Educadores

Ínicio : História : Dissertações : 

Produções de Profissionais da Seed: Dissertações (26)


Ordenar por:  Título () Data () Notas () Popularidade ()
Ordenados por: Título (A a Z)

Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Como os professores e jovens estudantes do Brasil e de Portugal se relacionam Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
SOBANSKI, Adriane de Quadros

Com uma reivindicação histórica, sobretudo do Movimento Negro brasileiro, a Lei n. 10.639 de 09 de janeiro de 2003 tornou obrigatório o ensino de História da África e da cultura afro-brasileira. No entanto, esta pesquisa procura demonstrar que a existência de uma legislação não garante a aplicação e a efetivação de uma consciência acerca da relevância desse conhecimento entendido como um conteúdo curricular. Destacando o papel dos professores de História nesse processo de reconhecimento da História da África e da cultura afro-brasileira enquanto conteúdo curricular a ser ensinado/aprendido, esta pesquisa teve como ponto de partida entender quais ideias os professores de História apresentam sobre o conceito de África. Para tanto, as pesquisas em Educação Histórica foram fundamentais, em especial na linha de investigação ligada à cognição histórica situada, a qual leva em consideração a compreensão das ideias dos sujeitos escolares no contexto do ensino de História. Considerando os fortes laços históricos que unem Brasil e Portugal com a África, busquei, nesta pesquisa, identificar como os professores de História dos dois países identificam esse conceito e, como mediadores do conhecimento histórico, como influenciam na consciência histórica dos jovens estudantes das séries finais do Ensino Fundamental, também do Brasil e de Portugal. Sendo assim, passou a ser relevante também investigar as ideias apontadas pelos alunos desses países, uma vez que a pesquisa apontou a forma com que as ideias apresentadas pelos professores são fundamentais no desenvolvimento de uma consciência histórica dos jovens estudantes. Teoricamente me amparei na Historiografia tradicional sobre a África, sobretudo de Gilberto Freyre com Casa Grande e Senzala, que ainda predomina na construção desse conhecimento no universo escolar e, portanto, também sobre a consciência histórica dos sujeitos envolvidos. Em contrapartida, como uma visão alternativa com relação à África, a referência foram os Estudos Culturais a partir dos sociólogos Stuart Hall e Paul Gilroy, os quais discutem a perspectiva da diáspora africana e a formação de uma nova identidade nacional a partir dessa cultura. Busquei, então, através de um questionário aplicado em professores de História e alunos brasileiros e portugueses, identificar as ideias, ou Conceitos Substantivos, que esses sujeitos apontam com relação à África, procurando sempre entender como o conhecimento da historiografia pode interferir no desenvolvimento dessas ideias.

Palavras-chave: África. Educação Histórica. Conceitos Substantivos.

Downloads 819  819  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGE - UFPR  Site http://www.ppge.ufpr.br/inicio.htm
Avaliação: 9.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Condá e Viri: chefias Indígenas em Palmas-PR, década de 1840 Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
MALAGE, Katia G. J. Menezes

Na história indígena brasileira, dois caciques permanecem vivos no presente através da documentação existente ou nos locais em que são lembrados. Vitorino Condá e Estevão do Nascimento Viri são os dois chefes indígenas que compõem a temática deste trabalho no sentido de chamar a atenção para alguns aspectos novos, a partir de documentação ainda não analisada sobre estes caciques que atuaram nos Campos de Palmas. O objetivo do estudo foi analisar as relações estabelecidas entre os referidos chefes com o governo imperial e com as expedições que foram enviadas pela Coroa Portuguesa para explorar os Campos de Palmas. Também foi foco de estudo a relação entre Condá, Viri e indígenas denominados de “selvagens”, índios estes, que representavam uma ameaça à população que se formava na área de abrangência definida. O período de análise delimitou a década de 1840, sendo a pesquisa norteada por dois documentos deste período: uma Justificação e um Ofício, ambos de 1844. Tais documentos trazem Condá como um assassino, ideia contrária a grande parte das demais fontes existentes sobre o mesmo. Os resultados indicam que Condá e demais índios de Palmas, ora eram postos como mansos e ora como assassinos, representavam que a violência fazia parte da mansidão e vice versa. A ação deles em colaborar e, em certos momentos, apresentarem-se com certa rebeldia, fazia parte do próprio jogo político no qual atuavam, confirmando-lhes o papel de chefes. Além de manterem estreitas relações com o governo imperial, Condá e Viri garantiram para os seus, parte do território que foram sendo ocupados pelas expedições, que se estabeleceram dentro dos campos de Guarapuava e de Palmas, bem como mantiveram bons laços com estes colonizadores. Concluiu-se que o trabalho realizado com a documentação permitiu avançar no conhecimento a respeito das condições locais em Palmas e sobre a história de Condá e Viri.

