Educadores

Ínicio : Sociologia : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (18)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Notas (Do melhor para o pior avaliado)

Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!No bico do corvo: nove narrativas de velhos: corpo e voz  Popular Versão: PDF
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
D´AQUINO, Nora

Resumo: “No bico do corvo — nove narrativas de velhos: corpo e voz”, situa a velhice enquanto etariedade, vivida por velhos com mais de oitenta anos, exposta de viva voz — testemunhos. O texto desenvolve um cenário sócio-histórico com o intento de situar o objeto lentamente, gradualmente; dada sua obviedade intrínseca: ao longo do tempo, é velho quem está vivo. Essa aparente “naturalidade” pode simplificar um processo sociológico sofisticado de construção e manutenção em habitar um corpo biológico decadente, num viés de novidade; na contramão de uma cultura que privilegia o utilitário, o fazer, o jovem; que confunde as esferas público/privado e cala o homem. No Brasil, país em dívidas sociais contundentes, a velhice — uma minoria que se avoluma exponencialmente — margeia o assistencialismo sob o risco do isolamento. As narrativas contextualizam: quem está vivo quer estar entre homens. Exibem um impacto com o existir, desenham fronteiras míticas que não nos isentam. Num átimo estamos reféns, reconhecemos personagens, situações — um encontro com a história, com a ética do viver no privado e no público, responsabilidade à qual não é possível exonerar-se. As narrativas assim como as experiências artísticas, as performances, ecoando o íntimo na presença de outros, imprimem uma espécie de realidade ao mundo e aos homens. Os autores são mencionados à medida que contribuem com as questões que a voz escancara: a linguagem enquanto instituição social que constrói o tempo, o corpo e o lugar; um dizer que não é só literal, que potencializa o sentido numa medida de ressonância, como na poesia; a exigência que a vida e a morte fazem ao homem da presença no tempo, no corpo e a construção da história — o trapézio como um convite à voz.

Palavras-chave: Velhice. Voz. Corpo. Público/privado.


Downloads 2658  2658  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/2299
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Colônia Mergulhăo : o sentido da tradiçăo na ruralidade contemporânea  Popular Versão: PDF
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
TONIETTO, Marileia

Resumo: Análise das formas de vida de um grupo de agricultores familiares descendentes de imigrantes europeus residentes na colônia Mergulhão, comunidade situada no espaço rural de São José dos Pinhais, um dos municípios pertencentes à porção Sul da Região Metropolitana de Curitiba. O recorte temporal é o período posterior à implantação das atividades de turismo rural na colônia, momento de instituição da rota de turismo “Caminho do Vinho”, em 2000. Tem por objetivo analisar como se reconstrói o mundo rural no âmbito das dinâmicas sociais das relações campo-cidade na contemporaneidade. Especificamente, o estudo se propõe a analisar as alternativas de sobrevivência das famílias; a verificar o grau de inserção de novas atividades – agrícolas ou não –, observando se o rural mantém-se associado ao agrícola; a compreender a rede de relações entre as famílias, seus laços com a localidade e o sentimento de pertencimento à comunidade que daí decorre; além de averiguar o grau de persistência de características do rural tradicional nos modos de vida das famílias. Fundamentado em dois eixos de análise, a organização produtiva e a organização comunitária da colônia, o estudo constatou a ocorrência de um movimento de reorganização produtiva dos habitantes do lugar, em função da implantação de atividades relacionadas ao turismo rural. As novas atividades, a princípio percebidas apenas como uma alternativa a mais para obtenção de renda, promovem a ampliação da rede de sociabilidade dos agricultores familiares e passam a institucionalizar novas formas de organização social na comunidade. A intensificação das trocas com elementos sociais, culturais e econômicos distintos, ao invés de descaracterizar as peculiaridades do espaço rural, reafirma a identidade social dos agricultores familiares. Ultrapassando o mero aspecto econômico, a ruralidade local assume novo significado: sua tradição é valorizada como patrimônio sociocultural de um grupo.

Palavras-chave: Agricultura Familiar. Sociabilidade. Ruralidade. Relações Rural- urbano.

