Educadores



Categoria: Sociologia Dissertações
Fazer Download agora!Outra vez sem terra : uma análise dos egressos da organizaçăo do Assentamento Vitória da Uni Popular Versão: pdf
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
GOUVEIA, Celia Gonçalves

Resumo: O estudo proposto pretende acompanhar a trajetória dos agricultores que um dia entraram na posse de um lote no Projeto de Assentamento Rural Vitória da União, Mangueirinha, PR, e que dele se afastaram posteriormente. Este estudo contempla um recorte que abrange o período entre 1983 e 1988, isto é, desde a preparação para a ocupação até os três primeiros anos agrícolas nas novas propriedades. A pesquisa em questão parte do fato de que a luta pela terra no Brasil está presente em quase todos os momentos da história do país, tendo atingido ultimamente, um grau de intensidade sem precedentes. Neste contexto o Movimento dos Agricultores Sem-terra - MST, surge com o claro objetivo de operar no país uma Reforma Agrária sob o controle dos trabalhadores, em contraposição ao discurso oficial endossado por uma prática que misturava reforma agrária com regularização fundiária e expansão de fronteiras agrícolas. Contrariando o chamamento feito pelo governo, os agricultores se organizaram optando pela ocupação de terras ociosas, com a meta de estabelecerem o conflito tido pelo então vigente Estatuto da Terra como justificativa defensável para a desapropriação. Pretende-se aqui estudar os motivos que levaram as famílias a deixar os assentamentos, orientado pelas seguintes hipóteses: (A) Um importante fator de fracasso dos agricultores assentados é a inadequação dos solos existentes nos projetos de assentamento rural em relação à capacidade econômica dos assentados; (B) Há um descompasso importante entre os objetivos que movem os agricultores que participam das ocupações em busca de terra para produzir e as metas que orientam o Movimento dos Sem-terra, voltadas para a Reforma Agrária de um modo geral; e (C) Os financiamentos destinados aos assentamentos da reforma agrária, em seus primeiros anos não fluiram no ritmo adequado às necessidades reais dos assentados, não levando em conta que um lote de assentamento é uma propriedade em fase de estruturação, em geral, terrenos de mata a serem abertas para a agricultura. Significa que não foram consideradas todas as dificuldades que seriam enfrentadas pelos assentados quando se planejou os financiamentos, tendo estes muitas vezes se transformado em empecilhos em vez de facilitadores. Os dados têm como fonte de informação as fichas de produtores e ex-assentados que serão entrevistados mediante um roteiro de pesquisa.

Palavras-chave: Não informado

Downloads 2369  2369  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/4244
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.