Educadores

Ínicio : Língua Portuguesa : Dissertações : Produções de Profissionais da Seed: Dissertações : 



Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Data (novos listados primeiro)

Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!A prática discursiva da revista nova escola sobre o Anee Popular Versão: PDF
Atualização:  23/2/2016
Descrição:
GARBOSSA, Maria Roseli Castilho

O presente trabalho visa verificar, a partir da perspectiva teórica da Análise de Discurso de orientação francesa, a concepção de inclusão social do aluno com necessidade educacional especial (ANEE) construída pela revista Nova Escola. A revista foi escolhida como objeto de estudo por se tratar de uma publicação representativa na área educacional, já que desde sua criação, em 1986, é editada mensalmente pela Fundação Victor Civita, entidade mantida pelo Grupo Abril. Amparada no juridismo da lei e na “cientificidade” da pedagogia, a Nova Escola apresenta-se como conhecedora dos problemas educacionais, legitimando-se como espaço da verdade e do bem comum e, em decorrência, autodeclarando-se competente para mostrar ao professor o que deve ser feito para que a inclusão do
ANEE aconteça no ensino regular. Ao produzir, sustentar e propagar a sua crença de inclusão como tolerância, solidariedade e socialização, a revista silencia outros discursos que, na verdade, significam por sua ausência, já que os efeitos de sentido se dão no confronto entre o dito e o não-dito. Nessa perspectiva, a partir do que permite o dispositivo teórico-metodológico da Análise do Discurso, propomo-nos a analisar as materialidades discursivas da revista, a fim de compreendermos o funcionamento da linguagem, que põe em relação sujeitos e sentidos afetados pela língua e pela história. Para a realização do trabalho, recortamos para a análise, sequências discursivas de sete edições da revista Nova Escola (setembro/2003, maio/2005, outubro/2006, outubro/2006 (edição especial), julho/2009 (edição especial), dezembro/2009 e agosto/2011). A pesquisa está fundamentada principalmente nos estudos de Pêcheux (2009, 2010), Orlandi (1997, 2007), Possenti (2009) e Mariani (1998, 2005). Acreditamos ser possível, com esta organização, pensarmos o processo discursivo da Nova Escola a respeito da inclusão social do ANEE como prática social e ideológica que se constitui pelas relações de sentido historicamente construídas pelos sujeitos, que produzem um discurso de acordo com a formação discursiva que os regula.

PALAVRAS-CHAVE: Análise de Discurso. Revista Nova Escola. Inclusão social do ANEE. Tolerância. Sociabilidade.

Downloads 561  561  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual do Oeste do Paraná  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Os pronomes pessoais de 1ª pessoa: uma análise a partir das produções escritas dos alunos do 9º ... Popular Versão: PDF
Atualização:  23/2/2016
Descrição:
RENNÓ, Marcos Antônio Travello

Este trabalho tem como objetivo principal identificar e sistematizar as ocorrências dos pronomes pessoais de 1ª pessoa (singular e plural) nas produções escritas dos alunos de 9º ano (de uma escola pública do estado do Paraná), para verificar o modo como essas formas se apresentam e se organizam nessas produções. Tomam-se como base os estudos linguísticos mais recentes sobre o português brasileiro — por exemplo, Bagno (2012) e Castilho (2010) — que descrevem e explicam o estatuto categorial dos pronomes pessoais em relação a critérios semânticos, discursivos, gramaticais e também em relação ao processo de gramaticalização pelo qual essa classe/função tem passado. Pretende-se, dessa forma, estabelecer um quadro analítico para que se possa, a partir da análise e comparação com os autores acima mencionados, levantar: (a) quais são os pronomes pessoais de 1ª pessoa (e as palavras ou expressões que adquiriram essa função) usados pelos alunos em suas produções escritas; (b) em que medida esse uso diverge do que descrevem os estudos linguísticos mais atuais sobre os pronomes, principalmente em relação às funções e aos elementos lexicais que as representam e (c) se os nove anos do ensino fundamental deram aos alunos o acesso às normas cultas características do contexto urbano ou se existem traços de outras variedades em suas produções escritas. Os resultados obtidos indicam que os alunos do 9º ano usam, nas produções escritas, os pronomes de 1ª pessoa tradicionalmente prescritos nas gramáticas prescritivo-normativas, mais a expressão a gente, que equivale a nós. Quanto às funções desempenhadas pelos pronomes, há, ainda que, em poucos casos, divergência entre prescrição e uso. No que concerne às gramáticas descritivo-normativas, os resultados obtidos praticamente coincidem com aqueles descritos em seus quadros de pronomes de 1ª pessoa, como aqueles próprios dos usos dos brasileiros, tanto em relação às formas como em relação às funções. Espera-se que, de alguma forma, a investigação contribua não só para a descrição do funcionamento da língua no que concerne ao uso dos pronomes, mas também para o apontamento de soluções quanto à sua aquisição na forma mais prestigiada.

