Educadores

Ínicio : Pedagogia : Dissertações : Produções de Profissionais da Seed: Dissertações : 



Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Título (A a Z)

Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Contribuição da pedagogia histórico-crítica noprocesso de formação docente-discente. Versão: PDF
Atualização:  15/2/2017
Descrição:
KASPCHAK, Marilene


Nesta pesquisa visou-se, a partir da discussão teórica, abordar a prática de planejamento docente-discente, mediante a execução das cinco fases do processo didático-pedagógico proposto por Gasparin (2009). O objetivo consistiu em apontar a contribuição da Pedagogia Histórico-Crítica como referencial teórico-prático ao processo de ensino escolar. Investigou-se uma forma de planejamento, qual seja, a elaboração do projeto de trabalho docente-discente na perspectiva Histórico-Crítica e sua aplicação, como condição para uma organização do ensino formativo, promotor da aprendizagem e desenvolvimento. Ao considerar que os conteúdos escolares podem ser entendidos nessa perspectiva teórico-metodológica, como uma necessidade individual e social, a fim de que, ao serem apropriados possam constituir-se em instrumentos de mudanças sociais, elegemos como problema a ser investigado: como pode ocorrer a contribuição da Pedagogia Histórico-Crítica no processo de formação docente-discente? Neste sentido, após estudo das teorias pertinentes à compreensão da prática-teoria-prática como processo dialético do ensino e da aprendizagem escolar, realizou-se a análise dos resultados da pesquisa empírica a partir da elaboração e execução de projetos de trabalho na perspectiva da didática proposta para a Pedagogia Histórico-Crítica. Para a coleta dos dados pesquisados e a pertinente análise, de certa forma já praticando a teoria, contamos comum grupo de alunos e professores do curso de Formação de Docentes de uma Instituição Pública do Estado do Paraná, os quais se propuseram a participar de momentos de formação, de elaboração e aplicação do planejamento, mediante as cinco fases do processo didático-dialético. A prática dialética exercitada no processo de formação docente-discente fundamentou-se nos pressupostos da Pedagogia Histórico-Crítica, cujo método de investigação e de elaboração do conhecimento científico tem base no materialismo histórico-dialético advindo de Marx. A teoria Histórico-Cultural pautada em Vigotski, que utiliza o mesmo método científico, serviu de aporte teórico ao nosso estudo para o entendimento da relação ensino e aprendizagem como processos indissociáveis, que concorrem para a formação tanto dos alunos como do professor. A partir dos estudos realizados e da aplicação das fases do processo didático, revelaram-se nos resultados dessa pesquisa as contribuições da Pedagogia Histórico
-Crítica enquanto possibilidade formativa dos alunos e professores. O planejamento revela-se em certa medida, nessa perspectiva teórico-metodológica, como instrumento significativo de formação docente-discente, decorrente do processo de mediação das relações do sujeito com a realidade objetiva e dos elementos culturais como expressão das experiências e conhecimentos produzidos pela humanidade.

Palavras-chave: Pedagogia Histórico-Crítica. Formação docente-discente. Didática da Pedagogia Histórico-Crítica.

Downloads 91  91  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEM  Site 
Avaliação: 10.00 (3 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para o Ensino Médio: conhecendo a adolescência Popular Versão: PDF
Atualização:  15/2/2017
Descrição:
BARBOSA, Luciana Mara Tachini


