Educadores

Ínicio : Pedagogia : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (92)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Notas (Do pior para o melhor avaliado)

Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Implicações da Formação Docente do professor-autor para sua participação no Portal Educacional Popular Versão: PDF
Atualização:  23/8/2013
Descrição:
SCHREIBER, Monica Bernardes De Castro

Trata­-se de pesquisa qualitativa e exploratória, apoiada pela metodologia de História de Vida. O objeto da pesquisa foi identificar aspectos da formação docente que intercederam pela participação de um grupo de professores em um portal educacional — o Portal Dia­ a­ dia Educação — mantido pela Secretaria de Estado da Educação do Paraná (Seed/PR), por meio de uma de suas entidades — o Centro de Tecnologia do Paraná (Cetepar). Com a pesquisa desejou­-se descobrir principalmente que características e aspectos relevantes da formação docente favorecem a participação de professores­/autores em um dos ambientes disponibilizados pelo Portal — o Ambiente Pedagógico Colaborativo. Para tanto, foi realizado um levantamento teórico no qual foram explorados, entre outros aspectos, a identidade e a formação do professor — sustentando-­se sobretudo nos autores Nóvoa (1997, 2002) Tardif (1991, 2002) e Shön (1997,2002) — bem como os ambientes virtuais de aprendizagem — apoiando-­se, entre outros, em Sthal (2006) e Campos (2005). Também foi realizada uma pesquisa de campo, na qual foram aplicados questionários e entrevistas junto a 13 professores que apresentaram contribuições efetivas ao Portal entre os anos de 2003 e 2005, levantando-­se uma síntese de suas biografias para ampliar a compreensão sobre suas características, o seu processo formativo e a sua participação. De um modo geral, os resultados obtidos revelam que os antecedentes dos professores — as experiências que permearam sua vida pessoal e profissional antes e depois de se tornarem docentes — foi de importância significativa para que se tornassem profissionais mais dinâmicos e participativos. Com isso, entre outros aspectos, foi possível desenhar o perfil formativo do educador que decide participar de iniciativas como a do Portal Dia­-a-­Dia Educação.

Palavras-chave: Informática na Educação. Portais Educacionais. Portal Dia­ a Dia Educação. Ambiente Pedagógico Colaborativo. Formação Docente.

Downloads 2854  2854  Tamanho do arquivo 3.05 MB  Plataforma Pontifícia Universidade Católica - PUC-PR  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!A invenção cotidiana do aluno: relações de poder, experiências escolares e possibilidades de existên Popular Versão: pdf
Atualização:  10/5/2012
Descrição:
ENGELBERG, Marcel Francis D'Angio

O aluno é uma invenção. Nem sempre existiu na história essa categoria que entendemos por aluno. A partir apenas do final do século XIX é que se pode falar em sua emergência. Assim, é também a partir daí que se inicia o processo de produção de uma nova subjetividade das crianças e dos jovens. A escola, instituição responsável por acolhê-los, é o principal agente dessa produção. Fabricar alunos torna-se sua especialização. O presente trabalho procurou discutir, ao mesmo tempo, dois aspectos dessa questão: a) a invenção do aluno como algo não acabado e definitivo, sendo produzida diariamente no cotidiano escolar; b) a associação da invenção do aluno não ao poder possuído pela escola, mas às relações de poder exercidas no seu interior. Para isso, foi desenvolvida uma pesquisa de campo no intuito de observar práticas e discursos escolares que tomavam o aluno como questão. Uma escola pública estadual de ensino médio foi escolhida e o trabalho de campo realizado no decorrer dos anos de 2008 e 2009. Conversas com os alunos foram registradas no final de cada um dos anos e completaram o material de pesquisa. Inspirada na concepção de relações de poder do pensador francês Michel Foucault (1926-1984), elaborou-se uma análise que pretendeu explorar algumas das possibilidades e dos efeitos das relações de poder estabelecidas no interior da escola em termos de uma invenção cotidiana do aluno. Uma das ideias que pôde ser extraída daí é que a invenção do aluno não necessita de práticas e discursos fixos e específicos para sua realização, mas pode ser pensada como inúmeras invenções que seriam possíveis a partir de jogos, disputas, imprevisibilidades e possibilidades de inversão, abertas pelas relações escolares de poder. Ademais, procurou-se experimentar um olhar e uma escrita aberta ao acaso, ao singular, ao imprevisto, ao variado e ao repetido, multiplicados pela concepção de poder que foi assumida.