Downloads 1338  1338  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/2542
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!A federaçăo dos trabalhadores na agricultura familiar : um novo sindicalismo em construçăo Popular Versão: pdf
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
RODRIGUES, Almir Sandro

Resumo: Esta pesquisa objetiva investigar de que maneira a Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF), manifesta atualmente um novo sindicalismo. Para tanto, busca compreender como suas intenções e suas práticas consolidam inovações no campo sindical, permitindo o fortalecimento da agricultura familiar e a construção de um projeto de desenvolvimento sustentável e solidário. No referencial teórico resgata-se os conceitos de Pierre Bourdieu como: campo, habitus, práticas, estratégias, capital social e capital simbólico; estes conceitos tanto embasam a análise de um campo sindical e de um campo de representação da agricultura familiar quanto possibilitam o uso de uma sociologia das práticas dos dirigentes sindicais da Federação, a partir de sua trajetória social e política. Para isto, foram utilizados vários instrumentos metodológicos de caráter qualitativo, com destaque nas entrevistas semiestruturadas com dirigentes da Federação e com presidentes de sindicatos associados a ela. Os dirigentes sindicais começam a elaborar práticas que indicam possíveis manifestações de um novo habitus. A história do sindicalismo no Brasil, em especial, o sindicalismo rural cutista é básica para as elaborações deste trabalho, assim como, o surgimento de diversas organizações de representação da agricultura familiar, dentre as quais destaca-se a FETRAF. Nesta perspectiva, através de uma leitura teórico-prática da estrutura sindical e dos eixos estratégicos da Federação, foram possíveis analisar os seus avanços no campo sindical, propiciando entendê-la como um novo sindicalismo em construção.

Palavras-chave: Novo sindicalismo. Campo sindical. Campo de representação da agricultura familiar. Desenvolvimento sustentável e solidário.

Downloads 1199  1199  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/2994
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Programa de transferência de renda condicionado: bolsa escola: o resgate da cidadania atraves da edu Popular Versão: pdf
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
SILVA, Isabel Cristina

Resumo: A dissertação “Programa de Transferência de Renda Condicionado - Bolsa-Escola: o resgate da cidadania através da educação”, tem o propósito de fazer uma leitura da importância de programas de transferência de renda condicionada para a construção da cidadania, mediante a inserção social das camadas mais pobres da população. O conceito de cidadania será apresentado, na amplitude dos direitos civis, sociais e políticos. No que se refere a questão social, aborda-se os fatores históricos que levaram Castel a construir o conceito (2001), de ‘desfiliação’. Segundo o autor, ‘desfiliado’ é aquele indivíduo que em um mundo estruturado, desatrelou-se das redes de integração primária. Isto ocorre quando sua inscrição territorial não tem condições de assegurar a sua rede de proteção, deixando-o cair em estados de privação. Para melhor compreender o que são estes estados de privação, estudou-se o conceito de pobreza e dos indicadores utilizados para mensurá-la. Em seguida, apresentam-se os programas da Rede de Proteção Social – RPS – existentes no Brasil, em 2002. Logo depois, os programas de transferência de renda condicionados à educação: o Programa Bolsa Escola, primeiramente aplicado no Governo do Distrito Federal em 1995, o programa Bolsa-Escola Cidadã, da Organização Não Governamental Missão Criança (1998), o Programa Bolsa-Escola Federal e o Programa aplicado no Governo do Distrito Federal, a partir de 2001, o ‘Renda Minha’. Em seqüência, demonstra-se a metodologia utilizada pelo Banco Mundial para a avaliação de impacto de programas de transferência de benefícios, para a mensuração dos resultados que os programas trazem às comunidades nas quais são aplicados. Por fim, apresenta-se o programa de desenvolvimento humano do México, o OPORTUNIDADES e compara-se o mesmo com os programas brasileiros, incluindo o Bolsa-Família, programa que absorveu o Bolsa-Escola em 2003. A compreensão dos atuais problemas que afligem a nossa sociedade auxilia, conforme palavras de Bourdieu (2003, p. 735) “aos que sofrem que descubram a possibilidade de atribuir seu sofrimento a causas sociais e assim se sentirem desculpados; e fazendo conhecer amplamente a origem social, coletivamente oculta, da infelicidade sob todas as suas formas, inclusive as mais íntimas e as mais secretas”. Pois, segundo o autor, o que o mundo social fez, o mundo social pode, armado deste saber, desfazer. Considera-se que os conceitos aqui apresentados são instrumentais para discutir o processo de desfiliação e auxiliar na busca de novas formas de inclusão social.