PALAVRAS-CHAVE: Português brasileiro. Pronomes pessoais. Falante real.

Downloads 4959  4959  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Londrina   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Contextos educacionais inclusivos de alunos surdos: ações frente à realidade inclusiva ... Popular Versão: PDF
Atualização:  23/2/2016
Descrição:
SOUZA, Márcia Cristina

Este trabalho, de cunho qualitativo, fundamenta-se nas ações docentes dos professores de matemática da educação básica que tem em suas turmas alunos surdos incluídos. Tem como objetivo compreender a realidade de tais contextos educacionais inclusivos e contribuir com os debates e estudos sobre o processo de inclusão de alunos surdos na educação básica. Foram utilizadas entrevistas estruturadas com quinze professores de Andirá-PR e municípios vizinhos, que trabalhavam em 2011 com alunos surdos incluídos em suas aulas de matemática. As transcrições das entrevistas foram submetidas aos procedimentos e conceitos apresentados pela Análise de Conteúdo (AC) proposta por Bardin (1977) até a sua estruturação e após a organização das informações, na fase da análise, migrou-se para uma interpretação utilizando-se da Metanálise, proposta por Fiorentini e Lorenzato (2009). As respostas dos professores de matemática da região pesquisada possibilitou a compreensão de seus conhecimentos sobre a surdez, sobre as políticas de inclusão e sobre as ações educativas na educação inclusiva do
aluno surdo. Foi possível também levantar informações sobre a necessidade de maiores investimentos na formação continuada dos professores para que os mesmos possam participar da construção de currículos inclusivos como solicita as Diretrizes Curriculares da Educação Especial para a construção de currículos Inclusivos (PARANÁ, 2006). Espera-se com os resultados da pesquisa contribuir para o avanço dos estudos referentes à educação inclusiva de alunos surdos de maneira geral. Em suma, o presente trabalho adentrou os ambientes inclusivos e verificou que ainda são muitas as dificuldades vivenciadas pelos professores com a inclusão do aluno surdo pois existe falta de aprofundamento teórico desses profissionais da educação e os ambientes educacionais não estão gerenciados e estruturados de acordo com as leis de inclusão.

Palavras-chave: Educação básica. Professores de matemática. Educação inclusiva. Aluno surdo. Ações docentes inclusivas.

Downloads 566  566  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Londrina  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Escola território e violência: reflexos no campo escolar Popular Versão: PDF
Atualização:  23/2/2016
Descrição:
DELGADO, Marceli Mari dos Santos

