Educadores

Ínicio : Geografia : Teses : 

Produções de Profissionais da Seed: Teses (10)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Data (novos listados primeiro)

Categoria: Geografia Teses
Fazer Download agora!A utilização dos indicadores sociais pela geografia: uma análise crítica Popular Versão: 
Atualização:  15/5/2013
Descrição:
DE PAULA, J. C. M.

O objetivo deste trabalho é elaborar uma crítica ao processo de adoção e utilização dos indicadores sociais pela Geografia. Esta proposta baseou-se no argumento de que este encontro, Geografia-indicadores, não tem sido devidamente explorado em função de uma atmosfera povoada de deficiências e lacunas teóricas. Por isso, através do levantamento de algumas circunstâncias históricas e teóricas que presidiram o nascimento dos indicadores sociais, seu conceito e principais pressupostos foram revistos. Da mesma forma, alguns referenciais teóricos provindos da corrente Utilitarista da Economia, assim como aqueles oriundos da Escola de Sociologia de Chicago, foram examinados. Tendo em vista o destaque dado a estas duas fontes de influência, são apontadas possibilidades e deficiências dos indicadores sociais. Caracteriza-se o encontro da Geografia com os indicadores sociais como tendo sido marcado pela desconsideração das circunstâncias anteriormente citadas. Isto se reflete em um olhar negligente para com o indicador social e seu papel como objeto técnico auxiliar na produção de um espaço racional. Deste modo, o trabalho lembra que os conceitos próprios da Geografia podem ser redirecionados à construção dos indicadores sociais. Foi apontada também uma reduzida reflexão sobre a reconstrução e representação estatística, o que colabora para que se mistifique sua utilização e prejudique a análise dos processos que compõem a substituição de um conceito social por dados estatísticos. Este trabalho infere que, de forma crescente, incursões em torno da relação entre o espaço e os indicadores sociais deverão se dar como uma repercussão mais imediata das novas demandas de informação, tanto para o controle quanto para a exploração de novas frentes ao processo de acumulação. Para isto, demonstrou-se como os estudos interessados na mudança social fomentaram as primeiras discussões em torno da ideia de se criarem indicadores sociais que mais recentemente vêm sofrendo questionamentos através da reconsideração de alguns de seus pilares como a modernização, o progresso ou mesmo o desenvolvimento. Este processo de procura por novas bases de informações, assim como os questionamentos dos formatos tradicionais de obtê-las, vem provocando a reemergência de debates mais afeitos ao campo da Ética e da Filosofia Política que, de maneira geral, haviam se afastado das discussões sobre os indicadores sociais. Estes debates são aqui explorados não só como uma recomposição de aspectos anteriormente relevados, mas também como um chamamento à reconsideração do componente espacial que transpassa o tema indicadores sociais. Foram examinadas, em especial, propostas liberais como as do filósofo político John Rawls e do economista Amartya Sen, tentando levantar as possibilidades destes dois autores funcionarem como alvo de ponderações provindas da Geografia. Por fim, são feitas algumas reflexões com base em pesquisas mais recentes. Os apontamentos feitos a tais trabalhos já procuram evidenciar novas tendências que podem ser assumidas na “métrica” do social. Também se analisam as perspectivas que exploram o conceito de pobreza, demarcando-o de maneira mais rígida e tradicional, com base ao acesso sobre bens e rendas e que, com esta linha, procuram mapear a pobreza, até pesquisas que procuram utilizar o conceito de território para abordar a exclusão social.

Palavras-chave: Indicadores Sociais. Geografia. Objeto técnico. Racionalização. Teoria social. Mudança social. Pobreza. Exclusão social.

Downloads 1126  1126  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFF  Site http://www.dominiopublico.gov.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Teses
Fazer Download agora!A questão ambiental nas séries iniciais: práticas de professoras do distrito Anhanguera - São Paulo Popular Versão: 
Atualização:  15/5/2013
Descrição:
PINESSO, Denise Cristina Christov

Esta pesquisa teve como objetivo investigar práticas de professoras das séries iniciais relacionadas às questões ambientais. As escolas participantes estão situadas no distrito Anhanguera, região noroeste da cidade de São Paulo. Para compreender como ocorrem estas práticas, aplicamos questionários de perguntas abertas e fechadas que versavam sobre: a) o contexto em que as escolas se inserem; b) os temas desenvolvidos relacionados às questões ambientais; c) os objetivos estabelecidos para o trabalho; d) as estratégias estabelecidas e materiais utilizados; e) avaliação. Num segundo momento, trabalhamos com a metodologia do grupo focal, buscando aprofundar aspectos surgidos a partir dos questionários. Concluímos que as professoras das séries iniciais desenvolvem projetos envolvendo as questões ambientais e que a consciência sobre a importância deste trabalho é uma realidade presente, embora existam lacunas no que se refere ao fazer pedagógico - relacionadas ao planejamento e reflexão sobre a prática - e às concepções sobre natureza e educação ambiental. Apesar destas dificuldades, o trabalho das professoras é relevante e significativo, pois se insere no movimento de construção dos saberes ambientais no ensino formal.

Palavras-chave: Didática das Séries Iniciais. Educação ambiental. Ensino Fundamental. Formação de professores.

Downloads 1356  1356  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma USP  Site http://www.teses.usp.br/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: Geografia Teses
Fazer Download agora!A pobreza mora ao lado: segregação socioespacial na região metropolitana de Maringá  Popular Versão: 
Atualização:  15/5/2013
Descrição:
RODRIGUES, Ana Lúcia

Esta tese busca responder como o espaço urbano de Maringá se desenvolveu destituído dos problemas inerentes à maioria das cidades brasileiras como favelas e ocupações irregulares. A produção do espaço urbano constituído pela atual Região metropolitana de Maringá-PR obedeceu, desde sua gênese, a uma orientação que reproduziu, no território, processos de desigualdade social pela ação do mercado imobiliário. Foram resgatadas as ações desse mercado e também as do poder público, ambos responsáveis pela manutenção das definições do projeto original na atual configuração socioespacial de Maringá e região. O projeto que norteou o desenvolvimento da cidade foi cumprido integralmente, inclusive, nos aspectos que definiram uma ocupação residencial diferenciada socialmente. Ao segmentar as áreas a serem comercializadas, segundo as especificidades socioeconômicas dos adquirentes, o agente imobiliário fomentou, ao longo de mais de meio século, uma
ocupação residencial claramente segregada.

Downloads 11139  11139  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma   Site http://www.usp.br
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 (5)