Palavras-chave: História indígena. Kaingang. Condá. Viri.

Downloads 1074  1074  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PGHIS - UFPR  Site http://www.humanas.ufpr.br/portal/historiapos/?lang=pt
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Cor, pobreza e ação afirmativa:. o projeto Geração XXI (SP, 1999/2006) Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
KASAI, Maria Inez Nunes

O processo de desenvolvimento intelectual e moral do ser humano como instrumento básico para a inclusão de jovens negros na sociedade paulistana e o impacto do Projeto Geração XXI na vida de vinte um (21) deles, constituem o tema desta Dissertação. E tem como meta retratar, analisar e historicizar o Projeto Geração XXI, da Ong Geledés - Instituto da Mulher Negra. Levanto a discussão relacionada a não existência de racismo contra o afro-descendente no Brasil.

Palavras-chave: Afro-descendente. Exclusão. Geledés. Inclusão. Negros. Processo de desenvolvimento intelectual e moral. Projeto Geração XXI. Racismo.

Downloads 522  522  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGHS - USP  Site http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-11072007-104623/publico/TESE_MARIA_INES_NUNES_K
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Cotidiano, memória e tensões: a trajetória artística das cantoras de rádio de Salvador de 1950 a 196 Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
SILVA, Raimundo Dalvo da C.

Esta pesquisa tem como objetivo debater a história das mulheres cantoras do rádio da cidade do Salvador nas décadas de 50-60, mostrando a cidade que elas viveram, como também suas lutas e resistências contra a sociedade baiana conservadora.

Downloads 4399  4399  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PUC/SP  Site http://www.pucsp.br/pos-graduacao/mestrado-e-doutorado/historia-0
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Da ortodoxia à heresia: os Valdenses (1170-1215) Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
THOMÉ, Laura Maria S.

A passagem dos valdenses, um grupo de pregadores pobres, da ortodoxia à heresia, na cidade de Lyon no reino da Borgonha, pertencente ao Santo Império Romano-Germânico, entre o final do século XII e o início do XIII, foi analisada com base nas atas dos III e IV Concílios de Latrão (1179 e 1215) e do Sínodo de Verona (1184). Procurou-se compará-las com testemunhos de contemporâneos e com profissões de fé do líder do grupo, Pedro Valdo e de seguidores seus como Duran de Huesca que retornaram ao seio da Igreja após a condenação do grupo como herético. Observou-se que no III Concílio de Latrão os valdenses tiveram seu modo de vida aceito pelo papa Alexandre III e foram enviados de volta a Lyon com a recomendação de que não deveriam pregar a não ser com a autorização prévia do bispo. Inicialmente cumpriram a ordem, dedicando-se ao combate ao catarismo, contudo sua inata vocação de pregadores os fez desrespeitá-las sendo denunciado ao Papa e declarados hereges no encontro de Verona, em 1184, quando Lúcio III e o imperador Frederico I promulgaram constituições enérgicas de combate à heresia conclamando os príncipes a exercerem este combate em seus domínios. Os valdenses foram expulsos de Lyon e atingiram cidades italianas, a Germânia e a Suíça, denunciando os males do clero, sua riqueza e luxo. Aproximaram-se do discurso de outros grupos, como os cátaros, e chegaram ao IV Concílio de Latrão amalgamados com eles e sofrendo as mesmas punições. Foram definitivamente considerados heréticos. Viu-se que o que se iniciou como uma tentativa local de reformar a Igreja, exercida por homens que desejavam viver em vita apostolica e pobreza voluntária sofrendo a condenação de seu bispo, tornou-se perigosa ortodoxia, ou seja, em heresia a ser eliminada.

Palavras-chave: Valdenses. Concílios de Latrão. Ortodoxia. Heresia.

Downloads 676  676  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PGHIS - UFPR  Site http://www.humanas.ufpr.br/portal/historiapos/?lang=pt
Avaliação: 10.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!De Isidoro a Ildefonso: Teologia Política e Política Eclesiástica na Hispania Visgoda do século VII Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
ROMÃO, Paôla M.

