Educadores

Ínicio : Pedagogia : Dissertações : Produções de Profissionais da Seed: Dissertações : 



Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Popularidade (Do menos para o mais procurado)

Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Educação: o Brasil e o Estado do Paraná entre os anos de 1960 e 2010 Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
MIRANDOLA, Luci Mara

Esta dissertação é resultado de uma investigação documental e bibliográfica que tem por objetivo analisar a história da educação escolar no Brasil e no estado do Paraná, entre as décadas de 1960 a 2010. A pesquisa se ocupado contexto histórico e da educação, a partir da década de 1960, por entender o significado do Estado autoritário e seus resquícios antidemocráticos para a educação. Também se constitui objeto de investigação a década de 1980, que, marcada pela emergência a crítica aos governos militares, expressou os ideais democráticos da sociedade, por intermédio de movimentos sociais, lutas populares e do multipartidarismo -década fértil para a produção educacional em que a Pedagogia Histórico-Crítica emerge como uma proposta educacional pensada coletivamente por intelectuais brasileiros, referenciada nos pressupostos marxistas. Na sequência, analisamos as transformações ocorridas na década de 1990, implementadas sob a influência da ideologia neoliberal em que predominou a desregulamentação econômica e a reforma do Estado, resultando em um sistema educacional redefinido e orientado por organismos internacionais para atender à demanda do mercado e de modo a formar o novo trabalhador. Nesse cenário, em 2002, enquanto é eleito o primeiro presidente da República pelo Partido dos Trabalhadores, no Paraná, depois do Governo Lerner, Roberto Requião de Mello e Silva é reeleito para o governo do Estado pelo PMDB. Tanto Lula como Requião, fizeram campanhas se comprometendo com as classes populares. Contudo ao se analisar a educação articulada à totalidade histórica desse período, constatou-se que ela, mais do que transformar a realidade social, acabou contribuindo para a reprodução das desigualdades sociais e a superexploração do trabalho, alicerça das no projeto hegemônico do capital.

Palavras-chave: História da educação. Educação paranaense. Democracia. Sociedade.

Downloads 848  848  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!A educação rural no Brasil e no Paraná nos anos 50 e a materialização no curso normal regional de Gu Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
PALHANO, Isabel Castilho

A presente dissertação historiciza o período brasileiro do pós-guerra, contexto de reorganização mundial das grandes potencias capitalistas. Momento em que o discurso liberal da universalização dos direitos humanos apresenta a educação como uma das prioridades frente às exigências do mundo capitalista. No Brasil o discurso de modernização atribui à educação rural a responsabilidade de superação do atraso econômico, princípio que leva a criação de programas e cursos específicos para este meio. Neste contexto a referida pesquisa analisa as contradições presentes nas propostas de formação para professores rurais dos anos 50 por meio do pensamento curricular. Considerando um período histórico desde 1945 até 1964, evidencia, além das contradições do contexto educacional, também o econômico, político e social. Com ênfase na efetivação das políticas de Estado orientadas pelos organismos internacionais. Como que essas políticas se efetivaram em nível nacional, estadual e guarapuavano? Quais concepçôes filosóficase ideológica fundamentaram as reformas de ensino implementadas no Curso Normal Regional? Para responder essas indagações,além do referencial teórico,analisam-se documentos que orientaram as propostas dos cursos de formação de professores dos anos 50 em nível nacional, estadual; como também os diários de classe do Colégio Belém, em Guarapuava-PR; fragmentos de jornais da época; mensagens e relatórios de governadores. Evidencia-se que dentro do discurso modernizante o país assume o modelo político do nacional-desenvolvimentismo, gerando demandas por mudanças educacionais. No entanto, entre avanços e rupturas dessas mudanças explicita-se a contradição da coexistência de conteúdos da psicologia cognitivista e da pedagogia enciclopedista (verbal memorística), pois se privilegiam conteúdos escolanovista com metodologias conservadoras, portanto, são reflexos correspondentes aos ideais do pensamento pedagógico nacional e estadual que se efetiva em Guarapuava. Enquanto na educação rural, diante das contradições explicitadas, evidenciam-se elementos que se apresentam como instrumentos da luta da classe trabalhadora do campo, como a alfabetização e o surgimento de sindicatos. Mas, contraditoriamente o período do desenvolvimentismo redimensionou-se para um capitalismo dependente “centro-periferia” que tem acirrado a exploração e a precarização do trabalho enquanto produção humana.

