Educadores

Ínicio : História : Teses : 

Produções de Profissionais da Seed: Teses (10)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Título (Z a A)

Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Memórias de infância em Maringá: transformações urbanas e permanências rurais 1970/1990 Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
MORELLI, Ailton J.

O objetivo desta pesquisa é a análise das memórias de infância durante a urbanização da cidade de Maringá, entre 1970 e 1990. A cidade de Maringá foi fundada no final da década de 1940, integrando a colonização do Norte do Paraná. Nas duas décadas seguintes, as características da cidade ficaram mais definidas. Maringá tornou-se centro de distribuição de bens e de prestação de serviços para a região, contando com investimentos empresariais e escritórios regionais de vários órgãos do governo estadual. Além disso, com o avanço do plantio de soja e outros produtos agrícolas, a produção de café deixou de ser a principal fonte econômica da cidade. Até o início da década de 1970, houve um crescimento demográfico expressivo, registrando-se cerca de 130 mil habitantes. Em 1967 foi elaborado, sob orientação do governo estadual, o Plano Diretor de Desenvolvimento que constatou a adiantada urbanização da região central de Maringá e a necessidade de ações públicas urgentes nas áreas periféricas. Para analisar como esse processo, desenvolvido entre 1970 e 1990, foi vivido pelas crianças da época, o uso de fontes orais demonstrou ser o mais indicado. As entrevistas foram realizadas com pessoas que moraram em Maringá no período analisado, nascidas entre 1960 e 1980. Seguiu-se uma distribuição geográfica de suas moradias, estratégia que permitiu uma visão mais ampla da cidade, inclusive da periferia. A abrangência das perguntas possibilitou uma análise da relação dos entrevistados com o seu cotidiano: moradia, alimentação, brincadeiras, trabalho, relações de vizinhança e dos adultos com as crianças; e com a cidade e os serviços oferecidos: saúde, educação, lazer, transporte, entre outros. O trabalho com as fontes orais, além de analisar como o processo complexo de urbanização da cidade ficou registrado na memória dos depoentes, ainda permitiu o aprofundamento na questão da formação da memória da infância nos adultos.

Palavras-chave: História das Crianças. História do Paraná. Memória de Infância. História de Maringá.

Downloads 497  497  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGHE - USP  Site http://historia.fflch.usp.br/posgraduacao/he
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Memória e experiência de uma cidade do Paraná: a cidade de Maringá Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
FIGUEIREDO, Lauro C.

Este estudo Memória e Experiência de uma cidade do Paraná: a cidade de Maringá, examina o processo de apropriação do espaço urbano da cidade de Maringá no Estado do Paraná. Procura ainda investigar e elaborar algumas hipóteses sobre como esse processo levou à destruição de um tipo de referencial espacial que existia entre os trabalhadores desta urbe e que, em última instância, engendrava uma nova forma de viver a cidade. Como tema central do objeto de estudo, foram eleitas algumas "representações nostálgicas". Os antigos moradores da cidade referem-se aos pontos de encontro da cidade como sendo lugares nostálgicos, ou seja, aquele tempo da juventude [as festas religiosas com suas "quermesses", as festas cívicas e culturais, o cinema, as praças e os bailes que aconteciam no Aero Clube. Sob o ponto de vista nostálgico, esses espaços são lugares evocados de um tempo impreciso, pessoal e coletivamente vivido. São memórias que, a partir de um lugar, procuram unir o presente ao passado da cidade. São momentos vivenciados e construídos em uma determinada época, os quais pretende-se reconstituí-los através da história de vida desses trabalhadores. A justificativa aqui apresentada é invariavelmente a necessidade de preservar a "memória urbana". Isso porque a falta de políticas públicas, que deveriam conciliar desenvolvimento e preservação, já foram substituídas por relações íntimas entre governos locais e o capital imobiliário. As memórias voltam-se ao "tempo dos começos", caracterizando-se as várias dimensões e experiências próprias dos seus modos de vida, como o cultivo dos roçados, hábitos alimentares, os bailes, as festas populares, a convivência entre os vizinhos. São experiências que perpassam o conjunto das relações tanto sociais quanto com a natureza. Este universo lúdico, responsável pelo entrelaçamento de relações individuais e de grupo, de criação de redes de amizade, de solidariedade, de influência e poder constituídas em práticas cotidianas, revelou-se mais amplo e menos óbvio ao nosso olhar, quando relacionado ás experiências de vida de antigos moradores.

