Educadores

Ínicio : Filosofia : Teses : 

Produções de Profissionais da Seed: Teses (2)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Notas (Do melhor para o pior avaliado)

Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A expressão em Leibniz Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
LACERDA, Tessa Moura

A expressão é uma das noções mais importantes da filosofia de Leibniz. O filósofo a aborda diretamente em alguns textos, porém, mais que um objeto de análise, a noção de expressão organiza e faz convergir reflexões acerca da teologia, da ontologia e da epistemologia leibnizianas. Leibniz não é o primeiro a tratar da expressão, a originalidade de sua abordagem está em uma interpretação matemática da expressão, que permite defini-la como uma analogia de relações entre a expressão e o exprimido. Uma coisa exprime outra, diz Leibniz, quando há uma correspondência regular e recíproca entre as duas, ou entre o que se pode dizer de uma e de outra. Assim, a expressão pressupõe a analogia e a harmonia.

Palavras-chave: Expressão. Analogia. Harmonia. Relação. Caractere.

Downloads 612  612  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!Informação, conhecimento e valor Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
LOPES, Ruy Sardinha

Esta tese analisa o papel da informação, do conhecimento e das novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) no atual estágio do capitalismo, em curso desde o final da década de 1960. Reconhece a centralidade econômica destes elementos e as mudanças significativas na lógica do sistema de acumulação e reprodução capitalista, embora se contraponha àqueles que advogam tratar-se do surgimento de uma nova ordem societária “pós-capitalista” ou que atribuem às novas tecnologias, notadamente às redes eletrônicas, papel democratizante e emancipador.

Palavras-chave: Informação. Conhecimento. Tecnologias da Informação. Comunicação (TIC). Capitalismo. Economia Política.

Downloads 684  684  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A anarquia ordenada e suas regras de decisão. Uma concepção da emergência da cooperação social" Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
MONTARROYOS, Heraldo Elias de Moura

Nosso objetivo principal, nesta tese, é fornecer um esboço de reconstrução programática do livro Os Limites da Liberdade, escrito por James Buchanan, aplicando os recursos da Metodologia da Teoria da Ciência e do Programa de Pesquisa, visando, especificamente, definir a nossa estrutura conceitual, que pretende reconstruir o problema e o modo de organizar a concepção de Estado ou da ordem constitucional, na perspectiva do autor James Buchanan. O núcleo da concepção deste autor é baseada na tese ontológica que considera o indivíduo uma entidade livre, autointeressada e racional, dentro de uma perspectiva analógica, ligada com a noção econômica do mercado.

Palavras-chave: Metodologia da teoria da ciência. Programa de pesquisa. Escolha pública. Anarquia ordenada. Emergência da cooperação.

Downloads 1354  1354  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A ironia em "A utopia" de Thomas More: ideologia e história Popular Versão: 
Atualização:  15/9/2011
Descrição:
STIELTJES, Cláudio

O tema apresentado trata do pensamento de Thomas More, exposto em A Utopia. A tese defendida é que a opção pelo gênero literário da poética e a escolha da ironia, sob forte influência de Luciano de Samósata, como forma de expressão do discurso utópico, constituem uma estratégia do texto moriano, que oculta seu registro ideológico e os impasses de um pensamento que não soube fundamentar a crítica social na análise historiográfica.

Palavras-chave: Thomas More. Utopia. Ironia. Ideologia. História.

Downloads 976  976  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A realidade e seus signos na lógica de Guilherme de Ockham Popular Versão: 
Atualização:  21/6/2012
Descrição:
OLIVEIRA, Carlos Eduardo de

A “Exposição de Guilherme de Ockham para o Perihermenias de Aristóteles (i.e., o Sobre a Interpretação)” traz um problema para “a verdade os teólogos”: de acordo com Aristóteles, a proposição hipotética que contém um par de contraditórias sobre a mesma coisa futura e contingente não é verdadeira nem falsa de modo determinado – uma vez que nenhuma de suas contraditórias é verdadeira ou falsa de modo determinado. Sendo assim, antes que aquilo que é enunciado aconteça, ninguém pode saber com certeza a verdade ou a falsidade de proposições sobre o futuro contingente.

Palavras-chave: Ockham. lógica. Contingência. Predestinação. Futuros contingentes.

Downloads 866  866  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!Luz estética: a ciência do sensível de Baumgarten entre a arte e a iluminação Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
TOLLE, Oliver

O presente trabalho tem por objetivo reconstruir o conceito de ciência do sensível na obra do filosofo alemão Alexander Gottlieb Baumgarten (1714- 1762). Partimos do pressuposto de que a investigacão das faculdades do conhecimento empreendida pelo autor na Metafisíca (1739) pode revelar o alcance e a finalidade da Estética (1750/58), a qual se encontra mais comprometida com as possibilidades em geral de expressão do belo do que com a definição de uma teoria do objeto artístico em sua particularidade. Esse último aspecto, na verdade, pode prejudicar a interpretacão de sua obra, pois assume que ela estipula a existência um ideal de beleza atemporal. Para Baumgarten, os princípios que regem o conhecimento sensível coincidem com as regras de expressão do belo, tal como aquelas definidas nas poéticas e retóricas antigas, mas apenas na medida em que eles podem ser derivados das verdades metafisicas.