Palavras-chave: Nacional-desenvolvimentismo. Educação rural. Curso normal regional. Pensamento curricular.

Downloads 855  855  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNICENTRO  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!A inserção da esfera privada no âmbito da esfera pública: uma análise da gestão no estado do Paraná Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
CAMPOS, Vilma dos Santos Militão de

A década de 90 se configurou num importante marco histórico devido à sua conjuntura construída sob os princípios do neoliberalismo. Nesse período, o Paraná foi também assolado pelas políticas neoliberais, assim como todo o país, cujo processo de reforma foi inaugurado no governo de Collor e perpetuado por FHC. No Paraná, durante o governo Lerner, o resultado dessas políticas foi um período intenso de privatizações de empresas estatais, terceirizações, descentralização de obrigações e desresponsabilização do Estado, controle fiscal, redução e extinção de direitos sociais adquiridos, etc. O Estado foi marcado por uma forte influência e intervenção dos organismos internacionais, sob um discurso pautado na democracia, num modelo de gestão compartilhada. Em 2003, assumem Lula como presidente do Brasil e Requião como governador do Paraná até 2010. Instaura-se assim a promessa de “mudança” para romper com os ditames neoliberais que vinham assolando o país e o Estado. A partir desse momento, o Paraná passou a vivenciar um novo tipo de regulação, que, apesar do discurso de descentralização, a política educacional tem sua formulação e gestão centralizada na SEED. Tomando por base tal contexto, esta dissertação objetivou compreender se os mecanismos de inserção da lógica privada na organização da esfera pública foram evidenciados no Governo Requião e se ocorreram rupturas em relação ao Governo Lerner, bem como por meio de quais mecanismos se expressou esse modelo de gestão escolar implementado no Estado do Paraná, cujo recorte temporal circunda o período de 2003 a 2010. A metodologia envolveu pesquisa bibliográfica, análise documental e entrevistas com um representante da SEED e representante da APP, os quais desempenharam as suas funções durante o período estudado. Consideramos que o governo de Requião se propôs ser democrático e buscou se contrapor à concepção neoliberal e mercadológica da gestão, financiada pelos Organismos Internacionais, anteriormente expressa na realidade do país e do Estado. Nesse sentido, dois documentos do seu governo expressaram essa busca: a construção do PEE (2003-2006), enquanto política de Estado, como inicialmente foi apresentada; e o PDE Escola Estadual (2007 - 2010), enquanto ferramenta de gestão.O processo de construção do PEE/PR criou momentos e elementos importantes na busca de uma educação pública de qualidade, contudo, não alterou as bases que historicamente movem os direcionamentos das políticas educacionais. O PDE Escola Estadual, resultando de uma “remodelagem” do PDE do MEC, embora apresentasse uma concepção crítica de educação não conseguiu eliminar as suas bases fundamentadas no modelo sistêmico de gestão. Portanto, no governo Requião houve rupturas e continuidades com um projeto societário dependente e favorável ao capital. Representou avanços significativos na educação por meio das políticas de gestão, amparado em momentos de participação dos sujeitos rumo à construção de um projeto próprio de educação para o Estado, esbarrando, contudo, em limites nacionais e do seu próprio governo que fez com que não provocasse alterações profundas, promovendo mudança na aparência e não na essência da gestão, que historicamente carrega em si a concepção de educação pública sob a lógica privada como alternativa para a qualidade educacional.

Palavras-chave: Estado/Paraná. Público/privado. Políticas Educacionais/Gestão.