Palavras-chave: Aluno no ensino médio. Cotidiano escolar. Invenção do aluno. Michel Foucault. Práticas/experiências escolares. Relações de poder.

Downloads 1155  1155  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade de São Paulo - USP  Site http://www.teses.usp.br/teses
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!A rima na escola, o verso na história: um estudo sobre a criação poética e a afirmação étnico-social Popular Versão: PDF
Atualização:  10/5/2012
Descrição:
Ferreira, Maíra Soares

Esta dissertação é o resultado de uma pesquisa e intervenção realizada em uma sala de aula com alunos da 7ª série de uma escola pública de São Paulo. Estes jovens, amantes do ritmo e da poesia, são descendentes de famílias afro-brasileiras e indígenas Pankararu, oriundas do sertão de Pernambuco, que se alojaram em São Paulo, a partir da década de 50, período desenvolvimentista, servindo como mão de obra da construção civil paulistana. A escola onde se fez a investigação está situada no bairro Morumbi e atende os estudantes, moradores da favela Real Parque, cujas histórias estão vinculadas a esta experiência de migração do sertão pernambucano para a região sudeste. Observou-se que apesar de conhecida a história desta comunidade, esta não se revelou integrada à cultura escolar, cuja tendência parecia ser a de negar a herança afro-indígena nordestina do corpo discente. Neste sentido, o objetivo do estudo foi investigar e propiciar, pela via poético-musical dos jovens, formas de interlocução com este passado recente. Assim, a partir de uma pesquisa etnográfica" rumo ao sertão nordestino, na região do Brejo dos Padres, de onde veio grande parte dessas famílias, deparamo-nos com as mais ricas produções de poesia popular, que nos forneceu o material para algumas intervenções em sala de aula. O trabalho em classe, que contou com a participação de alunos e professores, foi em torno dos hibridismos culturais com ênfase nos processos de apropriação, recombinação e reinvenção presentes nas manifestações do cordel, do rap e do repente. Entendemos que este processo de mistura de diferentes estilos de produção poética, convertendo-o em algo próprio, foi um modo de os grupos sociais discriminados pela sociedade brasileira responderem às exigências de subjetivação e de afirmação étnico-social.

Palavras-chave: Adolescência. Criação poética. Culturas juvenis. Hibridismos culturais . Preconceito. Afirmação étnico-social.

Downloads 990  990  Tamanho do arquivo 919.93 KB  Plataforma Universidade de São Paulo - USP  Site http://www.teses.usp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!A criança de seis anos na escola: transição da atividade lúdica para a atividade de estudo Popular Versão: PDF
Atualização:  22/8/2013
Descrição:
MAREGA, Ágatha Marine Pontes

