Educadores



Categoria: Geografia Dissertações
Fazer Download agora!Crônicas da cidade: jornalismo e vida urbana, Belo Horizonte 1928-1938 Popular Versão: 
Atualização:  3/9/2013
Descrição:
PORTO , M. I. G. R.

Esta pesquisa se propõe a identificar as imagens da cidade de Belo Horizonte constituídas através das crônicas sobre a vida urbana no período compreendido entre os anos de 1928 e 1938. Para tal, apresenta-se a crônica como um gênero jornalístico capaz de se constituir como registro do cotidiano. Discute-se a relação da produção jornalística com o contexto no qual ela se desenvolve, bem como as suas implicações na construção da realidade social, atuando como mediador do conhecimento acerca do espaço urbano. Aborda-se as características gerais do planejamento e da construção da cidade de Belo Horizonte, nosso local de observação, para compreender como se relacionam as práticas sociais e os processos comunicativos, observando a influência do espaço na conformação das representações sobre a cidade. Em seguida, apresenta-se o conceito de contrato de leitura, identificando as relações instituídas entre autores, leitores e a cidade a partir do texto. Buscou-se observar como as imagens representadas sobre o cotidiano de Belo Horizonte são forjadas nas relações que se fazem presentes naquele contexto. Nossa análise privilegiou a produção de três autores, Noronha Guarany, Carlos Drummond de Andrade, sob os pseudônimos de Antônio Crispim e Barba Azul, e uma coluna anônima, “A Cidade”, publicados em períodos e veículos diferentes dentro da temporalidade proposta, para observar quais as imagens de Belo Horizonte podem ser identificadas nestas crônicas.

Palavras-chave: Jornalismo. Crônica. Cidade. Imagem. Contrato. Vida urbana. Espaço urbano.

Downloads 434  434  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFMG  Site http://www.bibliotecadigital.ufmg.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.