Downloads 868  868  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicentro  Site 
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Debates sobre a dislexia em tempos de precarização da escola, do trabalho docente e das relações fam Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
ELIAS, Dinora de Godoy

Atualmente a educação escolar tem sido o principal meio de acesso aos saberes científicos elaborados pela humanidade. Contudo, isto não está posto a todos. Ao concluírem o Ensino Fundamental, algumas crianças apresentam defasagens quanto ao domínio das habilidades básicas de leitura, escrita e cálculo, muitas das quais recebem o diagnóstico de dislexia. Partindo desta constatação, pretendeu-se nesta pesquisa analisar os problemas que envolvem a perspectiva biologizante sobre a dislexia, e sua conceituação como um transtorno de aprendizagem na área da leitura e da escrita. Optou-se pelo referencial teórico proposto pela Psicologia Histórico-Cultural, o qual indica que todos possuem condições para aprender constituindo-se enquanto gênero humano, a partir do desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Identificou-se, nas escolas públicas do município de Guaraniaçu –PR, em 2013, o número de crianças diagnosticadas, em laudo médico, como disléxicas, e qual o atendimento educacional que recebiam. Investigou-se a legislação estadual que orienta o atendimento educacional especializado oferecido aos alunos disléxicos, detectando-se contradições entre os fundamentos teóricos e a forma de ingresso nesse serviço. Na pesquisa de campo aplicaram-se questionários aos professores que lecionam nos anos iniciais do Ensino Fundamental, e que atuam como regentes de classe da única escola municipal que oferece atendimento educacional especializado em Sala de Recursos Multifuncional –Tipo I, e a todos os docentes da disciplina de Língua Portuguesa dos anos finais desse nível de ensino, nas escolas da rede estadual desse município, no intuito de analisar como esses profissionais entendem e organizam seu trabalho diante das dificuldades de aprendizagem dos alunos diagnosticados como disléxicos. Entrevistaram-se as crianças que possuem laudo de dislexia, e suas mães, a fim de identificar como chegaram a esse diagnóstico e quais as consequências desse documento para o seu percurso escolar. Dos alunos pesquisados, três apresentavam dificuldades de ordem biológica que, de certa forma, poderiam indicar problemas neurológicos. Com relação aos outros catorze alunos, identificaram-se nos relatos, justificativas pedagógicas para a não aprendizagem no tempo considerado adequado. Concluiu-se, identificando alguns pontos comuns na origem da dislexia, os quais se vinculam à precarização da escola pública destinada aos alunos da classe trabalhadora, envolvendo o trabalho docente inadequado às necessidades dos alunos por situações que transcendem a vontade individual desses profissionais e também às relações familiares que se encontram ainda atreladas a condições sociais e a modelos valorativos impostos socialmente, que não permitem o adequado acompanhamento do processo de formação humana da criança em idade escolar.

PALAVRAS-CHAVE: Dislexia. Psicologia Histórico-Cultural. Ensino Fundamental. Processos de ensino e processos de aprendizagem.

Downloads 922  922  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora! Inovação na Educação Pública: a Adoção de Tecnologias da Informação e Comunicação pelos Docentes Popular Versão: PDF
Atualização:  7/6/2017
Descrição:
SILVA, Alinne Marcondes Pavelski da