Os embates presentes na realidade educacional brasileira pela legitimação de uma educação de qualidade associados à crescente necessidade de se pensar a educação escolar dos adolescente motivaram o desenvolvimento desta pesquisa. Tem como objetivo investigar a visão que as escolas de Educação Básica têm sobre a adolescência, as sim como qual a apropriação que fazem da Psicologia Histórico-Cultural na fundamentação do trabalho com o Ensino Médio. A análise e a reflexão desenvolvida tiveram como aporte teórico a Pedagogia Histórico-Crítica e a Psicologia Histórico-Cultural, ambas da base materialista histórico-dialética. Na efetivação do trabalho, foram organizadas três Seções: na Seção 1 intitulada Trabalho, Educação e Ensino Médio foi estudado, inicialmente, como a educação escolar se constituiu no decorrer da história da humanida de, orientada pela concepção da Pedagogia Histórico Crítica, juntamente com o estudo da última etapa da Educação Básica –o Ensino Médio; na Seção 2 intitulada Explicações e concepções da Psicologia Histórico-Cultural sobre o processo ensino-aprendizagem foram desenvolvidos os estudos da história e dos postulados da Psicologia Histórico-Cultural, algumas reflexões de em seguida, evidenciou-se como a Psicologia Histórico-Cultural se estabelece como um referencial para a pedagogia e a visão que esta teoria tem acerca da adolescência; por fim, na Seção 3 intitulada A Pesquisa: O Projeto Político Pedagógico foram apresentados os dados e respectiva análise da pesquisa que priorizou o estudo de Projetos Políticos Pedagógicos como documentos norteadores para a compreensão da realidade das escolas públicas pesquisadas. Os procedimentos adotados foram a pesquisa bibliográfica e a pesquisa documental. Nesta última, foram analisados sete Projetos Políticos Pedagógicos de escolas públicas estaduais da região noroeste do Paraná. Os pontos fundamentais encontrados nos Projetos Políticos Pedagógicos das escolas pesquisadas foram: a presença da Psicologia Histórico-Cultural; a presença ou não de conceitos, reflexões e debates acerca da adolescência; o desafio de se pensar uma educação emancipatória para o Ensino Médio. Com base nas informações obtidas, constatou-se que a adolescência não foi alvo de preocupação e reconhecimento, já que mais de 40% das escolas pesquisa das não abordaram este assunto; a apropriação da Psicologia Histórico-Cultural ocorre com pouca frequência, tendo sido encontradas apenas quatro obras de Vigotski e seus colaboradores. Conclui-se pela necessidade de aprofundamento nos estudos sobre a adolescência no universo educacional e ampliação do acesso dos educadores às produções da Psicologia Histórico-Cultural, por se defender, sobretudo, uma educação que priorize a mediação dos conteúdos sistematizados pela humanidade e que favoreça a formação omnilateral do sujeito no Ensino Médio.

Palavras-chave: Adolescência. Educação. Ensino Médio. Psicologia Histórico-Cultural.

Downloads 114  114  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEM  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!De "Laboriosos e Morigerados" a Empecilhos Para a Nação: Colonização e Escolarização dos Imigrantes  Popular Versão: PDF
Atualização:  7/1/2019
Descrição:
KRUK, Fábio

Esta pesquisa tem como tema a educação de imigrantes e pretende investigar o processo de escolarização polonesa em Irati-Paraná, entre 1900 e 1939. O recorte temporal corresponde à chegada dos primeiros imigrantes poloneses até a nacionalização compulsória do ensino. Algumas escolas de colonização polonesa foram instituídas nesse município, entre elas, destacamos a do Alto da Serra, a Sociedade Liberdade e a Escola das Irmãs da Caridade. Essas escolas faziam a educação ser um componente da cultura, que unia e identificava esses imigrantes e seus descendentes. A imigração foi acompanhada por uma política nacionalista brasileira e as escolas de imigrantes foram alvo dessa política que buscava a integração de todos os sujeitos e regiões em função de um projeto comum caracterizado pela modernização e desenvolvimento do Brasil. A valorização dessa proposta tinha como empecilho a diversidade de interesses dos trabalhadores e imigrantes. Nesse sentido, o Estado precisou fortalecer e assumir o controle do processo, o que implicou numa série de medidas repressivas. A escolarização polonesa sofreu imposições diante do projeto nacionalista. Sendo assim, pergunta-se: por que os imigrantes poloneses se tornaram um empecilho se eram importantes e necessários para o desenvolvimento econômico do Brasil? Como ocorreu a interação entre os aspectos legais e as experiências dos poloneses em relação à educação? As categorias de cultura, costume e experiência de E. P. Thompson trazem à cena os silêncios desses sujeitos por meio de uma lógica histórica que interroga fontes documentais e bibliográficas. Para tanto, apresenta-se uma análise sobre a política de imigração e sobre a política nacionalista que inseriu os imigrantes no projeto de desenvolvimento da nação, mas considerou, nesses mesmos processos, a diversidade como um obstáculo. Depois, mostra-se a ambiguidade do Estado brasileiro em relação aos imigrantes poloneses, considerados importantes para o desenvolvimento econômico, mas tidos como empecilhos, ao mesmo tempo, para a nação brasileira e à educação como estratégia nacionalista. Para finalizar, apresenta-se a investigação das experiências vividas pelos imigrantes poloneses em Irati-Paraná em relação ao controle e à resistência das suas escolas. As leis pretendiam instituir os grupos escolares como modelo de escola e diante das imposições legais para inserir os imigrantes nesse modelo, algumas experiências de resistência foram realizadas diante do controle. A pesquisa torna-se relevante para ampliar a história dos imigrantes no Paraná e para aprofundar a história da educação na Primeira República (1889-1930), bem como a história local-regional e das instituições escolares paranaenses, por meio de aspectos que foram silenciados e que compõem os processos de resistência dos imigrantes e de seus descendentes à política de nacionalização de suas escolas. Os resultados podem fornecer dados e motivar pesquisas que envolvam a escolarização dos imigrantes, principalmente nos demais municípios colonizados pelos poloneses.