Palavras-chave: Bolsa-Escola. Programas de Transferência Renda Condicionado Benefícios. Pobreza. Cidadania e Educação.

Downloads 795  795  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/2334
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!De operário a presidente : a imagem política de Lula no horário eleitoral da televisăo nas camp Popular Versão: PDF
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
ANTONIUTTI,Cleide Luciane

Este trabalho tem por finalidade analisar de forma comparativa a imagem política no espaço televisivo durante a exibição do Horário Gratuito de Propaganda Eleitoral (HGPE) nas disputas presidenciais de 1989 e 2002. A pesquisa tem como objeto de estudo as propagandas eleitorais do candidato Luis Inácio Lula da Silva (PT). O estudo pretende enfatizar o caráter propriamente audiovisual da campanha no HGPE, analisando como os programas do PT se valeram diferentemente dos recursos comunicativos da televisão na construção da imagem de Lula nas duas campanhas. O que se pretende investigar neste estudo é de que forma a propaganda eleitoral veiculada no HGPE contribui para a construção e consolidação da imagem política do candidato. Além da análise dos programas de televisão, o estudo dedica um capítulo sobre a relação da mídia com a política. Vemos a partir desta discussão teórica, que cada vez mais os processos eleitorais, partidos e candidatos passam a operar com a lógica dos meios de comunicação. Assim, a política contemporânea lida cada vez mais com imagens públicas construídas através da mídia, para as quais os líderes políticos devem estar preparados para adaptar suas atividades a um novo tipo de visibilidade.

Palavras-chave: Política. Imagem política. Mídia. Televisão. Propaganda eleitoral.

Downloads 1491  1491  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/3724
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!A subjetividade no novo tempo de trabalho: um estudo sobre a flexibilidade Popular Versão: pdf
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
PAIXÃO, Alessandro Eziquiel da

Nas novas formas de gerenciamento e de organização de produção engendradas pela reestruturação produtiva, não bastaria ao trabalhador ser apenas força detrabalho dentro de uma determinada jornada de trabalho. A subjetividade do homem é chamada a participar do processo de produção de mercadorias. Na procura desta subjetividade o capital inaugura uma nova forma de organização temporal que representa um esforço apreensão de outros elementos que não somente o tempo de trabalho. Desta forma, o objetivo da pesquisa foi compreender o processo de reestruturação produtiva – e mais especificamente os aspectos ligados ao tempo de trabalho e à subjetividade do “novo” trabalhador – a partir da ótica do trabalho e do trabalhador, tendo como objeto de estudo a indústria automobilística paranaense , mais especificamente o complexo industrial da Audi-Volks localizado na RMC. Esta perspectiva na abordagem do objeto significa, sobretudo, que o fio condutor da pesquisa não se encontra no processo de reestruturação produtiva das empresas apesar de estar intimamente ligado a ele; mas nas categorias trabalho e tempo de trabalho. É a partir destas que se inicia e são elas que conduzem a análise. Com a subjetividade participando da produção, o trabalho perderia o seu caráter alienado e o homem que trabalha poderia expressar-se enquanto homem e não como força de trabalho que confere valor à mercadoria pelo seu tempo. Surgiria um “novo” homem e um “novo” trabalho. Contudo, a expressão da subjetividade e da individualidade do trabalhador, propostas de um “novo” tipo de trabalho e de trabalhador da empresa flexível, são inseridos, contraditoriamente, na dinâmica do trabalho abstrato. Contraditoriamente pois esta subjetividade que poderia transformar de fato a força de trabalho em homem e o trabalho no momento de expressão e afirmação deste, é apenas mais um elemento que necessita estar presente na produção. Passa a existir então uma força de trabalho dotada de subjetividade. Aquela subjetividade que propiciaria ao trabalhador escapar da condição de força de trabalho acaba entrando no circuito da mercadoria. Assim, a leitura do processo produtivo flexível a partir da teoria do valor de Marx evidencia como além do tempo físico da jornada de trabalho, o capital procura outros elementos passíveis de participarem do processo de produção de mercadorias: determinadas atitudes, disposições, valores e comportamentos, são chamados a incorporar valor aos produtos e técnicas de produção. Na tentativa de apreensão da subjetividade do trabalhador, a flexibilidade promove uma “desorganização” temporal que faz com que mesmo o tempo de não-trabalho seja reificado. A jornada de trabalho perde a sua delimitação, uma vez que mesmo o trabalho não realizado, mas já planejado e apropriado pelo capital, apareça antecipadamente reificado na forma de tempo, mais especificamente na forma das horas negativas do banco de horas da empresa. A relação que se dava às costas dos trabalhadores, com a redução dos seus trabalhos concretos a trabalho abstrato que conferia valor à mercadoria, se dá, agora, abertamente e para além de um tempo de trabalho. A flexibilidade impõe diferentes ritmos e arranjos temporais, transformando a organização do tempo em um “quebra-cabeça”, que perde a denominação e a delimitação imediata de tempo de trabalho. Assim, o processo de apreensão da subjetividade do trabalhador configura-se em um processo de exacerbação da forma abstrata do trabalho, que possibilita ao capital transformar em valor outros elementos que não somente o tempo de trabalho.