A inovação apresenta vantagens competitivas para as organizações, e na esfera pública as políticas inovadoras garantem uma participação democrática da sociedade e a melhoria dos serviços prestados aos cidadãos. Em um contexto educacional, a inovação traz novas práticas pedagógicas e como consequência a melhoria no ensino. Uma das principais práticas inovadoras neste campo é a utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação pelos docentes nas práticas de ensino. Nesse cenário, esta pesquisa teve como objetivo analisar os principais fatores que determinam a adoção de recursos tecnológicos em suas práticas de ensino, nas escolas estaduais do município de Guarapuava. Para isso, foi realizada uma pesquisa classificada como descritiva, quanto aos procedimentos levantamento (survey) e de abordagem quantitativa. A coleta de dados foi transversal, coletados entre outubro e novembro de 2016, com o uso de questionário semiestruturado, aplicados a 319 professores atuantes nas escolas estaduais do município de Guarapuava. A análise dos dados foi por meio de estatística descritiva e análise fatorial exploratória. Como resultado, foi encontrado um alto índice de utilização das tecnologias com os alunos, além de recursos disponíveis nos Portais Dia a Dia Educação e do Professor. Como sugestões de melhorias apontadas pelos docentes para uma efetiva utilização das tecnologias em sala de aula estão a disponibilização de mais equipamentos, a atualização dos equipamentos já disponibilizados e a oferta de cursos e treinamentos voltados para a utilização. Os fatores que determinam a adoção de recursos tecnológicos nas práticas docentes são a vantagem relativa de sua adoção, a compatibilidade com o trabalho já desenvolvido, a percepção de facilidade e domínio no uso da tecnologia, a visibilidade que sua adoção traz, a imagem, e a demonstração de resultado. Os fatores que mais relacionaram com a adoção de tecnologias são a vantagem relativa e a facilidade e domínio no uso da tecnologia, demonstrando, assim, a necessidade de constantes treinamentos e ofertas de cursos para os professores, para a garantia de uma efetiva utilização das tecnologias de informação e comunicação com os alunos, melhoria esta, também apontada pelos docentes pesquisados. A identificação da utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação pelos docentes contribui para as discussões das práticas pedagógicas e eficiência do ensino público, necessárias em um contexto de mudanças tecnológicas constantes na sociedade.

Palavras chave: Inovação. Educação. Tecnologias de informação e comunicação.

Downloads 934  934  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicentro  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Funcionários das Escolas Públicas: História, Legislação e Luta Sindical Popular Versão: PDF
Atualização:  16/10/2017
Descrição:
OLIVEIRA, Everton Josimar de

O objeto de estudo desta dissertação são os trabalhadores em educação, frequentemente nominados funcionários, que atuam nas escolas públicas estaduais do Paraná, considerando o recorte temporal entre 2003 e 2014. Com o objetivo de analisar sua constituição histórica, discutimos sua presença nas escolas e as funções desempenhadas, com fundamentos nos aspectos históricos, legais e políticos. Consideramos essa temática pouco explorada pela academia, pois a história de um grande contingente de trabalhadores incorporados à rotina escolar ao longo do tempo, tem sido pouco conhecida. Observando esta problemática, discutimos quem são, o que fazem, como foram reconhecidos pela legislação e a forma como se organizaram na luta sindical. Partimos da hipótese de que a escola pública, como produtora e reprodutora das relações sociais, ao longo de sua história, foi permeada, em sua organização, por interferências das teorias administrativas de base tayloristas e que as funções agregadas a ela, de certa forma, refletiram os interesses dos grupos dominantes. As análises de Enguita (1989), Silva Júnior (1993), Marx (199; 1998; 2008; 2013), Frigotto (1999), Kuenzer (2001), Feiges (2003), Paro (2005), Alves (2006), Nascimento (2006; 2007), Saviani (2012; 2013; 2014) e Monlevade (1995; 2007; 2009; 2014), demonstraram a escola pública composta por diferentes profissionais e a burocratização dos processos escolares interferindo no ensino e na aprendizagem. Na análise documental realizada em leis, leis complementares, emendas, decretos, resoluções, portarias, orientações, cadernos temáticos, atas, cartas abertas, materiais para debate, boletins informativos e jornais, com destaque ao Jornal sindical “30 de Agosto”, extraímos categorias relacionadas às funções, relações de trabalho, campanhas e pautas sindicais. Discutir os trabalhadores em educação das escolas estaduais do Paraná e a forma como se organizaram enquanto categoria profissional, exigiu um percurso que passou pela história, estudo de conceitos e análise de documentos. Compreendemos que a mobilização sindical foi fundamental para os avanços obtidos na legislação, no sentido do reconhecimento social e profissional, sendo grande o desafio para que todos os funcionários gozem dos direitos assegurados pela lei e sejam reconhecidos como profissionais da educação básica.

