho descreve o desenvolvimento de um material para apoiar a prática pedagógica de professores da educação básica que tenham alunos com deficiência visual em sua sala de aula. Embora aborde questões metodológicas mais voltadas para a disciplina Química, seu conteúdo geral pretende também ser útil a professores de quaisquer disciplinas. Desenvolvemos este trabalho tendo como base a teoria histórico cultural Vigotskiana. A proposta foi avaliada por professores e estudantes de licenciaturas durante uma oficina na IX Semana de extensão da Universidade de Brasília. Para isso, utilizamos instrumentos variados de análise das informações, proposto por González Rey (2002, 2005) com objetivo de compreender o ponto de vista dos professores e estudantes de licenciaturas quanto à aplicabilidade do guia. A análise das informações apontou para a real necessidade do desenvolvimento de um material apoiador, que forneça orientações metodológicas a professores de alunos com deficiência visual.

Palavras-chave: Deficiência visual. Inclusão. Ensino de Química.

Downloads 1224  1224  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2010.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Construção de uma matriz de planejamento e avaliação em Ensino de Química Popular Versão: 2009
Atualização:  27/4/2012
Descrição:
LIMA JÚNIOR, Carlos Torquato de

Este trabalho relata o processo de construção de uma Matriz de Planejamento e Avaliação para o Ensino de Química. Insere-se no contexto do Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências da Universidade de Brasília, especificamente na linha de pesquisa Ensino de Química: Materiais de Ensino de Química. O trabalho contempla as recomendações das Diretrizes Curriculares Nacionais, que preconiza o desenvolvimento de competências básicas para a inserção de nossos jovens na vida adulta. Destinamos grande parte do trabalho ao embasamento teórico dos conceitos: matriz, planejamento, avaliação, competências. Para tanto, recorremos à literatura especifica, além dos documentos oficiais. Confiantes nos referenciais adotados, construímos uma Matriz de Planejamento e Avaliação para o Ensino de Química.Após a construção, utilizamos a Matriz como instrumento para planejarmos uma Unidade de Ensino, cujo tema foi: Química e atmosfera. A Unidade foi desenvolvida em duas turmas de primeiro ano do Centro Educacional 01, Escola de Ensino Médio do Riacho Fundo 1, uma Região Administrativa de Brasília. Toda a Unidade de Ensino foi desenvolvida em 23 aulas no segundo semestre do ano letivo de 2008. O processo avaliativo teve a intenção formativa, com a utilização de portfólio como instrumento de avaliação, além de uma prova, construída com a utilização da Matriz. Como proposta de ação profissional, descrevemos o procedimento deconstrução de uma Matriz de Planejamento e Avaliação, bem como algumas sugestões para sua utilização em sala de aula. A intenção é que esse material seja utilizado por outros professores de Química do Ensino Médio.

Palavras-chave: Matriz. Planejamento. Avaliação. Ensino de Química.

Downloads 582  582  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2009.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Estratégias de ensino-aprendizagem de conceitos relacionados ao tema equilíbrio químico utilizando m Popular Versão: 2010
Atualização:  9/8/2013
Descrição:
VIANA, Ana Paula Pinto