Palavras-chave: Tempo de trabalho. Trabalho abstrato. Subjetividade.


Downloads 703  703  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/4260
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Constituição do campo da Assistência Social no Paraná : política pública, institucionalidade e sujei Popular Versão: PDF
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
SILVEIRA, Jucimeri Isolda

Resumo

Este trabalho apresenta um estudo sociológico sobre o processo de formação do campo da Assistência Social no Paraná a partir da promulgação da Lei orgânica da Assistência Social (LOAS) em 1993, nos marcos do novo pacto federativo brasileiro e do movimento descentralizante desencadeado. Para tanto, são totalizados elementos significativos sobre a relação sincrética entre a Assistência Social, filantropia e Serviço Social; e a formação do padrão de proteção social brasileiro, na relação entre Estado, Sociedade civil e demandas sociais por inclusão pelos aparatos institucionais, com ênfase no processo de construção das municipalidades, quanto à estruturação do Sistema Descentralizado e Participativo e gestão da política. O referencial teórico-metodológico em Pierre Bourdieu ofereceu condições para a reconstrução categorial em relação ao universo empírico, especialmente quanto às noções de campo, com ênfase na constituição dos espaços relacionais de poder que revelam posições diferenciadas entre os sujeitos sociais com apropriação heterogênea de capitais; institucionalidade na conformação das regras que dão legalidade e legitimam o campo: entre conflito e consenso, conservação e transformação. Após a síntese sobre a produção legal do campo com ênfase na reengenharia sócio-institucional, são explicitados os traços fundamentais do processo de implementação da LOAS no Paraná adensados pelos olhares dos conselheiros estaduais de assistência social, na direção da política enquanto direito do cidadão e dever do Estado.

Downloads 1504  1504  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/6599
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Transgenia agrícola e modernidade: um olhar sobre as disputas simbólicas e práticas conflitivas na s Popular Versão: pdf
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
BENTHIEN, Patrícia Faraco