Palavras-chave: Trabalhadores em educação. História da educação. Legislação educacional. Luta sindical. Funcionários.

Downloads 958  958  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unioeste  Site http://
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Identidade do pedagogo dos anos iniciais do ensino fundamental na Escola Pública Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
TULIO, Juliana Maria Capeline Furman

A presente pesquisa teve como tema a identidade do pedagogo escolar. Este estudo procurou responder a seguinte questão: Qual é a identidade do pedagogo atuante na escola pública nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental? Objetivou-se analisar, compreender e caracterizar a identidade do pedagogo escolar atuante na escola pública. Constituíram-se objetivos específicos desta investigação: a) Realizar levantamento e análise bibliográfica sobre a Pedagogia no Brasil e suas implicações para a contribuição da identidade do Pedagogo; b) Caracterizar o papel do Pedagogo na escola dos anos iniciais do Ensino Fundamental; c) Contribuir com subsídios teóricos e metodológicos para a definição da identidade do Pedagogo na escola dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. As reflexões basearam-
se nos estudos de: Brzezinski (1996), Sá (1997; 2000; 2012; 2013), Silva (1999), Libâneo (2008), Libâneo e Pimenta (1999), Scheibe (2007), Morin (2000; 2002; 2003; 2005; 2012), Franco; Pimenta; Libâneo (2007), Forquin (1993), Saviani (2000; 2008; 2009) e Franco (2008a/b). A pesquisa utilizou-se de uma abordagem qualitativa (Oliveira, 2012; Ludke e André, 1986; André, 2001; 2013) tendo como procedimentos metodológicos a aplicação de questionário, na fase exploratória, via e-mail, através do Programa Google Drive, e na etapa seguinte, a entrevista semiestruturada. As duas técnicas de coletas de dados foram realizadas junto aos pedagogos que atuam com os Anos Iniciais do Ensino Fundamental na Rede Municipal de Ensino de Curitiba (trinta pedagogos responderam os questionários e nove participaram da entrevista). A investigação teve início no ano de 2013 com o estudo exploratório e transcorreu até o ano de 2015, com a realização das entrevistas e análise e interpretação dos dados. Para caracterizar a identidade do pedagogo partiu-se das três dimensões: epistemológica, política e profissional que constituem a identidade do educador, conforme os princípios da Associação Nacional pela Formação dos Profissionais da Educação (ANFOPE, 1992). A análise dos dados revelou uma nova dimensão: a relacional. Os resultados apontaram que a identidade do pedagogo (escolar) que atua no Ensino Fundamental das escolas da Rede Municipal de Educação de Curitiba apresentam as dimensões (epistemológica, profissional, política e relacional).

Palavras-chave: Identidade do Pedagogo. Pedagogo Escolar. Escola Pública.

Downloads 1006  1006  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!A Educação não-formal praticada por movimentos sociais e suas implicações para identidade da comu Popular Versão: PDF
Atualização:  9/4/2018
Descrição:
MEIRA, Antonio Michel Kuller