Palavras-chave: Escolas polonesas. Imigração polonesa. Escolarização polonesa. Resistência polonesa.

Downloads 122  122  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicentro  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Debates sobre a dislexia em tempos de precarização da escola, do trabalho docente e das relações fam Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
ELIAS, Dinora de Godoy

Atualmente a educação escolar tem sido o principal meio de acesso aos saberes científicos elaborados pela humanidade. Contudo, isto não está posto a todos. Ao concluírem o Ensino Fundamental, algumas crianças apresentam defasagens quanto ao domínio das habilidades básicas de leitura, escrita e cálculo, muitas das quais recebem o diagnóstico de dislexia. Partindo desta constatação, pretendeu-se nesta pesquisa analisar os problemas que envolvem a perspectiva biologizante sobre a dislexia, e sua conceituação como um transtorno de aprendizagem na área da leitura e da escrita. Optou-se pelo referencial teórico proposto pela Psicologia Histórico-Cultural, o qual indica que todos possuem condições para aprender constituindo-se enquanto gênero humano, a partir do desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Identificou-se, nas escolas públicas do município de Guaraniaçu –PR, em 2013, o número de crianças diagnosticadas, em laudo médico, como disléxicas, e qual o atendimento educacional que recebiam. Investigou-se a legislação estadual que orienta o atendimento educacional especializado oferecido aos alunos disléxicos, detectando-se contradições entre os fundamentos teóricos e a forma de ingresso nesse serviço. Na pesquisa de campo aplicaram-se questionários aos professores que lecionam nos anos iniciais do Ensino Fundamental, e que atuam como regentes de classe da única escola municipal que oferece atendimento educacional especializado em Sala de Recursos Multifuncional –Tipo I, e a todos os docentes da disciplina de Língua Portuguesa dos anos finais desse nível de ensino, nas escolas da rede estadual desse município, no intuito de analisar como esses profissionais entendem e organizam seu trabalho diante das dificuldades de aprendizagem dos alunos diagnosticados como disléxicos. Entrevistaram-se as crianças que possuem laudo de dislexia, e suas mães, a fim de identificar como chegaram a esse diagnóstico e quais as consequências desse documento para o seu percurso escolar. Dos alunos pesquisados, três apresentavam dificuldades de ordem biológica que, de certa forma, poderiam indicar problemas neurológicos. Com relação aos outros catorze alunos, identificaram-se nos relatos, justificativas pedagógicas para a não aprendizagem no tempo considerado adequado. Concluiu-se, identificando alguns pontos comuns na origem da dislexia, os quais se vinculam à precarização da escola pública destinada aos alunos da classe trabalhadora, envolvendo o trabalho docente inadequado às necessidades dos alunos por situações que transcendem a vontade individual desses profissionais e também às relações familiares que se encontram ainda atreladas a condições sociais e a modelos valorativos impostos socialmente, que não permitem o adequado acompanhamento do processo de formação humana da criança em idade escolar.

