Educadores

Ínicio : Geografia : Artigos : 



Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Popularidade (Do mais para o menos procurado)

Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Geografia e mídia impressa Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
KATUTA, Ângela Massumi; ELY, Deise Fabiana; PAULINO, Eliane Tomiasi et al. (Orgs.)

A presente publicação pretende contribuir para a construção de reflexões sobre os conteúdos e significados presentes e ausentes na mídia impressa e suas correlações com o pensar e o fazer da Geografia. Cumpre salientar que a opção pela reunião de abordagens calcadas em diferentes referenciais teórico-metodológicos foi feita na perspectiva da interlocução necessária entre academia, em suas diversas cisões, e dela com o Ensino Básico, igualmente diverso pela ação de cada sujeito que a constrói.

Palavras-chave: Geografia. Mídia impressa. Ensino de Geografia.

Downloads 499  499  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.uel.br/laboratorios/latec/arquivos/Geografia.pdf
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Origens do Brasil meridional: dimensões da imigração polonesa no Paraná, 1871-1914 Popular Versão: 
Atualização:  7/5/2013
Descrição:
OLIVEIRA, Márcio de

O artigo discute as origens do "Brasil meridional" a partir do caso da imigração polonesa para o estado do Paraná (Brasil), ocorrida entre 1870 e 1920. Inicialmente, apresenta-se uma discussão sobre modelos explicativos das causas da imigração para o Brasil. Em seguida é apresentada, em linhas gerais, a história da imigração polonesa. Neste histórico, é trabalhado o contexto sociopolítico nas regiões de que partiram os imigrantes, o impacto das políticas federais e estaduais sobre a imigração e a função que os imigrantes deveriam desempenhar no desenvolvimento do estado do Paraná. Após 1890, analisa-se ainda a forma como os emigrantes foram descritos nos territórios poloneses ocupados e o papel que foram chamados a desempenhar no processo de reconquista da independência da Polônia. Uma breve discussão sobre a distância que separa o imigrante do emigrante no interior da história social brasileira fecha este trabalho.

Downloads 497  497  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma FGV  Site http://bibliotecadigital.fgv.br
Avaliação: 7.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Percepção ambiental e atividade turística no Parque Estadual do Guartelá - Tibagi-PR Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
PINHEIRO, Evandro da Silva

Este estudo analisa as interações e influências recíprocas entre o homem e o meio ambiente, geradas através da atividade turística. O Turismo tem se apropriado dos espaços, urbanos e rurais, nem sempre de forma planejada. Ao contrário, o imediatismo financeiro tem prevalecido na maioria dos casos, resultando em reações negativas ou entendimentos inapropriados quanto ao uso de áreas naturais para lazer, e em consequentes impactos negativos. O estudo leva em conta a percepção dos visitantes e sua compreensão sobre o espaço. Percepção entendida como um reflexo imediato da interação dos sentidos (visão, audição, olfato, tato) e dos valores pessoais (caráter, personalidade, cultura etc.). Compreensão, sobre sua conduta, sobre seu papel e reflexos na conservação do ambiente visitado. O objeto de análise foi o Parque Estadual do Guartelá (PEG), localizado no Município de Tibagi, Estado do Paraná. Apoiando-se em bases teórico metodológicas do campo de estudo da percepção geográfica, visa-se identificar/analisar/compreender e demonstrar como a percepção dos visitantes na área do PEG revela os processos subjetivos que perpassam a interação homem-ambiente. Os resultados são tratados como instrumentos nos planejamentos voltados às melhores práticas do turismo em áreas naturais, propondo-se estratégias e ações, voltadas a promover o envolvimento desses visitantes através de corretos procedimentos na recepção e orientação e adequadas estruturações.

Palavras-chave: Percepção ambiental. Interação. Conduta. Ambiente. Turismo. Áreas naturais.

Downloads 490  490  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Síntese e complexidade no Pensamento Geográfico Popular Versão: pdf
Atualização:  30/4/2012
Descrição:
ABRAHAO, Cinthia Maria de Sena

Neste artigo tratamos dos marcos da Geografia Moderna através da reflexão sobre os elementos que caracterizaram a influência do romantismo alemão. Para tanto, destacamos a herança humboltiana e de alguns de seus seguidores, que estiveram em expedições pela América ao longo do século XIX. Através da obra destes cientistas é possível perceber o esforço de interconectar formas de compreensão da realidade que foram consideradas incompatíveis pela ciência moderna, a racional e a artística. Contemporaneamente percebe-se um percurso da Geografia em busca de uma nova matriz científica, que dê suporte à complexidade dos fenômenos. Neste contexto, confirma-se e revitaliza-se a necessidade de refletir sobre as contribuições dos naturalistas viajantes do século XIX.

