Educadores



Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Obras sociais maristas & formação do habitus religioso  Popular Versão: 
Atualização:  16/8/2013
Descrição:
ORLANDI, Miguel Antonio

Resumo: A pesquisa realizada nesta dissertação investiga as relações estabelecidas no interior do subcampo marista do RS com o intuito de, através da história, recompor como vem constituindo-se a formação do habitus religioso marista nos educandos e educadores das obras sociais. Na década de 90, enquanto o mundo se adequava às mudanças impostas pela globalização, os maristas do RS decidiram, impulsionados pela Lei da Filantropia e pelas conclusões do XIX Capítulo Geral, que as províncias deveriam voltar suas atividades para os cidadãos mais vulneráveis do espaço social. E, no ano de 1994, respondendo a estes apelos, o Subcampo Marista do RS decide favoravelmente à fundação, em Porto Alegre, de uma obra social de grande porte, inaugurada em 1996 e denominada de CESMAR. A experiência dos maristas na formação de crianças e adolescentes se restringia a colégios particulares. A nova experiência com obras sociais gera “instabilidades” quanto à aplicação dos métodos e recursos educacionais, o que provoca descontinuidade pedagógica e disputas no interior do subcampo, no que se refere à expansão das obras sociais e a manutenção de bolsas de estudo. Tal problemática se estabeleceu como objeto de pesquisa desta dissertação e através de hipóteses foi feito o tensionamento com a Teoria dos Campos de Bourdieu, utilizando-se para isso diferentes instrumentos de coleta de dados, era necessário testar as evidências. Investigar gênese da formação do habitus religioso marista e as relações do subcampo marista com o Campo do Poder e com o próprio Campo Religioso, possibilitou um resgate histórico e uma possível projeção de futuro, “sonhada” pelos principais articuladores do subcampo marista do RS. O papel que as obras sociais desempenham no subcampo marista é fundamental na sua capitalização, pois ampliam a possibilidade de formação dos cidadãos, através da educação, principal “moeda de troca” dos maristas. Optar pela manutenção e ampliação do subcampo religioso marista implica em optar pela formação do habitus religioso das crianças e adolescentes e conseqüentemente pela continuidade das obras sociais.

Palavras-chave: Formação. Habitus. Obras Sociais.

Downloads 1133  1133  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://tede.pucrs.br/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=1497
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.