Essa dissertação ambiciona estudar os aspectos que envolvem a disputa pelo poder político, econômico e social entre a instituição régia visigoda e o setor eclesiástico do Reino Visigodo Católico de Toledo, entidade política de maior expressão sobre o território ibérico, constituído e consolidado durante os séculos VI/VII, um período histórico denominado Antiguidade Tardia. A metodologia utilizada está centrada na análise de fontes primárias, de natureza bilíngüe – latim e espanhol – das quais tem caráter relevante a obra "De Viris Illustribus", de Ildefonso de Toledo, bem como os "Concílios Visigóticos de Toledo do IV ao VIII", instrumentos legais convocados pelo rei que exemplificam o comportamento adotado entre a instituição régia e episcopado e algumas cartas advindas "Epistolario" de Braulio de Zaragoza intercambiadas entre diversos bispos e reis, que clarificam o relacionamento inter- pessoal entre as instituições. Também é analisada, a obra "Etimologías" de Isidoro de Sevilha – em latim e espanhol -, por fornecer de forma clara e objetiva o conceito de "rei" e "reino" neste período. Ildefonso nasceu entre 605 e 607 como membro de uma poderosa família toledana, entrando muito jovem no mosteiro de Agalí, do qual chegou a ser abade. Em 657 por exigência do então monarca Rescesvinto - com quem manteve uma difícil relação -, foi consagrado bispo metropolitano de Toledo, posto que ocupou até sua morte em 667. A natureza da obra de Ildefonso é específica, de cunho até mesmo pedagógico. Pode ser considerada como um exemplum, pois ao compilar a vida de 13 viris eclesiásticos considerados "bons", ele pretende transmitir uma moral, uma concepção de mundo, enfim, um "modelo" a ser seguido. A partir de uma valorização do Mosteiro de Agalí, do primado de Toledo e seus prelados, é que Ildefonso pretende demonstrar a força da sua Igreja em contraposição ao monarca. Portanto, analisar as relações da Igreja Católica Visigoda frente à instituição régia e compreender a importância da figura de Ildefonso perante à instituição do Episcopado, através da questão se foi um autor inovador ou mero reprodutor do pensamento eclesiástico da época dominado por Isidoro de Sevilha, bem como, perante à instituição da Monarquia com firmes representantes, partindo do fato de não ter sido convocado nenhum concílio durante o seu bispado, são objetivos desta dissertação.

Palavras-chave: Antiguidade Tardia. Visigodos. Episcopado. Monarquia.

Downloads 868  868  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PGHIS - UFPR  Site http://www.humanas.ufpr.br/portal/historiapos/?lang=pt
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Demandas de mulheres junto à Justiça do Trabalho: a memória do trabalho como presente do passado Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
BONINI, Altair

O objeto da pesquisa são as mulheres trabalhadoras de Curitiba, que atuavam nos setores secundário e terciário, no recorte temporal compreendido entre 1960 e 1975. Buscamos fragmentos do cotidiano do trabalho de mulheres curitibanas, as relações de gênero, de dominação e de exploração, através de ações trabalhistas impetradas por trabalhadoras. No contexto da acentuada industrialização e urbanização do Paraná estão contidos novos comportamentos e atitudes dos trabalhadores, quer diante do capital quer diante das perspectivas de vida que lhes eram acenadas pelas frequentes mudanças no arcabouço do judiciário do trabalho. Nossas principais fontes: uma massa documental constituída de processos trabalhistas do Tribunal Regional do Trabalho de Curitiba (9ª Região), que estão depositadas no CPDP, órgão do Departamento de História (UEM), dos quais foram selecionados aqueles em que figuravam relações de gênero e de poder e que evidenciaram as condições cotidianas do trabalho. Abordamos o contexto histórico do Brasil e do Paraná, entre 1960 e 1975, com objetivo de entendermos as condições de trabalho vividas pelos integrantes das classes subalternas, em especial as mulheres, bem como os aspectos do trabalho vinculados ao desenvolvimento da industrialização. Entender as questões relativas ao trabalho urbano de mulheres em Curitiba, analisar as representações em torno das ocupações femininas formuladas pelos empregadores, pelo judiciário e aquelas contidas no Direito do Trabalho, bem como as transformações de normas e leis nestas áreas, a fim de proteger o trabalho feminino, são alguns dos objetivos propostos. Assim, descortinamos as relações de gênero e as especificidades das histórias de mulheres que recorreram contra seus ex-patrões, denunciando a exploração por meio de artimanhas do capital para desqualificar seu trabalho e seus direitos.