Palavras-Chave : Cidade.Urbanização. Memória. Sociabilidade. Cultura. Relações sociais.

Downloads 1178  1178  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGH - UFSC  Site http://ppghistoria.ufsc.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Marxismo e historia da educação: algumas reflexões sobre a historiografia educacional brasileira Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
LOMBARDI, Jose C.

A presente tese em Educação, que leva por título Marxismo e História da Educação: de algumas reflexões sobre a historiografia educacional brasileira recente, tem por objetivo discutir uma temática que, partindo de posicionamentos expressos na historiografia educacional brasileira - quanto à necessidade de busca de "novos problemas" para a pesquisa educacional, "novos objetos" de análise, "novos métodos" de conhecimento e de "novas fontes" para a pesquisa histórica - recoloca na ordem-do-dia o debate teórico-metodológico da Ciência da História e, no interior desse, da atualidade da Concepção Materialista Dialética da História. Para at ingir tal objetivo o autor estruturou o trabalho em cinco capítulos articulados: 1. Historiografia Educacional Brasileira: busca de novas abordagens teórico-metodológicas ou opção pela pós-modernidade?; 2. Historiografia e Contemporainidade: da decretação da pós-modernidade à morte do marxismo; 3.Crise do Marxismo: morte ou renovação / reconstrução; 4. Da Crise do Socialismo a morte do Marxismo: do debate recente às velhas questões; 5. Apontamentos de algumas questões teórico-metodológicas da concepção dialética da História.. Reconhecendo a necessária abertura da pesquisa histórico­ educacional para novas temáticas e novos problemas, mas contrapondo-se às "novas" abordagens da historiografia educacional brasileira, identificadas com o movimento pós-modernista e seus pressupostos irracionalistas, subjetivistas céticos e antihistoricistas, o autor defende o ponto de vista que o marxismo continua a se constituir numa concepção atual, viva e revolucionária e, por isso mesmo, em alternativa viável para o fazer científico do historiador.

Palavras-chave: Educação. Brasil - História. Historiografia. História- Metodologia. Educação - Historiografia.

Downloads 1152  1152  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNICAMP  Site http://libdigi.unicamp.br
Avaliação: 7.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Manifestações autoritárias: o Integralismo nos Campos Gerais (1932-1955) Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
DITZEL, Carmencita de Holleben M.

Este estudo analisa a trajetória do AIB (Ação Integralista Brasileira) ao PRP (Partido de Representação Popular) nos Campos Gerais, especialmente em Ponta Grossa, cidade-pólo regional. Procura-se compreender a formação sócio-histórica regional em relação com a repercussão do Movimento integralista nos anos 30 e sua rearticulação partidária em 1946. A identificação de particularidades regionais, dos imaginários construídos sobre a cidade e dos projetos que disputaram espaço nesse processo, mostrou-se fundamental para a elucidação dessa trajetória. O jogo rupturas e permanências, a mediação simbólica de atores sociais definidos (imprensa, Igreja, partidos, intelectuais), os textos produzidos nortearam esta reflexão. Ponta Grossa é vista como uma cidade plural na qual conviveram diferentes projetos e imaginários que disputaram permanentemente o poder.

Palavras-chave: Integralismo. Cidade. Imaginário. Projeto. Cultura e poder.