A violência é um problema presente nas escolas e tem preocupado os sujeitos que convivem nesse território escolar. Ela é um obstáculo que prejudica as relações sociais e a mediação do conhecimento científico. Este trabalho tem como objetivo principal identificar os episódios de violência que advêm no território da escola e no seu entorno e como eles refletem no campo escolar de Instituições Públicas Estaduais de Maringá, denominadas regiões Norte, Sul e Central. A fundamentação teórica pauta-se em pesquisa bibliográfica e em pesquisa de campo. Assim como, em questionários aplicados aos alunos e professores, nos quais se indaga a respeito das relações de convivência dessa comunidade, ocorrências de violências e o reflexo dessas ações na vida dos atores sociais. As considerações dos diferentes questionamentos direcionados a alunos e professores têm a pretensão de coletar respostas às indagações da pesquisadora sobre o que é violência escolar, quais as principais violências incidem nesse campo e o quanto essa prática de violências afeta os agentes escolares. De posse dos resultados coletados, pretende-se apresentá-los às comunidades escolares para que sirvam de apoio na elaboração de políticas públicas que diminuam a violência escolar e, consequentemente, melhorem a qualidade da educação nas Escolas Estaduais do Paraná. Após a compilação dos dados, constata-se que, as principais violências que apreendem o território escolar, na opinião dos docentes, são a estrutura física precária de duas das instituições, a falta de instrumentos adequados para o atendimento das necessidades especiais, o vandalismo, as agressões físicas entre os alunos, o assédio moral, o roubo, e as ameaças, assim como, as substâncias ilícitas que adentram a escola, o medo de traficantes, gangues, a invasão do território escolar por pessoas estranhas e o que pensam a respeito da presença da patrulha escolar. Na compreensão dos educandos, em relação à violência, estão a deficiência das aulas de informática, a carência de políticas públicas de contraturno, problemas de infraestrutura predial, furtos, roubos, agressão física, insultos, assédio moral, ameaças, insegurança, agressões verbais, depredação do patrimônio público, porte de armas no território escolar, entre outras ações violentas, que estão em evidência no presente trabalho.

Palavras-chave: Políticas Públicas. Educação. Território escolar.Violência escolar.

Downloads 2125  2125  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Maringá  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Os formadores de opinião e o discurso sobre a manualização da língua Popular Versão: PDF
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
SALACHE, Loide Andréa

Os fundamentos teóricos que ancoram/sustentam esta investigação são os da Análise de Discurso, tal como foi introduzida por Michel Pêcheux, na década de 60, do século XX e estruturada no Brasil, por Eni Orlandi e pesquisadores que com ela trabalham. Nesse campo disciplinar, o discurso é o centro e só se torna material a partir de sujeitos interpelados pela ideologia e atravessados pelo inconsciente. Metodologicamente, não busca por conteúdos, mas pelo modo como determinados efeitos de sentidos se constituem. O objeto discursivo e os recortes realizados no corpus são determinantes para o direcionamento metodológico. Nessa investigação, o objeto de pesquisa é o discurso sobre a língua manualizada no/do politicamente correto, significada como mais uma ação coercitiva que busca o gerenciamento da língua. Três artigos “formadores de opinião”, pertencentes a formações discursivas que se imbricam e ao mesmo tempo se diferenciam, pelas distintas posições-sujeito, estruturam o corpus. Os chamados, pelos autores do manual, de “formadores de opinião”, respondem pela autoria das três materialidades recortadas e, a partir dessas materialidades, recortamos sequências discursivas (SD's) a serem analisadas, com o objetivo de responder a seguinte questão de pesquisa: Como nos discursos sobre o manual constroem-se evidências de que a língua é sempre heterogênea, apesar das práticas coercitivas?

Palavras-chave: Sujeito. Língua. Ideologia. Cultura. Determinação histórica.

Downloads 1575  1575  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual do Centro-Oeste   Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Estudo das rotinas de escrita na prova de redação do Pas-uem uma interação da universidade ... Popular Versão: PDF
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
SILVA, Janiana Lacerda da

