Educadores



Categoria: Educação Especial Produções de Profissionais da Seed: Dissertações
Fazer Download agora!Contribuições dos jogos de papéis para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores. Popular Versão: PDF
Atualização:  15/2/2017
Descrição:
COLUSSI, Lisiane Gruhn.

Na perspectiva da Teoria Histórico-Cultural, com base em Vygotski, Leontiev e Elkonin, o desenvolvimento infantil é concebido como um fenômeno histórico e dialético, determinado pelas condições objetivas da organização social. Desse modo, compreende vários estágios psíquicos caracterizados por distintas formas de relação com o mundo e por diferentes atividades-guia, principais responsáveis por esse processo, sendo o jogo ou brincadeira de papéis a atividade-guia fundamental dos três aos seis anos. Na presente pesquisa, objetivou-se verificar a contribuição dos jogos de papéis para o desenvolvimento das funções psicológicas superiores em crianças de cinco a seis anos. Para alcançá-lo elegeram-se como objetivos específicos: pesquisar o “Estado do conhecimento”, acerca da periodização do desenvolvimento psíquico na Educação Infantil, no período entre 2004-2014; analisar as contribuições da Psicologia Histórico-Cultural para a compreensão do desenvolvimento psíquico da criança pequena; descrever “jogos de papéis” vivenciados por crianças de cinco a seis anos; investigar a dinâmica das interações e das negociações relativas aos papéis que as crianças desempenham durante o jogo de papéis; identificar como os processos funcionais psicológicos manifestam-se nos jogos de papéis. Para atingi-los desenvolveu-se uma pesquisa de campo qualitativa, em uma escola pública municipal envolvendo 12 alunos da Educação Infantil, nessa faixa etária, e a professora. A coleta de dados foi organizada em duas fases. Na Fase I, realizou-se uma pesquisa piloto com seis horas de observação da atividade “Dia do Brinquedo” (assim designada na rotina da sala de aula) com o objetivo de responder a alguns questionamentos que orientaram o planejamento da Fase II. Essa fase envolveu filmagens dos jogos de papéis, efetuadas durante 15 dias, envolvendo seis sessões, com duração média de 45 minutos cada uma, totalizando cerca de cinco horas, as quais foram posteriormente transcritas para análise. A pesquisa sobre o Estado do Conhecimento, assim como os dados coletados na Fase I revelou o desconhecimento dos jogos de papéis como fator de desenvolvimento psicológico infantil. A análise dos jogos de papéis coletados na Fase II demonstrou que as vivências infantis protagonizadas oportunizam a ampliação dos processos funcionais superiores das crianças, o que lhes possibilita serem mais ativas na medida em que favorece interações que possibilitam trocas de experiências entre as crianças e os adultos. Desse modo, o jogo de papéis é uma forma de apropriação cultural das relações sociais produzidas no contexto em que a criança se insere, possibilitando-lhe reconhecer suas capacidades e potencialidades, demonstrar seus sentimentos e julgamentos éticos e morais, e revelar sua consciência na busca de humanizar-se. Assim, é importante que o professor reconheça e favoreça o potencial educativo do jogo de papéis.

Palavras-Chave: Educação Infantil. Jogos de papéis. Funções Psicológicas superiores. Desenvolvimento infantil.

Downloads 422  422  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNIOESTE  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.