Palavras-chave: Estética. Filosofia da Arte. Filosofia Moderna. Iluminismo. Racionalismo.

Downloads 2769  2769  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!Estética e hermenêutica: a arte como declaração de verdade em Gadamer Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
SILVA, Almir Ferreira da Júnior

A pesquisa tem como objetivo investigar o que justifica o caráter paradigmático da análise sobre a questão da verdade da arte para a elaboração da hermenêutica filosófica de Hans-Georg Gadamer em sua obra Verdade e método. A relação entre estética e hermenêutica, além de submeter o fenômeno estético a uma análise interpretativa, possibilita para a estética a recuperação do fenômeno da arte como experiência de verdade.

Palavras-chave: Estética. Hermenêutica. Crítica de consciência estética. Kant. Atualidade do belo

Downloads 1128  1128  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A estética entre saberes antigos e modernos na nuova scienza, de Giambattista Vico Popular Versão: 
Atualização:  15/9/2011
Descrição:
LIMA, José Expedito Passos

Este trabalho trata a questão da Estética na nuova scienza, de Giambattista Vico (1668-1744), em oposição à tradição de estudos que teve início com a interpretação de Benedetto Croce (1886-1952): a defesa de um Vico “precursor” ou “criador” da Estética moderna, concebida como filosofia da arte.

Palavras-chave: Estética. Poética. Retórica. História. Nuova Scienza. Experiência. Sensibilidade. Vida Civil. Sapientia. Eloquentia.



Downloads 1271  1271  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PUC-SP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!A temporalidade da presença: a elaboração heideggeriana do conceito de tempo Popular Versão: 
Atualização:  30/4/2013
Descrição:
KIRCHNE, Renato

Esta investigação baseia-se na obra de Martin Heidegger. Tem o propósito de ver entender como este pensador elabora seu próprio conceito de tempo a partir de uma interpretação peculiar da presença humana (menschliche Dasein), tendo em vista, também, a elaboração de uma ontologia fundamental. A tematização heideggeriana revela que o tempo não é nem objetivo, nem subjetivo. Sua tematização do tempo é uma tematização ontológica, razão pela qual está relacionada com a questão pelo sentido do ser. Tendo a hermenêutica fenomenológica como método de investigação, Heidegger mostra que o tempo “cada vez e sempre já” “se dá” enquanto modos próprios ou impróprios de temporalização. Na elaboração do conceito de tempo é preciso ver e entender “como” ele fundamenta e descreve a temporalidade originária, a ocupação cotidiana do tempo e a origem do conceito vulgar de tempo. A interpretação vulgar do tempo encobre a constituição ekstática e horizontal da temporalidade originária e, desse modo, tende a permanecer nivelada por esse encobrimento.

Palavras-chave: Fenomenologia. Ontologia fundamental. Presença humana (menschliche Dasein). Existência. Analítica existencial. Ser-no-mundo. Cura. Analítica temporal. Temporalidade. Temporalização. Cotidianidade. Historicidade. Intratemporalidade. Tempo ocupado. Tempo do mundo. Conceito vulgar de tempo

Downloads 5271  5271  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFRJ  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Filosofia Teses
Fazer Download agora!Aristófanes e Platão: a justiça na pólis Popular Versão: 
Atualização:  15/9/2011
Descrição:
POMPEU, Ana Maria César.

Nossa tese, intitulada “Aristófanes e Platão: por uma pólis mais justa”, consiste no estudo da comédia de Aristófanes, que é a expressão legítima da cidade democrática da Grécia clássica, confrontada com a República de Platão, considerada a maior obra de filosofia política de todos os tempos. Tal exercício de comparação deve aprimorar o entendimento da comédia de Aristófanes, e mesmo da filosofia de Platão. Pois os dois autores ora estudados foram grandes pensadores gregos, que fizeram a leitura crítica da literatura que herdaram: a da Grécia clássica. Platão, sendo posterior a Aristófanes, também foi leitor crítico de sua obra. A introdução apresenta uma sinopse do estudo que se vem fazendo sobre as semelhanças formais e de temas existentes nas obras de Aristófanes e Platão, de onde já selecionamos dados interpretativos para o nosso estudo. Em seguida, explicamos o método que aplicaremos para a nossa investigação. São onze capítulos, cada um referente a uma das onze peças que nos restaram de Aristófanes. Neles, primeiro fazemos a interpretação da obra, segundo a leitura que dela fazemos, confrontando-a com a elaboração da cidade ideal de Platão na República.

Palavras-chave: Aristófanes. Comédia. Justiça. Platão. Pólis.

Downloads 1010  1010  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 5 (6) 7 8 9 10 »