Downloads 4264  4264  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGH - UFSC  Site http://ppghistoria.ufsc.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Majestades da cidade princesa: concurso rainha da soja de Ponta Grossa, Paraná (1970-1980) Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
CANÇADO, Adriana M.

Esta tese tem como objetivo estudar articulações entre os campos econômico e político por meio de corpos femininos consagrados Rainha da Soja de Ponta Grossa. Instituídas rainhas no ritual do concurso Rainha da Soja, realizado no decorrer da década de 1970, em Ponta Grossa, Paraná, as jovens eleitas, pertencentes a famílias de reconhecido capital econômico e simbólico na cidade passavam a representar a indústria multinacional Sanbra, beneficiadora e exportadora de soja, e a Prefeitura Municipal de Ponta Grossa. Através do desempenho de bons modos, de vestuário adequado aos padrões de seriedade atribuídos ao concurso, do controle da sexualidade, as jovens eleitas reproduziam valores e posturas que identificavam e distinguiam os membros pertencentes aos grupos envolvidos no certame e, respectivamente, reforçavam práticas familiares, acumulando capital simbólico a si mesmas, a suas famílias e à Sanbra, organizadora do evento. Desse modo, desmistifica-se a ideia de que concursos de beleza são eventos frívolos e banais, a partir da concepção de que são espaços rituais instituídos por complexos poderes e que podem comunicar e reforçar distinções de gênero e de classe, contribuindo para a hierarquização da própria estrutura social na qual ocorrem. Este evento ritual integra a subjetividade das jovens eleitas, hoje mulheres casadas, mães de família, que, através da metodologia da história oral e dos processos de rememoração, reconstituíram identidades femininas e redes de sociabilidades relacionadas à experiência do concurso. Essas redes de sociabilidades reconstituídas a partir da interpretação das narrativas das mulheres eleitas e de documentos escritos possibilitam a reconstrução da importância atribuída ao concurso e à representação da Rainha, pela sociedade ponta-grossense, em seus distintos grupos sociais, indicando que a identidade coletiva local associava-se às representações instituídas no decorrer do ritual do concurso e objetivadas no corpo da jovem eleita. De outro modo, compreendido enquanto um evento ritual, o concurso, referente deste estudo, foi reconstruído, assim como seus significados, a partir de concepções teórico-metodológicas como memória, identidade, ritual e gênero.

Palavras-chave: Concursos de beleza. Memória. Identidade. Ritual. Gênero.

Downloads 1376  1376  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PGHIS - UFPR  Site http://www.humanas.ufpr.br/portal/historiapos/?lang=pt
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Longe demais das capitais? Cultura política, distinção social e Movimento Estudantil no Piauí  Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
VALE JÚNIOR, João Batista

Esta tese procura mostrar as especificidades do Movimento Estudantil (ME) piauiense. O balizamento histórico estabelecido para a abordagem, situa-se entre a formação da primeira entidade de representação estudantil no Piauí (1935) e as manifestações locais que, nessa Unidade da Federação, marcaram o período de crise e superação da ditadura civil-militar, instaurada no Brasil em 1964: o ano de 1984. Procurou-se demonstrar que a constituição da identidade do ME, no Piauí, deu-se em um cenário em que a força dos valores e tradições conservadoras consubstanciaram-na. Ao tempo em que esses valores e tradições, geralmente sustentadas no tripé ordem/disciplina/progresso impediam a imersão das entidades estudantis em um círculo de referências ideológicas e políticas identificadas com o romantismo revolucionário de esquerda, fundamentavam também formas de distinção social e política que elevavam as lideranças estudantis ao patamar de interlocutores diretos com os círculos do poder. Essas condições de interlocução permitiam a essas lideranças atingirem metas reivindicativas que reforçavam a eficácia de sua representação. As transformações políticas pelas quais passou o Brasil nos anos 70 impactaram o ME piauiense de maneira a aproximá-lo do ideário de esquerda, alterando significativamente a composição de suas lideranças, referências ideológicas e estratégias de luta. Até meados dos anos 80, apesar das mudanças em sua dinâmica interna, o ME piauiense conservou parte de sua capacidade de diálogo com o campo político dominante, tendo a imprensa de Teresina como mediadora dessa relação e como difusora das bandeiras de luta e mobilizações estudantis junto à opinião pública.