Diante da recente inclusão da criança de seis anos no ensino fundamental e das dúvidas presentes na prática escolar com relação à organização do ensino para as crianças nesta faixa etária, observamos que uma das preocupações sobre o ingresso da criança no ensino obrigatório é de que essa situação a colocaria precocemente em situações formais de ensino, retirando dela o direito, o tempo e o espaço de brincar. Tal concepção nos remeteu a ideia dicotômica entre o brincar e o estudar, como se fossem duas atividades antagônicas. Considerando essa problemática, realizamos a presente pesquisa com o objetivo de investigar de que forma o ensino para crianças de seis anos pode ser organizado levando em conta a transição a atividade lúdica para a atividade de estudo. Para tanto, realizamos estudos calcados na Teoria Histórico-Cultural (Vigotsky, Leontiev e Elkonin) que nos ofereceram o aporte teórico necessário para compreendermos: a relação entre ensino, aprendizagem e desenvolvimento; o papel ativo do sujeito na produção e apropriação do conhecimento; a periodização do desenvolvimento psíquico; e as especificidades do ensino para a faixa etária de seis anos, destacando a atividade lúdica e a atividade de estudo como atividades principais da idade pré-escolar e da idade escolar, respectivamente. Realizamos, também, um experimento didático com alunos do 1o ano do ensino fundamental de uma escola pública da rede municipal de ensino de Maringá. Esse percurso de investigação nos permitiu concluir a necessidade da condução pedagógica desse processo de transição. Apesar de a atividade lúdica e a atividade de estudo não apresentarem as mesmas propriedades, ambas têm uma característica comum: o conteúdo. Há conteúdos no brincar e no estudar. No momento de transição entre uma atividade e outra é fundamental não reforçar as diferenças entre essas atividades, opondo-as como uma ligada ao prazer, outra à obrigação, reservando tempo e espaço hora para uma, hora para outra. Pelo contrário, essas atividades devem se interagir e interpenetrarem-se. A ação sobre a unidade entre elas – o conteúdo – é o caminho metodológico para isso. O que implica em propiciar conteúdo escolar para a atividade lúdica para que as crianças avancem para além da reprodução das relações cotidianas, comuns nas brincadeiras livres, e ampliem seus conhecimentos sobre o mundo, aproximando-se do conhecimento científico. Além disso, é essencial que, nesse processo, o professor saiba, aos poucos, transmitir aos alunos maior valor ao prazer de conhecer, do que ao prazer de apenas brincar, levando a criança a perceber a riqueza do novo lugar que ela passa a ocupar como estudante do ensino fundamental.

Palavras-chave: Ensino fundamental de nove anos. Atividade lúdica. Atividade de estudo. Teoria histórico-cultural.

Downloads 1233  1233  Tamanho do arquivo 2.50 MB  Plataforma Universidade Estadual de Maringá - UEM  Site http://www.ppe.uem.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Rubi e Diamante vão à escola. E agora? Confrontos com a cultura escolar Popular Versão: PDF
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
MASHIBA, Glaciane Cristina Xavier

O presente trabalho é resultado de pesquisa qualitativa, especificando-se em estudo de caso, referente à história de dois irmãos, Rubi e Diamante (nomes fictícios para manter o anonimato das crianças). O objetivo é analisar esta história, rica por sua peculiaridade, para responder à seguinte questão: Estaria a escola preparada para receber alunos com diferenças culturais tão acentuadas no contexto escolar? O material necessário foi-me possibilitado por meio de fontes orais e documentais. Os subsídios teóricos que respaldam minha análise envolvem estudos multi/interculturais, antropológicos da hominização, cultura escolar, inclusão e exclusão e formação de professores. Rubi e Diamante são crianças que viveram isoladas em um lugarejo no Sul do Paraná, em uma estrutura familiar composta de mãe, com patologia psiquiátrica crônica e irreversível e pai, na maioria das vezes ausente devido às exigências de seu trabalho. Tal cotidiano ocasionou um intenso convívio dos meninos com a cadela que se tornou um modelo de comportamento. Assim, foram crescendo com costumes próprios, até que o Conselho Tutelar da cidade os encontrou por meio de uma denúncia e tomou as providências cabíveis para o caso. Posteriormente, passaram a frequentar escolas do ensino regular dentro dos princípios de inclusão. Contudo, após migrarem de uma escola à outra, evadiram-se da escola pressionados pelos confrontos culturais.

Palavras-chave: Sociedade. Cultura. Educação. Exclusão. Inclusão.

