Educadores

Ínicio : Geografia : Artigos : 



Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Título (A a Z)

Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Atlas Urbano - Ambiental de Londrina, PR, Brasil Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
BARROS, Mirian Vizintim Fernandes; ARCHELA, Rosely Sampaio; GRATÃO, Lúcia Helena Batista; THERY, Hervé; MELLO, Neli Aparecida de; TORRES, Eloiza Cristiane

O trabalho apresenta os primeiros resultados obtidos na elaboração do Atlas Urbano Ambiental de Londrina em formato digital. Uma avaliação sobre as novas tecnologias e os desafios para a cartografia é apresentada de forma sucinta. Com a utilização dos programas computacionais SPRING e PHILCARTO são demonstrados os resultados obtidos na apresentação sobre Londrina e as disparidades educacionais. A estruturação do atlas é revelada pela página introdutória demonstrando sua divisão em seções. Os resultados obtidos apontam para a necessidade de superação da simples produção de um atlas digital de comunicação, em direção ao atlas interativo.

Palavras-chave: Cartografia. Meio ambiente. Urbanismo. Escolaridade.

Downloads 2546  2546  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Breve síntese geológica e geomorfológica da área do Parque Estadual do Guartelá no Estado do Paraná Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
RETZLAF,Jully Gabriela; STIPP, Nilza Ap. Freres; ARCHELA,Edison

O Parque Estadual do Guartelá ocorre em meio aos depósitos paleozóicos pertencentes à Bacia Sedimentar do Paraná. O material aflorante, na área em estudo, pertence ao Grupo Paraná, sendo composto por sedimentos devonianos da Formação Furnas (Devoniano inferior). A região do canyon Guartelá está inserida totalmente no Segundo Planalto Paranaense, em zona de paisagem suavemente ondulada, constituída por sedimentos paleozóicos do período Devoniano, Carbonífero e Permiano. O segundo planalto declina suavemente como encosta para W, SW e NW até o limite com o terceiro planalto, alcançando altitudes em torno de 1.000 metros, na borda do Escarpamento Furnas, e cotas entre 740 e 800 metros na cuesta Serra Geral; e mais ao norte, entre os rios Laranjinha e Itararé, altitudes entre 350 e 560 metros. O parque está inserido na porção leste do Segundo Planalto Paranaense, no reverso do escarpamento, caracterizado por relevo de cuesta, formada por erosão diferencial. O Escarpamento Estrutural Furnas é caracterizado por imponente ressalto topográfico que se estende por cerca de 260 km, entre os estados de São Paulo e Paraná, apresentando amplitudes entre 100 e 200 metros, com altitudes médias em torno de 1.100 a 1.200 metros. A origem e evolução do escarpamento estão associadas a um conjunto de processos geodinâmicos ocorridos no sul e sudeste do Brasil com início na ruptura da Gondwana (180 a 170 M.a.), seguidos de processos de magmatismo básico continental (140 a 130 M.a.) e deriva continental acompanhada de soerguimento marginal.

Palavras-chave: Parque Estadual do Guartelá. Bacia Sedimentar do Paraná. Grupo Paraná. Formação Furnas.

Downloads 340  340  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEL  Site http://www.uel.br/revistas
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Características das ilhas de calor em cidades de porte médio: exemplos de Presidente Prudente (Brasi Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
AMORIM, Margarete C.C.T; DUBREUIL, Vincent; QUENOL, Hervé; NETO, João L. S.

A expressão mais concreta da mudança do balanço de energia nos ambientes urbanos configura-se na geração das ilhas de calor. Caracterizada por uma cúpula de ar quente que cobre a cidade, a ilha de calor urbana (ICU) é a manifestação do aumento das temperaturas causado por características físicas (alta densidade de construções, concentração de materiais construtivos de grande potencial energético de emissividade e reflectância) e as atividades urbanas. A ICU é essencialmente definida pela diferença de temperatura entre a área central da cidade e o ambiente rural ou zonas periféricas com baixa densidade de construções. Além da distinção simples urbano-rural ou centro-periferia, é principalmente uma diferença de uso e ocupação do solo. O ambiente urbano e especialmente o centro é normalmente ocupado por uma alta densidade de construções, com superfícies verticais, enquanto que o ambiente rural é ocupado por baixa densidade de construções e vegetação arbórea esparsa ou gramados. A intensidade e a extensão espacial da ICU dependem da localização da cidade, da morfologia urbana (forma e densidade das construções), do tipo de materiais construtivos, das atividades industriais, das condições climáticas e da sucessão das situações sinóticas e tipos de tempo. A ICU é especialmente importante sob condições atmosféricas estáveis (sistema anticiclônico), que se caracterizam pela baixa velocidade do vento e pela ausência de nebulosidade(CANTAT, 2004). O intenso processo de urbanização que ocorreu durante o século XX fez com que muitos estudos sobre a ICU fossem realizados, principalmente nas grandes cidades como, por exemplo, na Cidade do México, em São Paulo e em Paris. Foram poucos os estudos realizados em cidades médias. Neste artigo apresentam-se os resultados dos estudos sobre a ICU, em duas cidades: Rennes (França) e Presidente Prudente (Brasil). Os procedimentos da pesquisa foram semelhantes nas duas cidades. Foram utilizadas medidas convencionais em pontos fixos e móveis e dados térmicos do satélite Landsat-TM (AMORIM et al., 2008; Dubreuil et al.,2008) para determinar as mudanças do uso do solo durante os últimos vinte anos e a repartição das fontes de calor dentro das cidades na origem da formação da ICU.