Esta pesquisa tem como tema o processo de educação não formal em comunidades tradicionais de faxinais, que representam uma cultura típica da região centro sul do estado do Paraná, Brasil, tendo como eixo de análise a educação não formal praticada pelo Movimento Aprendizes da Sabedoria- MASA e Articulação Puxirão dos Povos Faxinalenses-APF, na comunidade de faxinal Marmeleiro de Baixo, no Município de Rebouças, Estado do Paraná. Como objeto de estudo, busca entender os processos de ensino aprendizagem da educação não formal, se esta colabora para o fortalecimento da identidade faxinalense. Ao longo da história, esses grupos tiveram suas identidades negadas, vivendo uma invisibilidade social, sendo muitas vezes marginalizados e expropriados por manter um modo de vida tradicional, isso colaborou para o enfraquecimento de diversas práticas e conhecimentos tradicionais, com risco de desaparecimento devido ao grande processo de repressão e de desterritorialização da comunidade. Assim, a pesquisa analisa o processo de educação não formal por meio da investigação de documentos produzidos pelos movimentos, como: Cartilhas, Fascículos, Boletim, Relatórios, Leis e Decretos, buscando compreender como se deu práxis educativa desses movimentos e suas implicações para o fortalecimento da identidade de Faxinalense. A pesquisa tem enfoque teórico sobre as transformações ocorridas na comunidade, os conceitos de educação não formal e um trabalho específico de análise dos documentos nas diversas dimensões da educação não formal; mostrando ainda a importância de processos educativos dos movimentos sociais, pautados em conteúdos dialogados diretamente com os sujeitos que participam da educação não formal.

Palavras-Chave: Faxinais. Educação não-formal. Movimentos Sociais.

Downloads 1015  1015  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicentro  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora! A Formação Continuada nas Semanas Pedagógicas de Fevereiro no Período 2007-2013 no Estado do Para Popular Versão: PDF
Atualização:  5/6/2017
Descrição:
TESSARI, Elisabete Valdira de Sousa

Esta dissertação tem como objeto de análise as Semanas Pedagógicas de fevereiro como modalidade de formação continuada oferecida no Paraná. O objetivo geral foi analisar a formação continuada de professores oferecida no formato de Semana Pedagógica de fevereiro no Paraná, durante os governos Roberto Requião Mello e Silva (2007-2010) e Carlos Alberto Richa (2011-2013). Por meio dos documentos orientadores das Semanas Pedagógicas buscou-se compreender nas ações desses governos o que trazem enquanto proposta de educação, como se projeta a formação continuada de professores durante as Semanas Pedagógicas, as ações desenvolvidas na escola para essa finalidade, a construção do conhecimento e concepção de educação e sociedade, uma vez que, as linhas ideológicas destes governos pareciam divergir. Para apreensão do objetivo geral da pesquisa, formulamos objetivos específicos que orientaram nossa pesquisa: apresentar a legislação educacional referente à formação continuada de professores; discutir as diferentes denominações e conceitos que a formação continuada recebeu nos documentos oficiais e autores que discutem o tema; e apresentar e analisar os documentos orientadores das Semanas Pedagógicas de fevereiro 2007-2013, tendo como ponto de partida as categorias Projeto Político-Pedagógico, Currículo, Organização do Trabalho Pedagógico e Gestão Escolar. A pesquisa realizada de caráter teórico, se fundamenta na análise bibliográfica e documental. Nessa acepção, estabelecemos interlocução com autores que vêm discutindo a temática e que nos auxiliaram a compreender a ideia de política pública de formação continuada dos professores, sua forma de organização utilizando os recursos públicos, seus limites técnicos e financeiros, suas contradições, seus possíveis limites ou contribuições para a melhoria na qualidade da educação pública no Paraná. A gestão de Roberto Requião apresentou o anúncio de superação das políticas neoliberais implantadas por seu antecessor Jaime Lerner, que se manteve nos documentos orientadores das Semanas Pedagógicas. Chegamos à compreensão de que o discurso anunciado esteve permeado de caráter contraditório, ainda que, concomitantemente houvesse um esforço por parte da SEED em superar o modelo educacional neoliberal, com uma proposta de Semana Pedagógica mais consistente no que tange ao entendimento do Currículo, PPP, Gestão Escolar e Organização do Trabalho Pedagógico. A gestão de Beto Richa e seu ‘no jeito de governar’, trouxe nos encaminhamentos dos documentos orientadores das Semanas Pedagógicas a retomada dos princípios de políticas educacionais neoliberais e transfere para as Semanas Pedagógicas o espaço formativo a proposta de formação com moldes gerenciais, motivacionais, monitoramento constante na tentativa de retomada da pedagogia de projetos, implementação de um instrumento oficial de avaliação sistemática para todo o estado SAEP, desconsiderando o instrumento federal SAEB, numa proposição ranqueamento das escolas paranaenses e o processo meritocrático.