Downloads 693  693  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma Universidade Estadual de Maringá - UEM  Site http://www.ppe.uem.br/dissertacoes
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Relações Raciais, Discurso e Literatura Infanto-juvenil Popular Versão: PDF
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
ARAUJO, Débora Cristina de

A presente pesquisa teve como objeto de análise os discursos sobre os grupos raciais brancos e negros, produzidos a partir de leituras de obras infanto-juvenis em salas de aula. A partir dessa perspectiva foi constituído o problema de pesquisa: os discursos da literatura infanto-juvenil e sua interpretação, em contexto escolar, apresentam estratégias ideológicas relativas à dominação racial? A metodologia utilizada foi a Hermenêutica da Profundidade (HP), com a proposta de investigar se a produção, veiculação e recepção/interpretação de obras literárias infanto-juvenis apresentavam discursos que atuavam no sentido de produzir/reproduzir hierarquias raciais. O exame de contexto consistiu em análise de bibliografia sobre literatura infanto-juvenil e, em específico, de estudos sobre ideologia e relações raciais relacionados a este gênero literário; análise de documentos relativos ao Programa Nacional Biblioteca da Escola; análise de estudos sobre relações raciais na escola. Para análise formal foi realizado estudo exploratório em uma escola e estudo de campo em outra, que consistiu em presenciar, gravar e transcrever oito aulas de leitura em turmas de quarta série do ensino fundamental. Foram observadas várias estratégias ideológicas na interpretação das mensagens dos livros, em especial a diferenciação, que se relacionou, neste estudo, ao cânone estabelecido por meio de um modelo eurocêntrico de currículo e literatura infanto-juvenil, conferindo às aulas analisadas nesta pesquisa uma característica de artificialidade, por serem direcionadas única e exclusivamente a obras que tematizam a cultura africana. Outra estratégia recorrente foi a estigmatização, responsável por reforçar pré-concepções e estereótipos a respeito da história e cultura afro-brasileira e africana. No que se refere à branquidade (enquanto categoria de análise das relações raciais) resultados ambíguos e divergentes foram encontrados: em alguns momentos, a postura da professora atuou no sentido de reforçar estereótipos ora por meio do silêncio e omissão diante de práticas discriminatórias, ora através de conceituações restritivas e estigmatizantes sobre a população africana; e, em outros, avanços foram verificados por relacionarem-se a alterações na atuação pedagógica de professoras brancas que, diante do compromisso em atender às expectativas desta pesquisa, desenvolveram leituras e posteriores debates que operaram de forma a promover rupturas de um modelo depreciativo de representação da cultura africana. Este resultado, em específico, representou um diferencial em comparação com resultados de outras pesquisas sobre o mesmo tema, as quais identificaram que a branquidade como norma agiu de forma latente no fortalecimento do racismo no espaço escolar. Em síntese, os resultados observados através da interpretação das formas simbólicas apontam que a ideologia se fez presente nos diversos estágios de produção, difusão e, sobretudo, recepção de obras literárias infanto-juvenis.

Palavras-chave: Literatura infanto-juvenil. Relações raciais. Ideologia; Discurso. Hermenêutica da Profundidade.

Downloads 1143  1143  Tamanho do arquivo 3.63 MB  Plataforma Universidade Federal do Paraná - UFPR  Site www.ppge.ufpr.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!A formação de educadores no espaço dos movimentos sociais do campo : um estudo a partir da I turma d Popular Versão: PDF
Atualização:  22/8/2013
Descrição:
Ghedini, Cecilia Maria; Abreu, Claudia Barcelos de Moura