PALAVRAS-CHAVE: Dislexia. Psicologia Histórico-Cultural. Ensino Fundamental. Processos de ensino e processos de aprendizagem.

Downloads 221  221  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Descrição morfossintática do nome e do verbo no Kaingang Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
DOMINGUES, Gislaine

Esta dissertação apresenta a descrição morfossintática das classes gramaticais dos nomes e dos verbos no Kaingang, língua indígena pertencente à família Jê, Tronco Macro-Jê, falada por aproximadamente 30.000 indígenas distribuídos nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Neste trabalho aponto os passos metodológicos seguidos durante o desenvolvimento da pesquisa: elaboração do questionário, informações acerca do informante, coleta e seleção dos dados. Apresento, em linhas gerais, os trabalhos linguísticos voltados à língua Kaingang, realizados por diversos pesquisadores da área da linguagem. Em seguida, trago informações acerca do povo e da língua Kaingang. Partindo de uma abordagem tipológico-funcionalista (focalizando especificamente no modelo dos protótipos givoniano), descrevo as duas classes mais comuns de serem observadas entre as línguas naturais do mundo, isto é, nome e verbo. A partir das análises dos dados, foi possível observar que, quanto às propriedades distribucionais, os nomes no Kaingang desempenham função de sujeito e objeto. Em relação às propriedades estruturais, recebem modificadores (numerais, especificadores, marcação de plural, dentre outros). Também comprovou-se, por meio dos dados, que há definida, na língua Kaingang, a classe dos adjetivos. Sobre a posse nominal, os dados apontam para a marcação do tipo pronominal. Em relação aos verbos, estes se dividem em intransitivos e transitivos. Os intransitivos se dividem em simples (ativo e estativo/ descritivo) e estendido. Os verbos transitivos, por sua vez, dividem-se em ativos e estendidos. Foram apresentados, também, alguns fatores que condicionam a alternância de forma do verbo no Kaingang (mudança de estativo para ativo, marcação do plural, mudança segundo a forma do objeto). A análise deste trabalho se fundamentou nos preceitos de Anderson (1984), Dik (1997), Givón (1984, 2001), Payne (1997) e Thompson (1988).

Palavras-chave: Kaingang. Morfossintaxe. Classe de palavras. Nome. Verbo.

Downloads 606  606  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEL  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Direito Educacional e a Educação Básica: a necessária participação democrática por meio do cont Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
FELET, Gabriel Santos

O presente trabalho analisa a importância da participação democrática da família e da sociedade na vida da escola de educação básica, com ênfase na atuação dos Municípios, ante os princípios e garantias previstos na Constituição Federal de 1988, ponderando a educação como um direito de todos e dever do Estado e da família, cuja promoção e controle devem contar com a indispensável participação da sociedade. Nesse foco foram pesquisados o Direito Educacional, os órgãos de apoio à educação municipal, as políticas públicas na educação básica de competência dos Municípios e a gestão educacional nos Municípios localizados na região do Norte Pioneiro do Estado do Paraná, jurisdicionados ao Núcleo Regional de Educação da cidade de Jacarezinho. Dessa forma, foram objetos de estudos a Constituição de 1988, a legislação infraconstitucional pertinente e as políticas públicas educacionais. Na pesquisa de campo investigou-se a gestão educacional municipal sob os aspectos de políticas públicas e de participação das famílias e da sociedade, de forma direta ou por meio dos órgãos de apoio à educação, tendo a educação como um direito social fundamental e de acesso obrigatório para crianças e adolescentes.Ressalva-se, por meio de decisões do Poder Judiciário, que o Poder Público não é o único responsável pela educação básica, embora tenha o dever de garantir a efetivação do ensino obrigatório a toda criança e adolescente, é preciso ponderar princípios como o da subsidiariedade, razoabilidade e proporcionalidade. Enfim, ao longo do trabalho procurou-se analisar o quanto pode ser benéfico para a educação, desenvolver políticas educacionais dentro dos parâmetros legais com a efetiva participação dos agentes co-responsáveis por meio do controle social. A pesquisa foi desenvolvida sob a perspectiva da linha de pesquisa da construção do saber jurídico.

