Educadores



Categoria: Educação Fisica Dissertações
Fazer Download agora!Indicadores antropométricos de obesidade abdominal: prevalência e fatores associados em funcionárias Popular Versão: pdf
Atualização:  21/3/2012
Descrição:
ALMEIDA, Rogério Tosta de

A gordura corporal localizada na região abdominal tem sido apontada como preditora mais relevante de riscos elevados à saúde do que a gordura generalizada, constituindo-se grande problema de saúde pública, com alto custo financeiro e social. A obesidade abdominal (OABD) na população feminina brasileira tem aumentado nas últimas décadas. Os objetivos deste estudo foram avaliar o desempenho de diferentes pontos de corte dos indicadores antropométricos de OABD – Índice de Conicidade (Índice C), Circunferência de Cintura (CC), Razão Cintura-Quadril (RCQ) e Razão Cintura/Estatura (RCEst) – para discriminar Risco Coronariano Elevado (RCE) em funcionárias de uma Instituição de Ensino Superior (IES) e estimar a prevalência de OABD e sua relação com variáveis sociodemográficas, ocupacionais e comportamentais. Trata-se de um estudo de corte transversal realizado em Feira de Santana-BA-Brasil com 461 funcionárias técnico- administrativas e de serviços gerais de uma IES com idade entre 20-69 anos. A análise dos pontos de corte dos indicadores antropométricos foi feita através das curvas ROC. A sensibilidade e a especificidade foram estimadas para identificar e comparar os melhores pontos de corte para discriminar RCE, calculado com base no Escore de Risco de Framingham (ERF). Foi adotada a prevalência como medida de ocorrência. A razão de prevalência foi utilizada para avaliar as associações entre as variáveis. Os pontos de corte e as prevalências encontradas foram: CC (86 cm / 37,3%), RCQ (0,87 / 28,9%), Índice C (1,25 / 32,3%) e RCEst (0,55 / 29,1%), sendo, respectivamente, as áreas sob a curva ROC de 0,70 (IC95% = 0,63-0,77), 0,74 (IC95% = 0,67-0,81), 0,76 (IC95% = 0,70-0,83) e 0,74 (IC95% = 0,67-0,81). O Índice C foi o indicador que apresentou o melhor poder discriminatório, seguido pela RCQ e pela RCEst e, por fim pela CC. Encontrou-se associação positiva e com significância estatística entre todos os indicadores de OABD e maior idade, maior número de filhos, menor escolaridade, maior tempo de serviço, tabagismo (fumantes e exfumantes) e maior consumo de açúcar. O consumo de carne bovina também esteve associado com a OABD, não sendo significante estatisticamente, apenas pelo Índice C. A situação conjugal (casada/união estável) foi positivamente associada à OABD a partir de todos indicadores, entretanto apresentou associação estatística somente através da RCEst. Espera-se que estes resultados possam contribuir para a elucidação do fenômeno da obesidade, especialmente a abdominal, na população feminina brasileira, fornecendo informações para que os profissionais de saúde atuem na prevenção dessa condição clínica multifatorial evitando o aparecimento das doenças cardiovasculares.

Palavras-chave: Obesidade. Antropometria. Circunferência abdominal. Fatores de risco. Mulheres.


Downloads 5366  5366  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira d  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.