Este estudo tem como objeto a Formação de Educadores na perspectiva da Educação do Campo e analisa o Curso de Pedagogia da Terra, a partir da proposta teórico-metodológica construída no I Curso de Magistério do MST e no I Curso de Pedagogia da Terra da Via Campesina, buscando compreender quais as suas especificidades. Compreende que a resistência e organização dos camponeses através dos Movimentos Sociais e Organizações Populares do Campo, emergem das contradições provenientes do processo de concentração da terra no Brasil e, fornecem as condições para o nascimento e consolidação do MST. A formação para os direitos nos MSPdoC será base da proposta de educação formal desenvolvida no Movimento Sem Terra, neste caso o I Curso de Magistério para educadores do campo. Busca compreender a organização do trabalho pedagógico deste Curso, a partir de seus elementos. Em seguida, centra-se então na especificidade da proposta teórico-metodológica do I Curso de Pedagogia da Terra da Via Campesina realizado num convênio com a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS) e os MSPdoC que integram a Via Campesina/Brasil, em parceria com o Instituto Técnico de Capacitação e Pesquisa da Reforma Agrária(ITERRA). Configura-se como uma investigação de caráter qualitativo, um estudo bibliográfico com pesquisa documental, utilizando fontes primárias de documentos dos cursos e secundárias, respectivos estudos específicos. Os principais objetivos foram: situar a educação não-formal a partir da organização dos MSPdoC e a demanda para a educação formal; visualizar a relação entre o Curso de Magistério do Movimento Sem Terra e a proposta teórico-metodológica deste Curso de Pedagogia; perceber qual é a relação entre formação geral do Curso de Pedagogia: “ser pedagogo” e a especificidade “da terra” ou “do campo”. Este trabalho proporcionou perceber avanços na Proposta de Educação do Campo nascida dos MSPdoC, por mostrar que as práticas podem estabelecer relações entre o Projeto de Desenvolvimento hegemônico, os conhecimentos das práticas sociais dos camponeses e as escolas públicas do campo, aprofundando-os na relação com o conhecimento sistematizado. Contudo, percebeu-se limites relativos às concepções teóricas dos Movimentos e Organizações dos Camponeses, bem como das Instituições de Ensino onde se desenvolvem tais propostas, o que pode gerar diferentes perspectivas com o risco de tornar-se apenas mais uma proposta de educação específica, em relação à proposta de transformação dos Movimentos. Neste sentido, este Curso poderá perder suas características originais, porém a possibilidade de acesso ao Ensino Superior pelos camponeses, dentre eles os educadores, bem como a demarcação do campo e suas questões em espaços oficiais de ensino, pesquisa e extensão, mostram sua positividade. Aos Movimentos e Organizações do Campo, firma-se a necessidade de manter espaços próprios para a formação de seus quadros. Percebe-se assim a relevância de manter a originalidade da proposta teórico-metodológica dos cursos de formação de educadores, mesmo que a objetividade nem sempre permita implementá-la, porém, construir tal proposta com o aporte dos Movimentos Sociais e Organizações Populares do Campo, apresentará embates e contradições inerentes a um processo de educação que se pretenda emancipador.

Palavras-chave: Educação do campo. Formação de educadores. Pedagogia da Terra.

Downloads 746  746  Tamanho do arquivo 506.35 KB  Plataforma Universidade Federal do Paraná - UFPR  Site http://dspace.c3sl.ufpr.br/dspace/handle/1884/286
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Duas escolas, duas expressões do Iluminismo. Rousseau e Condorcet: o futuro que o passado ousou proj Popular Versão: pdf
Atualização:  10/5/2012
Descrição:
CALÇA, Robson Pereira

Nossa pesquisa situa a sua investigação em um período decisivo, seja para a História da Filosofia Moderna e Contemporânea, seja para a História Política do Ocidente. Trata-se do período em que vigorou o Iluminismo Francês, que, com dois de seus mais eminentes representantes, Rousseau e Condorcet, deixou para a posteridade dois projetos de escola pública, acompanhados de reflexões fundamentais para compreender os autores, por essa parte de suas obras, e esta parte de suas obras por meio das concepções gerais de ambos os autores. Em um período aproximado de apenas vinte anos (de 1770 a 1791), Rousseau traçou em linhas gerais uma escola pública para a Polônia e Condorcet formula um plano completo de instrução pública destinado à França. Analisamos estas duas formulações de instituição escolar, com especial atenção nos conceitos de público e de Estado nelas expressos, pois constituem também eventos extraordinários, que ocorrem nesse período, em primeiro lugar, a recorrência e a intensidade com que é atribuído ao Estado o papel de intermediador da relação que o homem, no âmbito coletivo, travará com o conhecimento e com a virtude; e, em segundo lugar, a própria relação entre a Filosofia e as questões ligadas à coisa pública, tanto na esfera teórica, quanto em suas incursões na vida política europeia do século XVIII. Julgamos que, com a pesquisa que ora propomos, poderemos colaborar com a compreensão das concepções de igualdade, liberdade e justiça, defendidas por ambos os autores, bem como do posicionamento de ambos frente a questões como o direito do homem ao conhecimento e o dever do Estado, assim como seu interesse, em fomentá-lo.