Palavras-chave: Trabalho feminino. Representações. Direito do Trabalho.

Downloads 1817  1817  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPH - UEM  Site http://www.pph.uem.br/Site/
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Dos Sertões Desconhecidos às Cidades Corrompidas: um estudo sobre a obra de João de Minas 1929-1936 Popular Versão: PDF
Atualização:  14/10/2013
Descrição:
ALMEIDA, Leandro Antonio de

O objetivo desta dissertação é entender as modificações temáticas ocorridas na obra literária de João de Minas (pseudônimo do jornalista Ariosto Palombo, 1896-1984), autor de 12 livros entre 1929 e 1936. O principal caminho utilizado é a analise temática de suas narrativas, buscando-se como o escritor configura o "mundo da obra" literária, revelador das escolhas e temas significativos para o escritor no período estudado. Diversas mudanças temáticas em sua literatura estão relacionadas ao impacto exercido na vida do autor pelo movimento de outubro de 1930. Em função de seus antigos vínculos com o Partido Republicano Paulista, o evento gerou em João de Minas um sentimento de deslocamento social, que o levou, de 34 em diante, a tratar de forma mais crítica da história, da sociedade e da política de seu tempo. Tal percepção reverberou no seu fazer literário: deixou de se preocupar com uma a realidade distante e desconhecida do sertão ou de defender o regime oligárquico vigente até 1930, mas passou a refletir distanciada e ironicamente sobre as mazelas e convenções da vida urbana. Descolado do PRP, João de Minas se sentiu livre para representar o que via como o obsceno da vida política e da vida social das grandes cidades.

Palavras-chave: João de Minas. Ariosto Palombo. Revolução de 30. Literatura brasileira.

Downloads 296  296  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGHS - USP  Site http://historia.fflch.usp.br/posgraduacao/hs
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Entre a academia e o partido: a obra de Florestan Fernandes (1969/1983) Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
RODRIGUES, Lidiane Soares

Este trabalho consiste na investigação da proposta de intelectual elaborada por Florestan Fernandes, entre os anos de 1969 e 1983 - que marcam, respectivamente, sua aposentadoria compulsória e uma adesão ao diálogo periódico com o grande público, através de sua coluna na grande imprensa escrita. No período, esteve desvinculado tanto da instituição universitária quanto da partidária. Parcela considerável da obra então produzida nasce sob o signo da auto-reflexão - são balanços de sua trajetória intelectual, da Sociologia e dos impasses da formação das ciências sociais no Brasil - e da liberação da coerção discursiva que os campos institucionais promovem. O exame desse conjunto de textos aborda a problemática que é centro gravitacional dos críticos do sociólogo: o equacionamento de sua atuação acadêmica e política.

Palavras-chave: Florestan Fernandes. Intelectuais - 1969-1983. Brasil.

Downloads 751  751  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGHS - USP  Site http://historia.fflch.usp.br/posgraduacao/hs
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Categoria: História Dissertações
Fazer Download agora!Entre a revolução e o corporativismo: a experiência sindical dos ferroviários da E. F. Sorocabana Popular Versão: PDF
Atualização:  24/10/2013
Descrição:
ARAÚJO NETO, Adalberto Coutinho de

Este trabalho resgata e analisa a história do sindicalismo dos ferroviários da Estrada de Ferro Sorocabana durante a década de 1930. Antes da abordagem do tema do trabalho, retoma o histórico da fundação da ferrovia e de seu operariado, desde 1870 até 1940. Narra a trajetória dos grupos políticos e ideológicos atuantes entre os ferroviários, representados principalmente por socialistas, comunistas, pró-patronais e integralistas. Analisa os conflitos, relacionamentos e as contradições entre os trabalhadores e as lideranças sindicais, com a empresa e o Estado. Estuda as propostas, transformações e compara a adesão decisiva dos trabalhadores, que determinaram a característica do sindicalismo ferroviário da Sorocabana.

Palavras-chave: Ferroviários. Movimento Operário. Sindicalismo. Sorocabana. Trabalho.

Downloads 627  627  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma PPGHS - USP  Site http://www.teses.usp.br
Avaliação: 6.00 (1 voto)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


« 1 2 3 4 (5) 6 7 8 9 10 11 12 »