Palavras-chave: Direito educacional. Educação Básica. Políticas públicas educacionais. Gestão educacional municipal. Participação democrática

Downloads 289  289  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Univem  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Educação: o Brasil e o Estado do Paraná entre os anos de 1960 e 2010 Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
MIRANDOLA, Luci Mara

Esta dissertação é resultado de uma investigação documental e bibliográfica que tem por objetivo analisar a história da educação escolar no Brasil e no estado do Paraná, entre as décadas de 1960 a 2010. A pesquisa se ocupado contexto histórico e da educação, a partir da década de 1960, por entender o significado do Estado autoritário e seus resquícios antidemocráticos para a educação. Também se constitui objeto de investigação a década de 1980, que, marcada pela emergência a crítica aos governos militares, expressou os ideais democráticos da sociedade, por intermédio de movimentos sociais, lutas populares e do multipartidarismo -década fértil para a produção educacional em que a Pedagogia Histórico-Crítica emerge como uma proposta educacional pensada coletivamente por intelectuais brasileiros, referenciada nos pressupostos marxistas. Na sequência, analisamos as transformações ocorridas na década de 1990, implementadas sob a influência da ideologia neoliberal em que predominou a desregulamentação econômica e a reforma do Estado, resultando em um sistema educacional redefinido e orientado por organismos internacionais para atender à demanda do mercado e de modo a formar o novo trabalhador. Nesse cenário, em 2002, enquanto é eleito o primeiro presidente da República pelo Partido dos Trabalhadores, no Paraná, depois do Governo Lerner, Roberto Requião de Mello e Silva é reeleito para o governo do Estado pelo PMDB. Tanto Lula como Requião, fizeram campanhas se comprometendo com as classes populares. Contudo ao se analisar a educação articulada à totalidade histórica desse período, constatou-se que ela, mais do que transformar a realidade social, acabou contribuindo para a reprodução das desigualdades sociais e a superexploração do trabalho, alicerça das no projeto hegemônico do capital.

Palavras-chave: História da educação. Educação paranaense. Democracia. Sociedade.

Downloads 345  345  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Ensinando o Futuro - Visões da Ficção Científica sobre o Ato de Lecionar Versão: PDF
Atualização:  19/4/2018
Descrição:
FRANCO, Jefferson Luiz

Esta pesquisa apresenta uma abordagem teórico-analítica da questão da representação da docência em textos de ficção científica de três autores norte-americanos do século XX: Isaac Asimov, autor do conto Como se se divertiam, de1951; Lloyd Biggle Jr, que escreveu Maneira doida de lecionar em 1966 e Connie Willis, cuja narrativa analisada tem o título Muito barulho por nada e data de 1990.
[...]

Palavras-chave: Literatura norte-americana. Ficção científica. Representação ficcional do docente. Isaac Asimov. Lloyd Biggle Jr. Connie Willis.

Downloads 31  31  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UTFPR  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Ensino médio organizado por blocos de disciplinas semestrais: avanços e limites no contexto escolar Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
TOMAZI, Jeovania Fabro