Palavras-chave : Geografia. Complexidade. Viajantes-naturalistas.

Downloads 489  489  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR - Universidade Federal do Paraná  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Qualidade do espaço e habitação humana Popular Versão: pdf
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
VALADARES, Jorge de Campos

Pretendemos acompanhar aqui a evolução da habitação humana como uma tarefa de construir, habitar e compreender o mundo, iniciando pela invenção e habitação do próprio corpo, o primeiro instrumento de viver e a primeira morada. Como o ser humano é constituído a partir de memória e convívio, o espaço e o tempo do cotidiano são elementos essenciais nessa obra. A casa do homem é, antes de tudo, lugar de presença e de construção de histórias. O espanto, essencial para o exame da situação do sujeito, vai encontrar espaços vazios, "lugares-nenhum", hoje multiplicados ao infinito, onde surgem os sujeitos, mas também onde podem eles se perder para sempre. Confirmamos, na análise da história da habitação, que não há uma saúde pública, mas uma saúde coletiva, a ser continuamente inventada a partir de novas versões apresentadas pelos sujeitos na cena da cultura.

Palavras-chave: Espaço e qualidade de vida. Situação do sujeito. Subjetividade e espaço.

Downloads 485  485  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Geografia, história e ecologia: criando pontes para a interpretação da paisagem  Popular Versão: pdf
Atualização:  2/5/2013
Descrição:
SOLORZANO, Alexandro; OLIVEIRA, Rogério Ribeiro de e GUEDES-BRUNI, Rejan Rodrigues

O artigo apresenta uma revisão analítica dos conceitos e limites de abrangência da História Ambiental comparada à Ecologia Histórica. Para tanto, foram discutidas e avaliadas as influências e raízes fundadoras, bem como a incorporação de conceitos de diferentes disciplinas de outras áreas do conhecimento, como Antropologia, História, Geografia, Arqueologia, Etnobiologia, etc. Conceitos tais como paisagem, território (paleoterritório), escalas (espacial e temporal), e região constituem os seus elementos norteadores, em maior ou menor grau de importância. Objetiva-se com esta abordagem a compreensão da História Ambiental e da Ecologia Histórica, além de identificar os conceitos unificadores, em cujo contexto a Geografia destaca-se como a área do conhecimento habilitada a integrar as disciplinas que buscam analisar as relações entre os seres humanos e o seu espaço físico.

Palavras-chave: História Ambiental. Ecologia Histórica. Geografia. Paisagem. Dicotomia ser humano-natureza.

Downloads 474  474  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Mergulhando num mar de relações: redes sociais como agentes de transformação em bairros populares Popular Versão: 
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
SERPA, Angelo

Neste artigo discute-se o papel desempenhado pelos agentes e redes sociais na produção do espaço urbano e seu impacto sobre os processos socioespaciais em três bairros de urbanização popular em Salvador, Bahia, apontando para a desconstrução da clássica dicotomia centro-periferia e priorizando o bairro como recorte espacial para os estudos de geografia urbana na contemporaneidade. A pesquisa objetiva, a partir dos dados e informações levantados nos bairros populares, construir novas metodologias de abordagem dos “espaços vividos” pela população de baixa renda, com o intuito de embasar políticas efetivas de planejamento participativo no contexto da capital baiana, entendendo os “bairros” como espaços de vivência e áreas prioritárias de intervenção.

Palavras-chave: Bairro popular. Redes sociais. Periferias urbanas. Espaço vivido.

Downloads 474  474  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Unesp  Site http://cecemca.rc.unesp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Vulnerabilidade do lugar vs. vulnerabilidade sociodemográfica: implicações metodológicas de uma velh Popular Versão: pdf
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
MARANDOLA JR., Eduardo e HOGAN, Daniel Joseph