Resumo: Quando me propus a realizar esta pesquisa acerca da transgenia agrícola, não se sabia ao certo qual seria seu fim, e hoje percebo que tal fim nunca existiu e nem poderia existir, já que os horizontes que as reflexões sobre o tema me lançaram são amplos demais para serem abordados em uma pesquisa de mestrado e, pelo que tudo indica, muito recentes para que sejam definidos seus traçados finais. Esta pesquisa tem o intuito de se transformar em um trabalho mais amplo, com a atenção e o tempo que um tema tão recente e instigante como este merece. Tenho consciência de que a escolha deste tema, que emerge como um problema há pouquíssimo tempo, tem vantagens e desvantagens, o que o torna necessariamente difícil de ser abordado, mas não por isto menos instigante. As vantagens se materializam na possibilidade de identificação de algumas questões que surgem conjuntamente com a emergência recente do tema, e por meio dos fatos históricos que lhe são anteriores (este é um dos focos principais deste trabalho), mas as desvantagens se apresentam na incapacidade de percebermos e definirmos claramente alguns possíveis rumos que a questão tomará num futuro próximo, ou mesmo longínquo, já que nos encontramos em um período ainda em transformação. Espera-se que, em alguns anos, tais rumos se tornem mais claros para aqueles que depositarem olhares atentos sobre a questão. A aplicação da transgenia à agricultura, fruto de um rápido processo de desenvolvimento da engenharia genética, que ocorreu no final do século XIX e início do século XX, torna-se um tema debatido na academia e nas sociedades principalmente a partir da década de 70 quando, de descoberta científica e procedimento técnico, passa a ser compreendida e se consolida como um problema sócio-ambiental. Tal consolidação é reflexo, entre outros motivos, de uma nova forma de intervenção humana e tecnológica na natureza (que incide sobre a vida); da incerteza, insegurança e medo que acompanham a percepção social dos riscos desta nova tecnologia; e da articulação, conflitos e debates sobre o tema entre Estados, organizações não-governamentais (ONGs) – entendidas, aqui, como organizações institucionalizadas e reconhecidas pelo Estado cujo objetivo volta-se à promoção do interesse público e movimentos sociais – compreendidos como grupos de indivíduos de que auto-reconhecem enquanto movimento, atuando em prol de certas mudanças sociais, econômicas e políticas. Os Estados, movimentos sociais e ONGs emergem como atores importantes na constituição da transgenia enquanto um problema socioambiental.

Downloads 1418  1418  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/7424
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Políticas fundiárias e desenvolvimento local: o papel do Banco da Terra na reconstruçăo do rura Popular Versão: pdf
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
SANTOS, Fabio Fraga dos

O programa do Banco da Terra tem como objetivo oferecer crédito a pequenos agricultores para a compra de terras, na tentativa de operacionalizar a inserção dos mesmos ao processo produtivo agrícola. Esta política pública foi estruturada para proporcionar uma ação descentralizada, a qual a localidade assume um papel importante através da participação de diversos atores sociais que visam, em última instância, uma sustentabilidade sob ponto de vista econômico, social e ambiental. As transformações nas relações entre agricultores familiares, ocasionadas entre outros fatores, por este tipo de política pública, possibilitam um vasto processo de possíveis configurações no meio rural. Neste trabalho procuramos compreender esse processo de reestruturação social, apontando as estratégias produtivas dos agricultores de um projeto do Banco da Terra implantado na região de Londrina.


Downloads 780  780  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/7421
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!A crise da Central Única dos Trabalhadores do Paraná nos anos 90  Popular Versão: pdf
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
PICANÇO, Katya Cristina de Lima

Resumo: A Central Única dos Trabalhadores do Paraná viveu nos anos 90 uma crise relacionada coma quebra da ação aglutinadora cutista, objetivo pretendido nos estatutos da CUT. Há uma mudança na ação sindical que revelou a fragilidade do sindicalismo cutista paranaense quanto às pressões da conjuntura – retração das categorias, a política neoliberal do governo estadual – e da sua burocratização – pouca organização na base, corporativismo,pouca renovação de quadro dirigentes a contradição entre a política votada e sua aplicação. Esta burocratização se desenvolve quando a direção do movimento sindical cutista sucumbe frente um modo de vida materialmente desvinculado do cotidiano do trabalho, quando métodos administrativos retiram da maioria dos indivíduos envolvidos, o poder de decisão e o controle sobre a ação daqueles que vão administrar. Esta dinâmica foi crucial para a quebra da ação aglutinadora cutista – a unidade entre os trabalhadores.

Palavras-chave: Burocratização. Sindicalismo. Crise. CUT.

Downloads 765  765  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/4801
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 »