Inserida na linha de pesquisa Sociedade, Conhecimento e Educação do mestrado em Educação da UNIOESTE, campus de Francisco Beltrão PR, esta pesquisa inscreve-se no debate sobre educação, trabalho e políticas educacionais para o Ensino Médio. Teve como objeto de estudo o programa Ensino Médio organizado em blocos de disciplinas semestrais no estado do Paraná e como objetivo, analisar o processo de implantação, desenvolvimento e as contradições desta organização no espaço escolar. Parte-se da hipótese de que esta proposta representou uma ação emergencial de governo frente aos baixos resultados do Ensino Médio, sem alterarem-se as bases do sistema educacional. O embasamento teórico deste estudo segue a opção metodológica marxista por acreditar que esta fornece elementos que possibilitam compreender as contradições das políticas educacionais voltadas ao Ensino Médio, bem como, contribui na visualização de novas formas de entender a formação dos jovens nesta etapa de escolarização. O ponto de partida desta dissertação é o entendimento da relação educação e trabalho numa perspectiva marxista de formação humana omnilateral. No entanto, ao analisar as relações econômicas, políticas e culturais na sociedade capitalista, advindas de mudanças do processo produtivo, conclui-se que as reformas do estado e da educação caminham na direção de uma formação humana unilateral, baseada nos princípios neoliberais de flexibilização e empregabilidade. A pesquisa segue analisando o processo formativo dos jovens e as principais estratégias desenvolvidas pelo Estado no incentivo à organização de propostas focais, a fim de, suprir as carências do Ensino Médio brasileiro. Discute a aproximação da organização do Ensino Médio em blocos de disciplinas semestrais, no estado do Paraná,com as definições das políticas de resultado e com o discurso da autonomia escolar. Esta dissertação finaliza com a análise dos dados referentes à pesquisa qualitativa, realizada no ano 2013,com alunos, professores e equipe pedagógica de duas escolas da rede estadual que vivenciaram as reformas no Ensino Médio do estado nos últimos anos especificamente relacionada ao programa Ensino Médio em bloco de disciplinas semestrais.Assim, foi possível apontar as contradições no que se refere à construção, implantação e no processo de ensino e aprendizagem nesta organização.

Palavras Chaves:Ensino Médio. Políticas educacionais. Educação. Trabalho.

Downloads 223  223  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Escravos e criados nas escolas noturnas de primeiras letras na Província do Paraná (1872-1888) Popular Versão: PDF
Atualização:  21/6/2016
Descrição:
MOREIRA DA SILVA, Vicente

Esse estudo mostra a presença de escravos e criados nas Escolas Noturnas de Primeiras Letras da Província do Paraná, no século XIX, nos municípios de Paranaguá, Curitiba, Morretes e Campo Largo. Analisa o regime escravocrata e as legislações de ensino, de 1872 a 1888, que proibiam o escravo matricular-se e frequentar escolas nesse período. A pesquisa tem como enfoque a análise de fontes historiográficas primárias: cartas, mapas de escolas, leis: decretos e regulamentos da Instrução pública, atos e relatórios dos governos, relatórios de professores, inspetores e de autoridades, Recenseamento do Império de 1872, as quais permitiram construir um perfil das escolas noturnas paranaenses no século XIX. As abordagens e dados apresentados elucidam os debates que se configuraram no Paraná em torno da Educação Popular, da relação escravidão e instrução e da passagem do trabalho escravo para o trabalho livre, permeados pela indagação: Escravos e criados tiveram acesso às escolas na Província do Paraná, no século XIX? O debate que se propõe procura romper o entendimento do escravo-coisa, do escravo-objeto; transpondo-o a outro foco de discussão: a do escravo como sujeito social; mostrando que na fase abolicionista os debates que se configuraram em torno do acesso do escravo à instrução estavam explicitamente revestidos de caráter ideológico. As reflexões teóricas partiram das abordagens de Gilberto Freyre, Emilia Viotti da Costa, Fernando Henrique Cardoso, Mário José Maestri Filho, Emílio Gennari, Robert Daibert Junior, Sidnei Challoub, Florestan Fernandes, Katia de Queiros Mattoso e outros. Fernando Franco Netto, Sebastião Ferrarini, João Borba de Camargo, Ruy Christovam Wachowicz, Márcia Elisa de Campos Graf, David Carneiro, Octavio Ianni e Romário Martins, serviram de suporte teórico para compreender a escravidão na província, pelo fato de que suas obras reportam exclusivamente à História do Paraná. Assim, as conclusões a que se chegou a partir da análise das fontes consultadas é a de que os dados encontrados, de certa forma, ressignificam a historiografia do negro na educação no Paraná, no século XIX, permitindo evidenciar outros sentidos, os quais não estão comumente abordados nas literaturas até então existentes.

Palavras-chave: Educação. História da Educação. Paraná. Século XIX. Escravidão.

Downloads 112  112  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEM  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 9 10 »