Palavras-chave: Cultura Política Juvenil. Movimento Estudantil. Estado. Poder.

Downloads 783  783  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGH - UFF  Site http://www.historia.uff.br/stricto/
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Lar escola Dr. Leocádio José Correia: história de uma proposta de formação Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
FUCKNER, Cleusa M.

O objetivo norteador deste estudo foi constituir aspectos da trajetória histórica do Lar Escola Dr.Leocádio José Correia, no período entre 1963 e 2003. Esta escola fundada na cidade de Curitiba, pelo professor e médium Maury Rodrigues da Cruz, é vinculada à SBEE (Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas), que é uma Instituição filantrópica e beneficente, que tem por objetivo estudar as manifestações espíritas, divulgar os princípios da doutrina dos espíritos e proporcionar assistência social às famílias carentes. Através de doações da comunidade foi construída a sede atual, ampla e com espaços diferenciados para a educação infantil. Ao longo de sua trajetória a escola passou por práticas diferenciadas, atendendo meninos órfãos, educação especial e ensino fundamental. A partir de 1998 a escola centralizou seu trabalho na Educação Infantil. Desde o início das atividades desenvolvidas por essa Instituição, o objetivo maior, segundo o seu estatuto, foi o de "educar para a liberdade consciente". Atualmente a Instituição é também a mantenedora da Faculdade Dr. Leocádio José Correia, que desenvolve entre outros, os cursos de Administração de Empresas, Pedagogia e Teologia Espírita, objetivando formar profissionais na área educacional e com o referencial da doutrina espírita. Este trabalho está dividido em duas partes na primeira intitulada: Espiritismo e Educação: uma construção histórica, a nossa proposta é analisar antecedentes do pensamento educacional espírita, bem como as obras didáticas de Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec), intelectual da educação francesa e depois autor das obras de codificação da doutrina espírita; Investigamos também na primeira parte o espiritismo no seu processo histórico de consolidação e a relação com a educação, compreendendo o movimento espírita na cidade de Curitiba. Na segunda parte que chamamos Da Teoria à Vivência na Prática procuramos compreender a figura de Leocádio José Correia, o patrono e mentor intelectual da Instituição a partir da sua ação enquanto Inspetor Paroquial das Escolas de Paranaguá no período de 1885-1886, bem como suas ideias e permanências na Instituição que hoje leva seu nome. Trabalhamos com as fontes escritas e orais da Instituição no sentido de construir uma análise fundamentada nas fontes da trajetória da escola como proposta e prática de uma educação espírita a partir da categoria cultura escolar. Este trabalho se fundamentou na História Cultural enquanto olhar investigativo de uma determinada realidade e concepção de mundo. Refletimos nosso objeto a partir da fundamentação de Pesavento, Chartier e autores da História Cultural que nos ajudaram a compreender as fontes constituídas pelo arquivo da escola, da SBEE, além das fontes da Igreja e da imprensa.

Palavras-chave: Instituição Espírita. Educação. História. Memória.

Downloads 414  414  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGE - UFPR  Site http://www.ppge.ufpr.br/inicio.htm
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Imagens do candomblé e da umbanda: etnicidade e religião no cinema brasileiro nos anos 1970 Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
SANTIAGO JÚNIOR, Francisco das Chagas F.