Dentro do arcabouço teórico bakhtiniano, a língua depende da sua realidade fundamental – a interação humana – para existir. Esses pressupostos bakhtinianos, que fundamentam os estudos dos linguistas brasileiros como Geraldi (1991, 1997, 2010) e Antunes (2003, 2009), dentre outros, deslocam o estudo da língua para o estudo da linguagem entendida como uma forma de interação humana mediada pelo uso da língua, o que caracteriza a concepção interacionista de linguagem. Consequente a essa concepção, o texto é concebido como um ‘encontro’ entre dois sujeitos historicamente marcados. Assim, à luz da perspectiva interacionista de ensino-aprendizagem de Língua portuguesa, neste trabalho, buscamos analisar a interação pedagógica organizada no PAS-UEM – Processo de Avaliação Seriada da Universidade Estadual de Maringá – a partir de duas redações de sessenta alunos-candidatos participantes desse vestibular seriado, escritas em dois momentos: nos anos de 2009 e 2011. Esse corpus oferece-nos dados distintos do processo de desenvolvimento da escrita do gênero resumo do aluno em interação com a universidade. Com a análise das interações verbais expressas nessas provas, objetivamos construir a rotina pedagógica materializada na interação verbal que constitui a Prova de Redação do PAS-UEM, reconstruindo os significados das ações linguísticas dos interlocutores participantes do processo. De um lado, buscamos, com essa construção, focalizar o macrossocial dessa modalidade de vestibular, para entender como acontece a sua relação (ou deveria acontecer) com o microcosmo da sala de aula; por outro, estendemos essa interpretação para construir a interação organizada na rotina do processo. Para isso, investigamos a gama completa de variações das ações linguísticas dos interlocutores, para estabelecer a tipicidade e a atipicidade dessas ações, com base na sua frequência relativa, já que, pelo viés etnometodológico da pesquisa qualitativo-interpretativa. A análise evidencia resultados que nos permitem compreender que os alunos-candidatos do vestibular seriado fazem o que sabem e/ou o que foram treinados/orientados no contexto escolar. A Universidade, por sua vez, instaura um diálogo com o ensino médio, por meio das reuniões dos comitês, ao fornecer diretrizes, principalmente, sobre os conteúdos, as orientações que os inserem no contexto e, posteriormente, sobre o se desenvolvimento, confirmando-o ou retificando-o.

Palavras-chave: Ensino-aprendizagem de Língua Materna. Interação. PAS-UEM. Prova de Redação. Linguística Aplicada.

Downloads 1162  1162  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Maringá  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Perguntas de leitura e construção de sentidos: experiência com 6º ano do ensino fundamental Popular Versão: 
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
RODRIGUES, Adélia Aparecida Pereira da Silva

Este estudo, vinculado ao Grupo de Pesquisa “Interação e Escrita” (UEM_CNPq – www.escrita.uem.br) e SEED-Paraná, destaca uma prática de avaliação de leitura muito presente nas salas de aula, as perguntas de leitura, que, embora sejam recorrentes em todas as disciplinas, não se efetivam como eficientes no processo de ensino e aprendizagem. O trabalho realizado no 6º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública de Maringá, no Noroeste paranaense, objetivou demonstrar como é possível alterar as tradicionais perguntas de leitura, que normalmente figuram no livro didático, construindo questionamentos pertinentes, que levam o aluno a refletir sobre suas construções de sentidos e discutir o assunto do texto de forma autônoma e crítica. No intuito de atingir o objetivo, partiu-se das perspectivas sobre leitura, centradas nos estudos da Linguística Aplicada e da prática escolar de leitura, pressupostos discutidos por Dell‟Isola (1996), Solé (1998), Colomer & Camps (2002) e ampliados por Menegassi (1995; 2010; 2011), o qual ressalta a necessidade dessa proposta como parte do processo de desenvolvimento do leitor na escola, para a construção do sentido, fator determinante a qualquer leitura em sala de aula.

Palavras-chave: Leitura. Perguntas. Ensino Fundamental.

Downloads 2916  2916  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Maringá  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!As bibliotecas escolares do ensino médio e a formação do leitor literário: um encontro possível? Popular Versão: 
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
FONTANA, Ana Cláudia Costa

O presente trabalho tem o objetivo de descrever como se estruturam e como funcionam as bibliotecas escolares do Ensino Médio da cidade de Ponta Grossa e qual é o papel que têm desempenhado (e se têm desempenhado) para a promoção da leitura, sobretudo a literária. Trata-se do resultado de uma investigação qualitativa de caráter descritivo, desenvolvida ao longo do ano de 2013, a partir da coleta de dados em cinco colégios público-estaduais da cidade de Ponta Grossa, tendo como base as reflexões de Ezequiel Theodoro da Silva, Luís Milanesi, Rovilson da Silva, Bernadete Campello, Ana Maria Machado, Michele Pètit, Teresa Colomer e outros. Foi feita uma investigação nos locais denominados bibliotecas em cada instituição escolar pesquisada, contando como sujeitos informantes os profissionais que são responsáveis pelo seu funcionamento, os professores de Língua Portuguesa e os alunos de EM. Além de traçar o perfil das bibliotecas, apresentam-se também algumas possibilidades para a transformação do quadro com vistas a sua melhoria a partir de um trabalho em parcerias.