Palavras-chave: Educação. Estado. Iluminismo. Instrução. Público.

Downloads 2764  2764  Tamanho do arquivo 897 bytes  Plataforma Universidade de São Paulo - USP  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Inclusão digital de sujeitos com deficiência física através do uso da tecnologia assistiva  Popular Versão: PDF
Atualização:  23/3/2012
Descrição:
HERNANDEZ FERRADA, Romy Britt

Este trabalho se propõe a fazer o recorte de uma investigação realizada no âmbito da Informática na Educação Especial em prol da inclusão digital e das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC). Tal estudo teve como objetivo a adaptação e apropriação da Tecnologia Assistiva (TA) em sujeitos com necessidades educacionais especiais, procurando responder: Como ocorre o processo de adaptação e apropriação dos recursos da Tecnologia Assistiva dos sujeitos com deficiência física na interação com ambientes virtuais/digitais de aprendizagem, com vistas à sua inclusão sociodigital? O referencial desta pesquisa baseou-se na teoria Socio-Histórica de Vygotsky, que evidencia o desenvolvimento humano por meio da interação e apropriação de instrumentos de mediação. Nessa perspectiva, ofereceu aos sujeitos com necessidades educacionais especiais (NEEs) adaptações como a Tecnologia Assistiva, com o intuito de tornar acessível sua interação nos ambientes virtuais/digitais. Para analisar o processo de adaptação e apropriação da Tecnologia Assistiva de pessoas com deficiência física em ambientes virtuais/digitais de aprendizagem, optou-se pela metodologia qualitativa, e para coleta de análise de dados, o estudo de caso, focando-se em três sujeitos com deficiência física, através de observações diretas e interações com esses sujeitos. O transcurso deste processo ocorreu no Núcleo de Informática na Educação Especial (NIEE) da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Os resultados apontaram para uma bem-sucedida adaptação da tecnologia, pois os sujeitos passaram a fazer melhor uso das ferramentas após a inserção de alternativas que supriam as suas necessidades. Além disso, percebemos que a TA possibilitou melhorias em termos de tempo e precisão de uso, o que corroborou para torná-los independentes e com mais autonomia em suas interações nos ambientes virtuais/digitais de aprendizagem.

Palavras-chave: Deficiente físico. Educação especial. Inclusão digital. Informática na educação.

Downloads 2775  2775  Tamanho do arquivo 5.12 MB  Plataforma Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS  Site http://www.lume.ufrgs.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Pedagogia Dissertações
Fazer Download agora!Tecnologia e Educação no Paraná: Desafios do Dia a Dia Popular Versão: 
Atualização:  23/8/2013
Descrição:
MACHADO, Ana Cláudia Bastian

A presente pesquisa busca registrar a história das políticas em tecnologias educacionais da Secretaria de Estado da Educação do Paraná no período de 2003 a 2009, enfocando o trabalho da Diretoria de Tecnologias Educacionais e suas coordenações no propósito de democratizar o acesso, proporcionando infraestrutura e formação continuada dos docentes da rede estadual de ensino do Paraná, destacando algumas práticas diferenciadas de professores(as) e assessores(as) pedagógicos(as) no que tange à apropriação tecnológica e uso das tecnologias no âmbito escolar.

Palavras-chave: Tecnologias Educacionais. Educação. Prática. Portal Dia a dia Educação. Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Cultura.

Downloads 4845  4845  Tamanho do arquivo 7.81 KB  Plataforma UTFPR  Site 
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 (3) 4 5 6 7 8 9 10 »