A pesquisa desenvolvida teve a intenção de propiciar elementos para auxiliar o trabalho docente ou orientar aqueles que de alguma forma estejam interessados em fazer com que o processo ensino-aprendizagem ocorra de forma analítica, abrangente, integrada e integradora, contribuindo para formar cidadãos capacitados para enfrentar um mundo tecnificado, informatizado e competitivo, oferecendo ferramentas para melhor compreendê-lo ou interpretá-lo. Nessa perspectiva, procuramos levantar e discutir as concepções mais relevantes apresentadas por alguns alunos do 3º Ano do Ensino Médio acerca dos conceitos envolvidos no tema Equilíbrio Químico, buscando analisar os principais obstáculos envolvidos nesse tema e, a partir das concepções identificadas, desenvolver uma proposta de estratégias de ensino-aprendizagem dos respectivos conceitos, por meio do uso de modelos e modelagem. Modelos e processos de elaboração de modelos estão no centro de qualquer teoria e são fundamentais para a construção do conhecimento científico. Assim, a escolha por uma abordagem que utilize modelos e processos de modelagem propicia a aprendizagem de conceitos de forma analítica, participativa e articulada, rompendo com os moldes da corrente positivista ainda presente em muitas salas de aula. O estudo foi desenvolvido como uma pesquisa-ação com um grupo de alunos do 3º Ano do Ensino Médio em uma escola cenecista de uma cidade do Noroeste de Minas Gerais. A coleta dos dados deu-se por meio dos materiais escritos produzidos pelos alunos, bem como de gravações de áudio de todas as aulas, contemplando as discussões das propostas expostas pelos alunos nos grupos, entre os pares e com a professora, e as apresentadas à turma. Foram discutidas todas as propostas apresentadas pelos grupos e, a partir de processos de reflexão mediados, foi elaborado um modelo consensual abrangendo os principais fatores determinantes do equilíbrio químico. A análise dos dados permitiu discutir a contribuição de cada um dos elementos da estratégia proposta, evidenciando a importância da discussão das ideias prévias dos alunos e como concebem as entidades submicroscópicas e suas transformações. Os resultados dessa pesquisa mostram que a estratégia proposta propicia uma aprendizagem mais ampla e emancipatória, suportando adaptações para o ensino de outros conceitos químicos de forma similar. Como nenhuma pesquisa em Educação se esgota por completo, sugerimos a utilização dessa estratégia fundamentada em modelos e modelagem na busca da compreensão de como alunos e professores concebem o "como‟ e o "porquê‟ de outros fenômenos, tais como: ligações químicas, interações intermoleculares e suas implicações, cinética química, entre outros.

Palavras-chave: Modelos. Modelagem. Equilíbrio químico. Mediação.

Downloads 643  643  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2010.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Química Dissertações
Fazer Download agora!Fontes de energia - usos e consequências. Proposta de material didático para o ensino de ciências Popular Versão: 2009
Atualização:  27/4/2012
Descrição:
BASTOS, Denise Cunha Sardenberg

A passagem da primeira década do século XXI marca o surgimento de uma nova visão de mundo, baseada na compreensão plena da finitude dos recursos naturais que o Planeta pode prover, juntamente com a percepção das consequências ambientais que o consumo desmedido provoca e que podem, claramente, comprometer a vida na Terra. A situação atual força uma reflexão sobre qual é a melhor forma de organização social para preservar os recursos naturais e energéticos do Planeta e, que ao mesmo tempo, seja um sistema inclusivo. Um entendimento mais amplo das várias forças que concorrem para a nova sociedade ora em construção, que implica mudança de cultura, torna-se oportuno para a geração de estudantes que atualmente cursa o ensino médio e que se transformará em força de trabalho na próxima década. Como a questão energética é central em qualquer movimento de reorganização que se pretenda para a sociedade atual, essa dissertação teve como objetivo a preparação de um Material Didático, dirigido aos professores do ensino médio, tendo como tema norteador o estudo dos combustíveis para o aprendizado de parte dos conteúdos de Química. Tomando-se por base a matriz energética brasileira, que utiliza 46% de recursos renováveis, muito acima da média mundial que é de 12%, além das recentes descobertas de campos de petróleo em camadas mais profundas do oceano, o entendimento da maneira pela qual o país alcançou resultados tão relevantes se relaciona com os dados obtidos pela pesquisa acadêmica e suas aplicações tecnológicas. Assim, o ponto de partida para a confecção desse material foi transpor os resultados das pesquisas sobre o petróleo e o álcool realizadas no Centro de Pesquisa da Petrobras (CENPES) e os resultados das investigações realizadas no Laboratório de Materiais Combustíveis (LMC), instalado no Instituto de Química da Universidade de Brasília, que concentra suas pesquisas no biodiesel. Ao escolher os resultados da pesquisa acadêmica como ponto de partida na preparação desse material de ensino, o instrumento que se julgou mais apropriado para sua construção foi o método de Transposição Didática desenvolvido por Yves Chevallard. A contextualização do tema priorizou as relações Ciência — Tecnologia — Sociedade — Ambiente, um movimento denominado CTSA, que enfatiza a importância do conhecimento na formação de um cidadão mais crítico na sua atuação na sociedade. Os conceitos abordados a partir de tal perspectiva permitem ampliar o escopo de interferência positiva que esses alunos podem exercer no futuro em suas áreas de atuação profissional.

Palavras chave: Combustível. Material didático. Transposição didática. Pesquisa científica.

Downloads 678  678  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UnB, PPGEC, 2009.  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


(1) 2 3 4 5 6 »