A pergunta "vulnerabilidade a que?" é primária nos estudos sobre riscos e perigos. Nos estudos populacionais, essa pergunta se direciona a grupos demográficos que estão sujeitos a determinados perigos, que podem estar relacionados às características da dinâmica demográfica ou à sua situação socioeconômica, ligadas ao ciclo vital, à estrutura familiar ou às características migratórias do grupo. O campo de população e ambiente acrescentou a dimensão espacial à problemática, considerando a posição e a situação (relacionais e relativas) componentes dos elementos que produzem perigos ou que fornecem condições de enfrentá-los. Notam-se, de um lado, a influência de uma abordagem ecológica, que entende o meio como um conjunto físico-social que influencia e é influenciado pela população, e, de outro, a presença de postulados materialistas, que concebe a relação sociedade-natureza como um devir histórico-social que se pauta pela produção contraditória e desigual do espaço e da sociedade. Em ambientes fortemente modificados pelo homem, como as grandes cidades, a matriz causal de riscos e de elementos que podem interferir na vulnerabilidade é consideravelmente maior, tornando difícil apreender relações de causalidade entre determinados perigos e certas características do grupo demográfico. Em vista disso, olhar para os perigos e para a vulnerabilidade do lugar é uma estratégia que permite, em microescala, captar os elementos que interferem na produção, aceitação e mitigação dos riscos. A dimensão ecológica é re-significada ao incorporar a dimensão existencial e fenomênica do lugar, entendendo os grupos demográficos em sua relação de envolvimento e pertencimento ao seu espaço vivido. A partir de uma série de trabalhos empíricos desenvolvidos nos últimos anos, este artigo reflete sobre as possibilidades dessa perspectiva teórico-metodológica, que utiliza uma prática qualitativa de campo e uma orientação geográfica na construção de um diálogo mais estreito entre Geografia e os estudos populacionais, a partir do campo População e Ambiente.

Palavras-chave: Riscos. Cidade. Espaço. Metodologias qualitativas. Geografia da população.

Downloads 473  473  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!Compartimentação estrutural e conectividade dos sistemas aquíferos Caiuá e Serra Geral no Noroeste d Popular Versão: pdf
Atualização:  2/5/2013
Descrição:
BETTU, Daniel Fabian; FERREIRA, Francisco José Fonseca; SALAMUNI, Eduardo; FERNANDES, Luiz Alberto

No noroeste do estado do Paraná os arenitos eólicos do Grupo Caiuá (Bacia Bauru - Cretáceo Superior) estão dispostos sobre basaltos da Formação Serra Geral (Grupo São Bento - Cretáceo Inferior da Bacia do Paraná). Ambos constituem importantes sistemas aquíferos. Apesar da permo-porosidade dos basaltos ser do tipo fissural, diferente dos arenitos onde é granular, a porção superior do Sistema Aquífero Serra Geral (SASG) apresenta-se livre, em conjunto com o Sistema Aquífero Caiuá (SAC). O contraste de susceptibilidade magnética entre os basaltos e os arenitos possibilitou o emprego de dados aeromagnéticos para delinear as estruturas mais proeminentes do embasamento dos arenitos. A análise de superfície dos arenitos consistiu na interpretação morfoestrutural a partir da rede de drenagem, modelo digital de elevação (MDE) e imagens Landsat 7/ETM+. A comparação entre os dois níveis de investigação revelou a coincidência de algumas estruturas mapeadas, resultando em um arcabouço estrutural comum ao SAC e ao SASG. Mapas de sólidos totais dissolvidos (STD) e do conteúdo catiônico das águas de poços produtores completados no SAC, indicaram zonas com características hidroquímicas do SASG em seu interior, denotando a conectividade hidráulica dos dois sistemas aquíferos. A superposição do arcabouço estrutural integrado aos mapas hidrogeológicos (vazão, capacidade específica e hidroquímicos), revelou que grandes estruturas, frequentemente, exercem influência na compartimentação hidrogeológica da região.

Palavras-chave: Grupo Caiuá (Bacia Bauru). Formação Serra Geral (Bacia do Paraná). Método Magnético. Hidrogeologia. Geologia Estrutural.

Downloads 467  467  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Artigos
Fazer Download agora!A sociologia urbana, os modelos de análise da metrópole e a saúde coletiva: uma contribuição para o  Popular Versão: pdf
Atualização:  4/9/2013
Descrição:
NAJAR, Alberto Lopes; MARQUES, Eduardo César

À luz da antiga relação entre a epidemiologia e o espaço geográfico e dos diversos modelos de produção das cidades, apresenta-se uma sistematização das noções de espaço/território, a partir da década de 1970 no Brasil. Discutem-se os principais modelos analíticos das grandes cidades brasileiras, cujas raízes conceituais encontram-se em disciplinas como a sociologia urbana, a geografia humana, a economia regional e o planejamento urbano. Sugere-se que a distribuição de investimentos públicos guarda relação com a estrutura social cristalizada no espaço. Procura-se ampliar as bases de um diálogo entre a literatura que apóia as análises das chamadas desigualdades socioespaciais e a saúde coletiva. Apresenta-se sugestão de arcabouço para o desenvolvimento de tipologias de análise socioespacial. Considera-se que se encontram disponíveis diversas técnicas computacionais que popularizam o emprego de variáveis passíveis de expressão espacial. No entanto, essas facilidades ressentem a falta de um aporte mais sociológico, ou humanístico.

Palavras-chave: Desigualdades socioespaciais. Saúde coletiva. Espaço geográfico. Ciências sociais e saúde.

Downloads 462  462  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 (15) 16 »