Educadores



Categoria: Pedagogia Teses Produções de Profissionais da Seed: Teses
Fazer Download agora!Para Serem Bem-comportadas? Imagens de Mulheres em Livros Escolares de Autoria Feminina (1889 - 1945 Popular Versão: PDF
Atualização:  31/1/2019
Descrição:
NICARETA, Samara Elisama

Esta tese se fundamenta em estudos do imaginário social, semiologia e história do livro, se insere e procura contribuir no campo de pesquisa da história da educação brasileira. Tem objetivo de analisar o imaginário sobre as mulheres nos livros escolares de autoria feminina, publicados e postos em circulação no Brasil no interstício de 1889 a 1945. O levantamento de fontes realizado em acervos do Paraná, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro revelou uma amostragem de 17 livros de 16 autoras, publicados no período elegido para estudo. A metodologia de análise compreendeu a leitura e releitura pormenorizada dos livros, buscando menções, termos e indícios que fizessem qualquer referência às mulheres. Para análise das imagens utilizou-se os conceitos de Barthes: studium, compreendido como a vastidão e extensão do campo da imagem; e, punctum, que apresenta a particularidade que atravessa a cena. Nos diferentes livros escolares foram encontrados mais padrões que singularidades. Os padrões impressos e expressos para a formação da mulher bem-comportada foram: mãe, menina, empregada, boneca, a mulher que deve ser protegida, seus espaços foram cozinha e o ambiente interno do lar. Estes elementos estão simbolizados em todos os livros analisados demonstrando, apesar do grande período analisado, uma continuidade na formação do imaginário social feminino. As singularidades evidenciadas envolvem as personagens protagonistas dos livros escolares posteriores a 1930: Amélia, na “Minha Cartilha” de Rachel Amazonas Sampaio (1934), Alice na “Cartilha Fácil”, de Claudina de Barros (1943) e Babá na “Nossa Cartilha”, de Helena Ribeiro São João (1944). Embora as práticas sociais evidenciassem a luta por direitos femininos, inclusive com engajamento de algumas autoras, os livros escolares apresentam a formação de um imaginário social conservador e patriarcal. Os discursos e imagens emanados nos livros escolares das autoras, no alvorecer do período republicano à Era Vargas, possuem uma identificação comum: em sua maioria foram professoras e/ou normalistas; publicaram, difundiram novas metodologias, formas de conhecimento; participaram do empreendimento de construir um novo Brasil, um país moderno, uma iniciativa de vanguarda.

Palavras-chave: Mulher. Imaginário social. Livro didático.

Downloads 795  795  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFSC  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.