Palavras-chave: Bibliotecas Escolares. Formação de leitores. Mediadores de leitura.

Downloads 1119  1119  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Ponta Grossa  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Presença de anáforas em textos produzidos por aluno do nono ano de uma escola pública do Paraná: ... Popular Versão: PDF
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
PALUDO, Elizete Inês

O presente trabalho teve como objetivo verificar o processo de referenciação na constituição de produções escritas promovidas por aluno do nono ano do ensino fundamental de uma escola pública do Paraná. Conforme proposto nos projetos ART e DAT, observou-se a ocorrência de anáforas presentes nos textos produzidos seguindo-se o artigo científico e o tema “Dia Internacional da Água”. A hipótese inicial estabelecida foi a de que as anáforas dão indícios das reais intenções do autor ao produzir as informações e torná-las públicas. Considerou-se que, se bem explorados, os elementos referenciadores revelam-se aliados no desenvolvimento da competência linguística do aluno. Com base nos estudos da Linguística Textual, pautou-se em obras de pesquisadores fundamentados na perspectiva sociocognitiva e interacionista da linguagem, que consideram a linguagem uma forma de cognição sócio-histórica e de caráter eminentemente interativo. Enfocou-se como ocorreu o processo de retomadas e quais foram as estratégias mais utilizadas na progressão textual. Dois textos foram selecionados para a composição do corpus, por serem representativos das formas de referenciação mais recorrentes. No intuito de proceder à transposição didática de tal forma que se possam aplicar essas noções ao ensino fundamental, as atenções voltaram-se ao texto como unidade de análise. Para dar conta do processo investigativo, esta dissertação foi organizada em torno de três questões: língua, texto e anáfora. A partir da verificação do modo como o aluno lidou com as retomadas em suas produções escritas, foram averiguados juízos de valor e propostas argumentativas. Como resultado, o estudo demonstrou que, para ter domínio sobre a manipulação dos elementos linguísticos no texto, o aluno precisa aprimorar suas capacidades leitoras.

PALAVRAS-CHAVE: Texto. Referenciação. Ensino Fundamental.

Downloads 2156  2156  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma  Universidade Estadual do Oeste do Paraná  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Língua Portuguesa Dissertações Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Resumo-escolar: entre a (in) definição e os limites da prática escolar Popular Versão: PDF
Atualização:  19/2/2016
Descrição:
JESUS, Klabyr Wanderson Cristovão de

Nesta pesquisa, busco verificar se a produção de resumos, nos ambientes escolares, tem se estabelecido como uma prática mecânica de resolução de atividades, como um gênero de texto em que os aspectos formais são privilegiados, ou como um gênero discursivo em que a situação real de comunicação é levada em consideração. Para delimitar fronteiras entre essas abordagens, filio-me teoricamente ao Círculo de Bakhtin, elegendo o dialogismo como a categoria central de onde todas as outras categorias emergirão. Ou seja, assumo o dialogismo, característica constitutiva da linguagem, como a junção, nem sempre harmônica, entre discursos para, em uma dada situação comunicativa, constituir outro discurso. Nessa “negociação” entre os discursos, os sujeitos se reconhecem entre si e se constituem como tal, deixando, na materialidade dos textos, marcas de sua existência. Logo, através da análise dos resumos-escolares, apresento como as marcas linguísticas constituem não só os sujeitos envolvidos no processo de produção dos resumos, mas, também, a própria situação comunicativa.

Palavras-chave: Resumo-escolar. Dialogismo. Sujeito. Efeito de autoria. Gênero textual. Gênero discursivo.

Downloads 2428  2428  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Federal do Paraná  Site 
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 5 (6) 7 »