Palavras-chave: Ilhas de calor. Presidente Prudente. Rennes. França. Brasil. Temperatura. Clima. Cidade. Uso do solo. Ambientes urbanos. Imagem Landsat. Ocupação do solo. Indústrias. Urbanização.

Downloads 454  454  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://confins.revues.org
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Cinema, Geografia e Sala de Aula Popular Versão: 
Atualização:  2/5/2013
Descrição:
CAMPOS, Rui R.

Este artigo contém uma breve análise sobre o emprego de audiovisuais na sala de aula por parte de professores de Geografia, no qual discute a indústria cinematográfica e enumera algumas vantagens e problemas de sua utilização e, na sequência, traz uma lista de filmes por assunto como sugestões para uso em determinados temas analisados e que compõem o currículo escolar dos ensinos fundamental e médio.

Palavras-chave: Cinema. Geografia. Sala de aula.

Downloads 996  996  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unesp  Site http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Colonização e integração kaingang na sociedade paranaense Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
STOCKMANN, Jaime

O trabalho trata da historiografia clássica do índio Kaingang e de fontes históricas como os Relatórios dos Presidentes da Província do Paraná. A política indigenista dos aldeamentos na Província tinha como ponto básico a limpeza de territórios destinados à ocupação de colonizadores; a catequização foi utilizada como método de atração e integração Kaingang na sociedade paranaense; mas a catequese nunca teve uma política bem definida pelo Estado. A política provincial via no índio sua utilização para suprir a mão de obra tão escassa para o desenvolvimento da produção na Província; os índios demonstraram serem exímios no corte de machado para a abertura de estradas. A resistência do Kaingang em contrapor-se aos avanços do colonizador sobre seus territórios demonstrou, no período em que ocorreu a colonização, ser o índio um sujeito na construção de sua história e não um espectador dos acontecimentos no Paraná Provincial.

Palavras-chave: Kaingang. História. Política indígena. Paraná.

Downloads 2108  2108  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicentro/Unesp  Site http://www.unicentro.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Colonização e urbanização da mesorregião do Paraná (1940-2000) Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
REOLON, Cleverson Alexsanser

O objetivo deste trabalho é analisar a dinâmica demográfica do espaço meso e intramesorregional do Oeste do Paraná a partir da última fase de sua ocupação até o final do século, ou seja, desde a década de 1940 a 2000. Os indicadores demográficos denotam um rápido processo de ocupação da região, apontando também para a tendência crescente de sua urbanização, que já atingiu cifra bastante elevada, superior à do estado do Paraná, inclusive. Conclui-se que se deve atentar à qualidade desse processo de urbanização, especialmente dos municípios que se caracterizam como áreas de concentração populacional.

Palavras-Chave: Mesorregião Oeste do Paraná. Ocupação da mesorregião oeste do Paraná. Urbanização.

Downloads 476  476  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://ojs.c3sl.ufpr.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Compartimentação estrutural e conectividade dos sistemas aquíferos Caiuá e Serra Geral no Noroeste d Popular Versão: pdf
Atualização:  2/5/2013
Descrição:
BETTU, Daniel Fabian; FERREIRA, Francisco José Fonseca; SALAMUNI, Eduardo; FERNANDES, Luiz Alberto