Palavras-chave: Semanas pedagógicas. Formação continuada de professores. Políticas educacionais. Políticas públicas.

Downloads 1023  1023  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unioeste  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!O Trabalho Docente no Espaço-tempo da Hora-atividade nas Escolas Públicas Estaduais do Município de  Popular Versão: PDF
Atualização:  14/1/2019
Descrição:
SCHOLOCHUSKI, Virgínia do Carmo Pabst

Esta pesquisa apresentou como objeto de investigação o trabalho docente na hora-atividade dos professores da rede estadual de ensino do Paraná. Seu objetivo geral foi analisar como o tempo do trabalho docente destinado à hora-atividade é utilizado pelos professores dentro das escolas estaduais do município de Almirante Tamandaré. Assim, a pergunta que se desejou responder foi: como vem sendo aproveitado pelos professores o espaço-tempo destinado à realização da hora-atividade nas escolas públicas estaduais do Município de Almirante Tamandaré? Para tanto, partiu-se de uma análise da educação brasileira desde as duas últimas décadas do século XX, até chegar à conjuntura atual, buscando compreender em que contexto se deu a conquista da hora-atividade, o aumento do seu percentual e o recente retrocesso na carga horária dessa atividade docente. Para melhor compreensão desse processo, discutiu-se, também, sobre a categoria trabalho docente a partir da definição de trabalho de Karl Marx (2013), bem como a respeito das influências da sociedade capitalista na educação. A partir das ideias de Nacarato et al. (1998), debateu-se sobre as condições do trabalho docente no Brasil. Encontrou-se, também, a necessidade de entender o significado da terminologia hora-atividade, buscando conhecer a legislação que respalda a sua efetivação, a sua concepção na literatura e entre os profissionais da educação. A abordagem metodológica escolhida foi a da pesquisa qualitativa proposta por Minayo (2009), Moreira e Caleffe (2008) e Ludke e André (1986), e as técnicas de coletas de dados utilizadas foram: entrevistas semiestruturadas (com professores e pedagogos), observação participante (do espaço tempo da hora-atividade) e análise documental. Em relação à análise e tratamento do material empírico e documental coletado, apoiou-se na análise de conteúdos proposta por Bardin (1979). Para entender a realidade do trabalho docente na hora-atividade, buscou-se investigar as duas únicas Instituições escolares do município de Almirante Tamandaré – PR, que ofertam apenas os anos finais do Ensino Fundamental. Os dados evidenciaram péssimas condições físicas e estruturais das escolas para a realização da hora-atividade. Em relação ao aproveitamento do tempo da hora-atividade, verificou-se que os professores dedicam a grande maioria do seu trabalho nesse espaço-tempo para realizar atividades imediatistas, voltadas ao planejamento das aulas e às burocracias cristalizadas no seu cotidiano de trabalho e, que, dificilmente estudam na hora-atividade. O pedagogo, por sua vez, encontra-se sobrecarregado de atividades na escola e não consegue organizar momentos de estudos e reflexão durante o espaço-tempo da hora-atividade. Verificou-se, também, que o retrocesso do percentual da hora-atividade desmotivou os docentes e aumentou a quantidade de trabalho desse profissional, e que para dar conta de tudo, muitas vezes, leva trabalho para realizar em casa. Assim, conclui-se que a hora-atividade não é um benefício para os professores, mas ao contrário, é um direto garantido por lei, conquistado pelos professores através de lutas e resistências, e entre os seus principais objetivos se destaca: melhorar as condições de trabalho docente e a qualidade do ensino ofertado à população.

Palavras-chave: Hora-atividade. Trabalho docente. Almirante Tamandaré. Escolas estaduais.

Downloads 1023  1023  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Tuiuti  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 5 (6) 7 8 9 10 »