Educadores



Categoria: Biologia Teses Produções de Profissionais da Seed: Teses
Fazer Download agora!Efeito da Adubação Mineral no Crescimento e Produção de Óleo Essencial de Espécies Florestais no Pri Versão: PDF
Atualização:  26/4/2018
Descrição:
SOUZA, Karen Koch Fernandes de

Com objetivo de avaliar a resposta a fertilização mineral sobre o desenvolvimento inicial em campo de seis espécies florestais em região de ocorrência de geada, foi conduzido, um experimento na Estação Experimental da UFPR, localizado no município de Pinhais-PR. As espécies estudadas foram: híbrido Eucalyptus urophylla x Eucalyptus globulus, Eucalyptus benthamii (origem clonal e seminal), Araucaria angustifolia, Pinus maximinoii, Pinus taeda (procedência Africa do Sul) e Cryptomeria japonica. O experimento foi constituído de delineamento inteiramente casualizado, onde cada parcela de espécie continha 80 plantas, sendo 48 plantas úteis que receberam três tratamentos de fertilização com 4 repetições de 4 plantas. O plantio ocorreu em dezembro de 2012 e as variáveis foram avaliadas até dezembro de 2014. O estudo se deu com base nos diâmetros do colo e diâmetro altura do peito, quando possível, e altura total. Os tratamentos de fertilização consistiram na comparação entre testemunha, fertilização convencional e fertilização de liberação lenta. Os fertilizantes foram aplicados 30 dias após o plantio (fertilização convencional de base e fertilização de liberação lenta); 60 dias após o plantio (apenas para fertilização convencional de cobertura) e fertilização de manutenção, aos 450 dias após o plantio. Para as espécies de Eucalyptus as quantidades e formulações de fertilização convencional foram: fertilização de base -200 gr de NPK 6-30-6 + Ca + Mg; fertilização de cobertura - 200 gr de NPK 15-5-30 e fertilização de manutenção - 200 gramas de NPK 6-30-6 + Ca + Mg. Ainda considerando a fertilização convencional, as demais espécies receberam: fertilização de base 110 gramas de NPK 5-30-10, fertilização de cobertura – 150 gr de NPK 15-5-30 + B + Zn + Ca e fertilização de manutenção – 110 gr de 5-30-10 + Ca + Mg. A formulação do fertilizante de liberação lenta foi 11-21-19 + S + B + Zn, e as quantidades utilizadas foram 248 gramas para as espécies de Eucalyptus e 165 gramas para as espécies de coníferas. Avaliou-se o efeito da fertilização no crescimento inicial das plantas do híbrido E. urophylla x E. globulus e o rendimento de óleo essencial. Como resultado constatou-se que aos 24 meses de idade as plantas responderam positivamente as duas fertilizações (convencional e liberação lenta), mas o fertilizante não exerceu influencia significativa no rendimento de óleo essencial. Para as plantas de E. benthamii, comparou-se o desenvolvimento inicial de plantas oriundas de semente e de propagação vegetativa (clone) nas condições de fertilização. Neste caso, houve efeito positivo das fertilizações nas plantas clonais. Entre as coníferas estudadas, as espécies A. angustifolia e P. maximinoi responderam positivamente as fertilizações propostas, o mesmo não ocorreu com as demais coníferas P. taeda e C. japonica. Os fertilizantes apresentaram resposta positiva sobre as espécies, com exceção de P. taeda e C. japonica. Comparando as fertilizações aplicadas, o fertilizante de liberação lenta apresentou melhor resultado para as espécies A. angustifolia e P. maximinoi enquanto que a fertilização convencional foi mais eficiente para as demais espécies que responderam a fertilização.

Palavras-chave: Eucalyptus uroglobulus. Óleo essencial. Eucalyptus benthamii. Araucária. Pinus maximinoi. Pinus. Criptomeria. Fertilização de liberação lenta.

Downloads 51  51  Tamanho do arquivo 0 bytes  Plataforma UFPR  Site http://
Avaliação: 0.00 (0 votos)
Avaliar | Alterar | Informar erro | Indicar | Comentários (0)


Os comentários são de propriedade de seus respectivos autores. Não somos responsáveis pelo seu conteúdo.