No noroeste do estado do Paraná os arenitos eólicos do Grupo Caiuá (Bacia Bauru - Cretáceo Superior) estão dispostos sobre basaltos da Formação Serra Geral (Grupo São Bento - Cretáceo Inferior da Bacia do Paraná). Ambos constituem importantes sistemas aquíferos. Apesar da permo-porosidade dos basaltos ser do tipo fissural, diferente dos arenitos onde é granular, a porção superior do Sistema Aquífero Serra Geral (SASG) apresenta-se livre, em conjunto com o Sistema Aquífero Caiuá (SAC). O contraste de susceptibilidade magnética entre os basaltos e os arenitos possibilitou o emprego de dados aeromagnéticos para delinear as estruturas mais proeminentes do embasamento dos arenitos. A análise de superfície dos arenitos consistiu na interpretação morfoestrutural a partir da rede de drenagem, modelo digital de elevação (MDE) e imagens Landsat 7/ETM+. A comparação entre os dois níveis de investigação revelou a coincidência de algumas estruturas mapeadas, resultando em um arcabouço estrutural comum ao SAC e ao SASG. Mapas de sólidos totais dissolvidos (STD) e do conteúdo catiônico das águas de poços produtores completados no SAC, indicaram zonas com características hidroquímicas do SASG em seu interior, denotando a conectividade hidráulica dos dois sistemas aquíferos. A superposição do arcabouço estrutural integrado aos mapas hidrogeológicos (vazão, capacidade específica e hidroquímicos), revelou que grandes estruturas, frequentemente, exercem influência na compartimentação hidrogeológica da região.

Palavras-chave: Grupo Caiuá (Bacia Bauru). Formação Serra Geral (Bacia do Paraná). Método Magnético. Hidrogeologia. Geologia Estrutural.

Downloads 237  237  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Comunicação cartográfica com a utilização do philcarto: Um estudo do acesso do lazer em Londrina -  Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
ARCHELA, Rosely Sampaio; BORTOLO, Marizangela A. de ; FORMIGA, Michel Oliveira.

Esse trabalho é uma análise dos dados levantados sobre os clubes e associações na cidade de Londrina, correlacionados, com dados de população e renda, evidenciando a distribuição e o acesso ao lazer proporcionado por esse tipo de serviço em Londrina. Utilizamos o software Philcarto, que consiste em um programa de cartografia temática, e outros dois softwares, o Microsoft Excel® e o Adobe Ilustrator®, para a produção de mapas temáticos, com o objetivo de obter uma melhor visualização da concentração das variáveis em estudo. Os mapas elaborados nesta pesquisa farão parte do Atlas Digital Urbano­ Ambiental de Londrina, com previsão de término em dezembro de 2004.

Palavras-chave: Cartografia. Mapas temáticos. Espaço geográfico. População. Philcarto.

Downloads 1160  1160  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://br.monografias.com/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Comunidades de Faxinal e suas dinâmicas socioespaciais: da formação à desagragação de uma tradição  Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
GRZEBIELUKA, Douglas

Este artigo busca analisar as transformações socioespaciais de comunidades rurais de Tibagi (PR), especialmente do Faxinal dos Empoçados, cuja estrutura de ocupação apresentou e/ou ainda apresenta características de Faxinal. Através do resgate histórico procura-se compreender os processos que ocasionaram a formação e ruptura deste modelo singular de desenvolvimento agrosilvipastoril – o Sistema Faxinal. Na dinâmica econômica vivenciada por Tibagi, desde os seus primórdios até a atualidade, as comunidades de faxinal apresentaram seu auge no período do chamado “Tropeirismo de Porco”. A partir de então, a modernização da agricultura e da sociedade foi introduzindo processos homogeneizantes que pouco lugar deixava as comunidades tradicionais, levando a uma desagregação desta tradição no Município.

Palavras-chave: Faxinais. Tradição. Gênese. Desagregação. Tibagi.

Downloads 1006  1006  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UEPG  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Considerações sobre os conceitos de natureza, espaço e morfologia em Alexander von Humboldt e a gêne Popular Versão: pdf
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
VITTE, Antonio Carlos e SILVEIRA, Roberison Wittgenstein Dias da

Discute a formação dos conceitos de natureza, espaço e morfologia na obra de Alexander von Humboldt e seus impactos na formação da geografia física moderna. Influenciado pelas reflexões de Kant em Crítica do juízo e pelos trabalhos de Goethe e Schelling, Humboldt desenvolveu nova interpretação e representação para a natureza na superfície da Terra, em que o conceito de espacialidade é fundamental para a explicação dos fenômenos da natureza. A geografia física moderna estrutura-se a partir de complexo cruzamento de influências estéticas e instrumentais desenvolvidas por Humboldt, nas quais o princípio da conexão é importante para a invenção artística e científica do conceito de paisagem geográfica.

Palavras-chave: Alexander Von Humboldt (1769-1859). Filosofia Kantiana. Goethe. Morfologia. Geografia física.

Downloads 594  594  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unicamp - Universdade Estadual de Campinas  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 »