A tese que se apresenta visa mostrar as diferentes disputas que se formaram ao redor das imagens do Candomblé e da Umbanda no cinema brasileiro dos anos 1970. Identificamos as instituições que forneceram sentido aos filmes e os principais debates culturais que se constituíram na relação da sociedade brasileira com as imagens das chamadas "religiões populares". Observamos que o campo cinematográfico partiu de sua tradição de reflexão sobre o nacional e o popular e começou a constituir clivagens nas identidades brasileiras quando propôs fazer filmes que contemplassem os "valores populares". Naquele período ocorreu uma mudança no foco da identidade nacional, antes tida como homogênea, e que seria fraturada em múltiplas facetas. Os filmes que mostravam a Umbanda e o Candomblé, as "religiões populares", se constituíram em conflagrações e disputas pela afirmação da etnicidade e da nacionalidade no Brasil setentista. Começou a emergir uma nova etnicidade, uma etnicização das imagens cinematográficas advinda das fraturas identitárias produzidas no debate cultural brasileiro. Nossa pesquisa acompanha os diversos agenciamentos que os filmes realizaram, bem como as maneiras como foram agenciados por membros do campo cinematográfico, tais como cineastas e críticos de cinema, e membros de outros campos sociais, como antropólogos, ativistas de movimentos sociais e outros críticos culturais. Observamos pela análise de cinco películas (O Amuleto de Ogum, Tendas dos Milagres, Cordão de Ouro, A Força de Xangô, Prova de Fogo) como a etnicidade e a religiosidade se aproximavam e se distanciavam.

Palavras-chave: Religião Afro-brasileira. Cinema Brasileiro. História e Cinema. Etnicidade.

Downloads 5178  5178  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGH - UFF  Site http://www.historia.uff.br/stricto/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!História da educação em debate : as tendências teórico-metodológicas nos Congressos Íbero-Americanos Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
ZEQUERA, Luz Helena Toro

A pesquisa analisou uma amostra dos 80 trabalhos, sobre o debate teórico e metodológico, apresentados nos quatro congressos ibero-americanos (1992-1998) por se constituírem estes num foro que reflete sobre a especificidade da História da Educação, suas relações com a História e as tendências da pesquisa histórico-educacional na região.

Palavras-chave: Historiografia. Educação. Educação. Teoria do conhecimento.

Downloads 1919  1919  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UNICAMP  Site http://libdigi.unicamp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Teses
Fazer Download agora!Esses moços do Paraná...Livre circulação da palavra nos albores da República Popular Versão: PDF
Atualização:  23/10/2013
Descrição:
MELLO, Sílvia Gomes Bento de

Este trabalho trata de uma mudança de regime de escrita operado nas últimas décadas do século XIX, no Paraná – um momento de modernização e urbanização, instalação do regime republicano, que trazia consigo questões ligadas à maior democratização dos meios de vida. O centro da abordagem desta tese é a emergência da livre circulação da palavra: até então o exercício da escrita e da oratória estava restrito a uma elite letrada e que se envolvia nos meios políticos e burocráticos do governo. Assim, era através da tribuna, do parlamento que se discutia e se decidia sobre os rumos da comunidade. A livre circulação da palavra subverte esta ordem de coisas: a escrita livre – aquela que não sabe a quem se destina – é a grande novidade que se instaura então. O alargamento daqueles que podem valer-se da palavra compõe um tripé: qualquer um pode escrever, qualquer um pode ler, qualquer um pode ser motivo de escrita. Esse acontecimento efetiva-se através do envolvimento nas letras de uma mocidade que se dedicava às atividades de leitura, escrita e oratória; da formação e do fortalecimento de associações ligadas às letras; da imprensa; dos temas e questões que se investem na escrita dos moços. Constituindo, assim, novas maneiras e novos lugares para se defender idéias: a literatura, as associações literárias, a ação dos intelectuais fora do parlamento.

Palavras-chave: Escrita. Mocidade. República.

Downloads 2776  2776  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGH - UFSC  Site http://ppghistoria.ufsc.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 (3) 4 5 6 7 »